Dando sequência à proposta visual de seu disco de estreia, 12:00, lançado no último mês de março, o trio paraibano de trip-hop Rieg mostra Rieg 12:00, um filme inédito que ilustra a trajetória do álbum por meio do conceito de “sample visual”.

A história contada no filme é a mesma narrada ao longo do disco: um jovem que encontra no sótão de casa fitas VHS escondidas que revelam segredos obscuros sobre seu falecido pai e trazem a tona um drama psicológico enfrentado pelo protagonista.

Logo no início da obra, uma narração em off do protagonista conta como ele descobriu tais fitas. Depois da introdução, o vídeo inicia seu ‘sample musical’ misturando registros aleatórios, retirados de fitas dos anos 90 obtidas em fóruns virtuais da dark web, com cenas atuais da banda tocando cada uma das canções do disco, além de outras ficcionais encomendadas para atores amadores via internet – todas sob efeitos de filtros, cores e cortes que geram uma narrativa visual única a partir dessa estética VHS.

“Esse filme é a grande conclusão do disco 12:00. Estamos nos colocando no lugar do adolescente que está assistindo as fitas do pai falecido, passando por todos os sentimentos em relação ao mundo estranho do pai”, explica o vocalista Rieg.

O artista e VJ Artus Richart assinou todas as projeções e iluminação do filme. Em especial nas canções “Red dress dresser”, “Sundriedeyes”, “Virgin Suicides”, “12:00”, “I Don’t Know” e “witchwitchwitch”, tais inserções visuais, adicionadas às performances artísticas da Paralelo Cia de Dança e de Iuri Araujo, traduziram visualmente as perspectivas conturbadas do protagonista dentro da narrativa, no que Rieg chama de uma “soma de linguagens imersivas”.

De João Pessoa (PB), a Rieg é formada pelo americano e alemão Rieg R (voz/sampler/synth), Daniel Jesi (baixo) e Nildo Gonzalez (bateria) e já possui oito anos de existência, cinco EPs e um disco lançados, se colocando com um dos nomes mais interessantes da recente cena independente paraibana.

Ouça o disco:

Sem mais artigos