Segundo round da batalha pela diversão musical vencido com perspicácia e desprendimento

Da colaboração da Revista O Grito!, em Lisboa

Ultrapassar a barreira de um primeiro disco bem sucedido é um dos dramas da música popular urbana no século XXI. Quando o assunto é Smix Smox Smux a opção recaía em manter uma linearidade sonora coerente e bem-disposta ou diversificar a oferta musical sem adulterar o âmago do agrupamento. Em Os Gloriosos Smix Smox Smux Derrotarão Os Exércitos Capitalistas a paleta de cores é mais rica e é justo dizer que se encontram boas soluções. Desde logo, no magistral “Sangue”, recriação brilhante do imaginário profano e enigmático dos Mão Morta, adornado com a típica vocalização cavernosa de Adolfo Luxúria Canibal. Na curiosa “Kuduro”, uma batida africana contrasta com teclados vintage e a parte negra desafia a branca: “O que é que estás a fazer pá ? Dança pá !”. O divertimento non stop prossegue no rock revolucionário de “Pinochet Guevara” e ao fim de 10 temas é mesmo possível vislumbrar a praia em Braga.[Pedro Salgado]

SMIX SMOX SMUX
Os Gloriosos Smix Smox Smux Derrotarão Os Exércitos Capitalistas
[Pad, 2011]

NOTA: 7.0

Sem mais artigos