Viciante e batidão
Por Mariana Mandelli

SONS AND DAUGHTERS
This Gift
[Domino, 2008]

Glasgow é mesmo uma fonte infindável de boas bandas de indie rock. Sons and Daughters é mais uma delas. Formado por Adele Bethel (vocal, guitarra e piano), David Gow (bateria e percussão), Ailidh Lennon (baixo, bandolim e piano) e Scott Paterson (vocais e guitarra), o grupo já saiu em turnê com Morrissey em 2006. Neste seu terceiro disco, This Gift, o Sons and Daughters exala a mesma energia pop quase dançante que acompanhou os trabalhos anteriores – Love the Cup (2003) e The Repulsion Box (2005).

As doze faixas de This Gift também são permeadas por riffs ágeis, vocal que mistura Debbie Harry, do Blondie, e Kate Jackson, do The Long Blondes, letras espertas e o som acelerado que é característico da banda. O álbum começa com “Gilt Complex”, daquelas que te fazem bater o pé de modo ritmado, e segue com “Split Lips”, daquelas que te fazem cantar “oooooh” em coro. Destaque também para as batidas de “The Nest”, o jeito a la Franz Ferdinand de “Rebel With the Ghost”, os gritinhos de “This Gift” e principalmente, para a euforia punk de “Chains” (praticamente um “bate-cabeça” em forma de música). Viciante: impossível não cantar junto.

NOTA: 8,0

Sem mais artigos