Fotos:  Taiana Laiun /Divulgação.

Arnaldo e Felipe juntos no palco. (Fotos: Taiana Laiun /Divulgação).

Com e , evento reafirmou maturidade

Por Tathianna Nunes

O Se Rasgum se despediu neste sábado (24) e contou com o bem sucedido show de Arnaldo Antunes, a guitarrada do paraense Felipe Cordeiro, com as gringas Bass Drum & Death (EUA) e , com impressionante (PA), entre outros nomes. O evento reuniu cerca de 8 mil pessoas em quatro dias de programação que acompanharam uma seleção variada, tanto no estilo musical, quanto em termos de nacionalidade e tempo de carreira das atrações. Da “velha guarda” estiveram o bluesman carioca e (RS). Entre os novatos se destacaram Camila Honda (PA), Molho Negro (PA) e Biltre (RJ).

Leia Mais
Félix Robatto e Aldo The Band são destaques
Como foi o show da Orquestra Contemporânea de Olinda em Belém
Noite de estreia celebra pop e MPB com Nei Lisboa e Camila Honda

A diversificação de sua programação acompanha o evento desde o princípio. Contudo, com o desenvolvimento e a expansão do Se Rasgum, essa característica foi intensificada. “Criado inicialmente como um festival de rock, aos poucos o festival se abriu para outros ritmos musicais. Com o crescimento, fomos ampliando o conceito do evento, mas a busca pelo novo e atrações inéditas foram/são nosso guia”, disse o organizador Marcelo Damaso à Revista o Grito!.

Arnaldo fez um dos shows mais aguardados da noite.

Arnaldo é retrato de que o festival ampliou o foco para crescer.

Saiba mais como foi o último dia do festival.

Molho Negro (PA), Simetria Oposta (PA) e Turbo (PA)
Como nos outros dias do festival, o último também começou com as atrações escaladas através das Seletivas Se Rasgum que agitaram Belém e Bragança durante os meses de junho e julho. A despedida do Se Rasgum começou com rock/blues o quarteto da cidade de Capanema, interior do Pará, Simetria Oposta. Em seguida foi a vez do rock do Molho Negro que influenciados por Danko Jones, Black Rebel Motorcycle Club e The Vines, o trio levou ao festival musicas do segundo disco “Lobo” lançado em maio deste ano e como vimos bem recebido pelo público. Em seguida foi a vez da Turbo com uma apresentação performática e cheia de energia.

Violeta de Outono & Pio Lobato (SP)
Rock progressivo, post punk, psicodelia e pop direto do underground paulista dos anos 80 desembarcou no palco do Se Rasgum. O público entrou na viagem sonora da banda que ainda convidou o guitarrista paraense Pio Lobato para as duas últimas musicas do show.

Jaloo (PA)
Jaloo (PA) foi a apresentação mais impressionante do festival. Residindo em São Paulo, o músico se divide entre seu trabalho como produtor (assina a produção de alguns funkeiros da “ostentação” da periferia paulista), como também investe em sua musica que mergulha no universo pop com pitadas de tecnobrega. Com uma personalidade única e inconfundível, Jaime aka Jaloo levou dois dançarinos para o palco e musicas viciantes como uma que traz o amor entre um ET e uma ribeirinha. Jaloo provou que Bjork, Sia, The Knife e Robyn também ficam muito bem nas batidas do tecnobrega.

El Mató a un Policía Motorizado (ARG)
Não parecia que esta era a primeira apresentação da banda em Belém. O público do Se Rasgum sabia todas as músicas e pularam ao som da banda argentina criada em La Plata há 11 anos. O repertório foi um mix dos Eps e dos dois discos de carreira do grupo.

Pelvs (RJ)
O som não ajudou muito o show da carioca Pelvs, um dos maiores nomes do indie brasileiro, no festival que levou o show comemorativo do primeiro disco do grupo, “Peter Greenaway’s Surf” que completou 20 anos. A Pelvs surgiu em 1991, sob influência de vinis garimpados, como New Order, Midnight Oil e Cocteau Twins. Esta foi a primeira apresentação da banda em Belém.

Bass Drum of Death (EUA)
Este foi o primeiro show da banda americana em terras brasileiras. Com duas guitarras e uma batera, Formada por John Barrett, a Bass Drum of Death foi surpreendida pela platéia do Se Rasgum que conhecia algumas de suas músicas como “Crawling after you”, que faz parte da trilha do jogo de vídeo game GTA V. Seu som garageiro com forte influência dos anos 90 era tudo o que os roqueiros de plantão do festival queriam escutar.

Felipe Cordeiro (PA)
Felipe Cordeiro (PA) subiu emocionado no palco Este último comemorava a volta ao festival e a Belém (atualmente reside em São Paulo). “Comecei a cantar pra valer no Se Rasgum e logo fui convidado para o Rec Beat (PE), Prata da Casa (SP) e Terruá Pará. Passa um filme bom na cabeça de muitos desdobramentos que meu show em 2010 rendeu”, disse Felipe Cordeiro que fez um show efusivo apresentando faixas do disco mais recente “Se apaixone pela loucura de seu amor. Felipe ainda deu uma canja no show de Arnaldo Antunes cantando “Tarja Preta”, musica que fizeram juntos e faz parte do disco do paraense.

Arnaldo Antunes (SP)
Arnaldo Antunes ficou com a responsabilidade de encerrar a 9a edição do Se Rasgum, uma das melhores do festival paraense. Com um artista como ele, não tem erro. “Muito muito louco”, “Meu coração”, “Fora de Si”, “O Pulso”, entre outras canções estavam no repertório perfeito para se despedir do festival. Vida londa ao Se Rasgum.

Sem mais artigos