MAIS UM DISCO COLETIVO
Seguindo a tradição ianque de reunir artistas para cantar em prol de desgraças, mais uma edição do Rhytmos Del Mundo é lançada pela Universal

Por Fenando de Albuquerque

RHYTHMS DEL MUNDO – Classic
Vários Artistas
[Universal Music, 2009]

Já se tornou um clichê da american culture aquela corja de artistas reunidos para arrecadar benefícios para vítmas de catástrofes mundiais. Para as crianças pernetas da África. Para as mães solteiras da Malásia. Para os eternos desabrigados do furacão Katrina. Não que esse tipo de assistencialismo privado seja mau. Muito pelo contrário. As ONGs estão aí né! Sempre preparadas para o que der e vier. Dou a maior forcinha. Mas quando a coisa vem com a fotinha de Obama instalada bem no encarte…dá um pouco de receio. Muito receio. A dúvida fica maior ainda quando os artistas pseudo-ianques (porque tem gente do mundo todo) se unem à músicos cubanos. E nessas horas é a vez de se perguntar: cadê o embargo?!

Essa é a situação do álbum Rhythms del Mundo que irá beneficiar vítimas de desastres naturais pelo mundo inteiro e projetos em prol das questões climáticas. O disco reúne Ibrahim Ferrer, Vânia Borges, Sting, U2, Omara Portuondo, Jack Jonhson, The Zutons, Amy Winehouse, Keane, Jack Johnson, The Kooks, Cat Power, Eros Ramazotti, entre outros. Todos entoados por uma espécie de estilo cubano de construir boa música com percussão, piano, violões e vozes em ritmo de felicidade e prazer.

Tal como a lista de cantores, o set list é megalômano. A seleta procura abranger as “canções mais memoráveis dos últimos 40 anos”. E aí entra desde “Hotel California”, “Under Pressure”, “Big Yellow Taxi”, “Smells Like Teen Spirit”, “Bohemian Rhapsody” e mais algumas outras beldades. Com qualquer seleta muita coisa boa foi deixada de fora. Este álbum é o mais recente projecto da Artists Project Earth (APE) e segue os passos do primeiro lançamento Rhythms Del Mundo-Cuba! (ft. Coldplay, U2, Radiohead, Arctic Monkeys e outros), que foi platina e ouro em muitos países em todo o globo.

As interpretações são boas, principalmente a “I Heard It Through The Grapevine” que ganhou versão renovadíssima nas mãos do Kaiser Chiefs. Outra que vale muito a pena ouvir é “Big Yellow Taxi”  na voz Aquila Rose & Idana Valdes.

Nota: 6,0

Sem mais artigos