Divulgação

As duas integrantes da banda russa Pussy Riot ainda presas, foram transferidas para campos de trabalho no interior da Rússia, afirmou nesta segunda (22), advogados e ativistas. As informações são da BBC. Nadezhda Tolokonnikova, de 22 anos foi para Mordovia e Maria Alyokhina, 24, enviada para Perm, ambos centenas de quilômetros de Moscou.

Os campos eram usados na era soviética como grandes presídios e segundo ativistas, até hoje são conhecidos como “os lugares mais crueis existentes na Rússia”. O governo russo não confirma essas transferências. Neste mês, uma das três integrantes detidas foi liberada da prisão. Yekaterina Samutsevich foi solta depois do tribunal entender, na apelação, que ela foi detida antes de realizar o protesto.

A justiça russa condenou as integrantes por “vandalismo motivado por ódio religioso” depois que elas realizaram um protesto na Catedral de Moscou contra o governo. Depois de presas, elas foram condenadas a dois anos de prisão.

Sem mais artigos