asbahias

O projeto Salada das Frutas lotou o Catamarã, no Cais do Forte das Cinco Pontas, no Recife, neste domingo (3), com show de As Bahias e a Cozinha Mineira, Tássia Reis e Liniker e a banda Caramelows.

Quando Assucena Assucena subiu ao palco, cabelos ao vento – favorecidos pela brisa suave do Catamaran – acompanhada da parceira musical Raquel Virgínia e de uma banda concentradíssima, o público talvez ainda não imaginasse o que aquela noite estava significando. Pela primeira vez no Recife, do grave ao agudo, as vocalistas de As Bahias e a Cozinha Mineira, deram seu recado: travesti (e trans) não é bagunça!

Daquela performance que provocou uma verdadeira catarse entre espectadores que não seguravam seus queixos firmes, não espere referência na música popular brasileira atual. No entanto, uma artista despertou nas integrantes a vontade de compor e dialogar a transexualidade vivenciada pelas duas. “A formação da banda é mineira, mas o quadro mudou quando eu e a Raquel passamos a compor freneticamente depois de ouvir as obras da Gal Costa”, explica Assussena Assussena. A diva tropicalista inspira o grito de liberdade traduzido do disco Mulher, gravado pelo grupo em 2015.

Em seguida a rapper Tássia Reis também mostrou que sabe lacrar com música pra refletir. Seus temas? Machismo e a questão negra. “Eu, como mulher negra tenho quase um espaço nulo pra falar sobre mim. Então agora eu vou falar”, avisou a paulistana.

Mas foi ao som de um sonoro “parabéns pra você” que a maior sensação da MPB atual subiu ao palco. Canceriano de Araraquara (SP), agora com 21 anos recém-completos, Liniker agradeceu o carinho da plateia e mandou ver na performance e nos vocais arrojados, acompanhado da banda Caramelows. No repertório, muito swing e groove. Liniker prepara o seu aguardado disco de estreia para este ano. O álbum está com financiamento coletivo aberto este mês. A festa fez jus ao tema: foi uma deliciosa Salada das Frutas.

liniker

Sem mais artigos