Nena Cajuína, prostituta que ganhou medalha de honra, em destaque no Recifest. (Divulgação).

Nena Cajuína, prostituta que ganhou medalha de honra, em destaque no Recifest. (Divulgação).

O Recifest– Festival de Cinema da Diversidade Sexual e de Gênero, entra em sua terceira noite nesta quinta (17) com destaque para curtas pernambucanos. O que chama atenção neste ano é o mix de estéticas e narrativas, com obras de ação, suspense, drama, entre outros. O evento ocorre no Cinema São Luiz, na Rua da Aurora, no Recife, até o dia 19 de novembro, a partir das 18h. A entrada é grátis.

Leia Mais
A programação completa do Recifest

Entre os destaques deste ano está Nena Cajuína, filme sobre Nivalda Rafael de Siqueira, de 67 anos, uma das mais famosas prostitutas do Sertão de Pernambuco. Com direção de Almir Guilhermino, o curta acompanha a trajetória de Nena, que iniciou na prostituição aos 13 anos e teve a vida marcada por sofrimentos e luta. Ela acabou criando um bar que leva seu nome e que a fez famosa no Interior. Por sua superação e empoderamento ela recebeu uma homenagem da Câmara Legislativa de sua cidade, a Medalha de Honra ao Mérito Cardeal Arcoverde. O filme tem ainda trilha sonora com participação de Lirinha.

Outros destaques são Quarto Para Alugar, de Enock Carvalho e Matheus Farias, que traz um thriller com personagens LGBT e que ganhou destaque no último Janela Internacional de Cinema e agora está rodando festivais, entre eles o Mix Brasil deste ano. Já Um Brinde, de João Vigo, vencedor de melhor curta-metragem segundo o júri popular no Festival de Triunfo. A noite traz ainda Irma – Era uma vez no sertão, de Camilla Lapa e Lorena Arouche, com a atriz Irma Brown em meio a um faroeste sertanejo.

Os outros filmes da mostra competitiva pernambucana são Faz que vai de Bárbara Wagner e Benjamim de Burca; Angu.doc, de André Brasileiro e Vinícius Vieira; Milagres, de Adalberto Oliveira; e Transexualidade masculina, de Lucio Souza, Emannuel Nascimento, Bianca Pereira e Giselle Cahú.

Sem mais artigos