RYAN ADAMS
Easy Tiger
[Lost Highway, 2007]

O talento de Ryan Adams é multi-facetado. Mesmo quando decide se voltar às raízes do country, produz um dos mais belos discos pop do ano. Seus discos anteriores tinham a clara intenção de atingir o um público maior. Este novo álbum está sendo vendido como uma volta à boa forma de seus discos aclamados pela crítica, Heartbreaker (2000)  e Gold (2001). Isto é verdade, em partes.

As músicas de Easy Tiger soam tão vintage, que algumas chegam a ser bregas, como “Tears Of Gold”. Nas demais, isto é uma coisa boa, como “Rip Off” e “Two Hearts”. Ecos de um Neil Young também podem ser ouvidos. A voz de Adams, antes dada a experimentações, está mais contida, condizente com o estilo do álbum, prosaico e simples.

Alguns afirmaram que este novo disco é uma tentativa de retorno à sonoridade do Whiskeytown, formado por Adams aos 20 anos. Easy Tiger não tem o frescor juvenil da antiga banda, mas recoloca o cantor na ponta do alt-country, de onde sempre foi o principal representante.

Sobre Ryan Adams ser multifacetado, no seu site estão disponibilizados mais de 11 discos para download, todos sob pseudônimos, dos mais variados gêneros, entre eles o Hip-Hop, como DJ Reggie e The Shit, hardcore.

Easy Tiger, sem pseudônimos, é a essência do garoto prodígio do country atual. [Paulo Floro]

NOTA: 7,0

Sem mais artigos