Ryan Adams

AMIGO DE SEMPRE
Novo disco de Ryan Adams reforça principal qualidade do astro folk, a de criar empatia com o ouvinte através das letras
Por Lidiana de Morais

RYAN ADAMS
Cardinology
[Lost Highway, 2008]

Ryan Adams é um astro polivalente. Dificilmente algum outro artista (que não seja Frank Zappa) tem uma média tão boa de lançamentos de trabalhos inéditos. E não importa se as más línguas dizem que tanta disposição é efeito de algumas coisinhas “meio ilícitas”. O que realmente deve ser levado em conta é que Ryan é um artista plural: ele pode ser um rock star, um folk star, um pop star… qualquer coisa, mas sempre a palavra estrela vai poder ser relacionada.

O interessante nas canções de Adams em Cardinology é que por mais simplória que a estrutura dela pareça dificilmente o ouvinte fica imune às palavras do cantor. “Natural Ghost” entra neste rol. A melodia pode ser praticada por qualquer pessoa que esteja estudando os instrumentos, mas a frase “You make me feel like I’m not here and I am, I am more than you think I am” parece capturar uma sensação que já nos perseguiu inúmeras vezes, mas nunca tivemos a capacidade de descrevê-la. Então agora você fez a descoberta que pode revolucionar a sua existência: Ryan Adams tem a capacidade de descrever tudo o que você desejar. E não faz mal nenhum se apropriar dos pensamentos dele.

Seja cantando “If I fall, would you catch me? If I fall, would you pity me?” em “Cobwebs” ou “I will always love you, so go easy on yourself” em “Go Easy”, Ryan prova que sabe compor e que a comparação com Bob Dylan é merecida. O que diferencia estes dois artistas, além dos anos de idade, é que Ryan não parece se levar tão a sério. Uma das canções mais empolgantes de Cardinology, “Magick” poderia ser a trilha de um comercial que passava na TV a cabo, no qual inúmeros bolinhas coloridas iam se espalhando pela cidade, a inundando de cor. A verdade é que Ryan tem a liberdade de fazer o que quiser, ele não precisa escolher se quer escrever “mágica” com c ou com k. Este direito poucos adquirem e ele o obteve porque consegue manipular os sons assim como um maestro que pode encher uma sala de concerto com cores vibrantes ou então tornar aquele ambiente um lugar repleto de tons de cinza.

Em alguns anos, quando você tiver filhos e estiver tendo uma conversa sobre música e ídolos e ele te perguntar sobre um artista com quem você se sempre se identificou, Ryan Adams tem grandes chances de ser o eleito. Não importa a fase, a canção ou o estilo, Adams sempre tem uma música que serve como aquele amigo que precisamos, seja para nos dar um ombro ou para dividir as alegrias conosco.

NOTA: 8,0

Sem mais artigos