Foto: Flora Pimentel

Mais um registro do No Ar Coquetel Molotov deste ano cai na internet via blog Hominis Canidae. Desta vez é o cantor Siba, que foi um dos destaques do festival e tocou no Teatro da UFPE. Veja o que falamos do show.

Marcado por uma sono­ri­dade que remete à ora­li­dade per­nam­bu­cana, o músico fez das con­so­an­tes secas um belo arti­fí­cio para can­tar do jeito que a gente fala. No palco do Coquetel, todo mundo se reco­nhece em Siba.

Ele come­çou o show com uma sequên­cia de fai­xas de Avante, seu novo disco, lan­çado em janeiro. “Ariana”, “Preparando o Salto”, “Bravulha e Brilho”. A noite ainda ins­ti­gou a pla­teia a se levan­tar no tea­tro, rebolar/dançar e can­tar fai­xas já trans­for­ma­das em hits do álbum, como “Canoa Furada” e “Cantando Ciranda na Beira do Mar”. “É incrí­vel ver gente can­tando músi­cas que você fez sozi­nho em um quarto de hotel”, diz Siba.

Trabalho mais pop de Siba, conhe­cido por fazer parte de seu antigo grupo, a Fuloresta do Samba, o can­tor apos­tou em uma pro­du­ção que equi­li­bra bem as refe­rên­cias cul­tu­rais da Zona da Mata, ao mesmo tempo em que namora toques mais con­tem­po­râ­neos. O show desse disco fun­ci­o­nou ainda melhor em um tea­tro, em que o som se perde menos e é mais nítido.

Para baixar a íntegra do show, é só ir aqui.

Sem mais artigos