No próximo dia 3 de fevereiro o festival Rec-Beat realiza mais duas prévias de sua 23ª edição. O shows gratuitos acontecerão mais uma vez Olinda (Centro de Cultura Luiz Freire) e, pela primeira vez, em Caruaru (Estação Ferroviária), com o intuito de chamar atenção para o som de novos artistas locais. A programação completa e majoritariamente feminina foi divulgada nesta sexta-feira (26).

A programação do projeto Rec-Beat Apresenta em Olinda é dedicada aos novos nomes da cena musical alternativa. Este é o quinto ano em que o Festival realiza o Apresenta e o segundo ano consecutivo em Olinda, desta vez fazendo um retorno às origens do Rec-Beat, que teve suas primeiras edições em meados dos anos 90, também no Centro Luiz Freire.

As apostas do Apresenta esse ano focam no universo musical feminino e trazem Doralyce Gonzaga, 808 Crew, a junção Luísa & Os Alquimistas + Musa Híbrida e a DJ Milena Cinismo.

A realização desta edição ocorre em parceria da Rec-Beat Produções com a marca Ipanema e a PWR Records, dentro do projeto PWR Tour que nasceu do #meuprojetoverão, mostrando iniciativas de mulheres incríveis pelo Brasil. Já o selo digital PWR vem se destacando nacionalmente, fortalecendo e estimulando a presença das mulheres na música.

A convite da PWR Records, Musa Híbrida (Rio Grande do Sul) une seu show com Luísa e os Alquimistas (Rio Grande do Norte). Musa Híbrida é um trio, se equilibra em um tripé orgânico e eletrônico, bandolim, com beats, sintetizadores, samples e outros efeitos tecnológicos. Já Luísa, com seus alquimistas, mistura cumbia, dubstep, ragga e tecnobrega em beats eletrônicos em português, inglês, espanhol e francês.

A compositora olindense Doralyce Gonzaga, radicada no Rio, faz do seu canto uma forma de resistência e reflexões, mostrará seu primeiro EP Canto da Evolução. O grupo de rap feminino 808 Crew usa sua música como instrumento de combate à violência de gênero. As letras versam sobre questões sociais a partir de uma perspectiva feminista. A discotecagem fica por conta da DJ Milena Cinismo, que traz em seu set músicas inspiradas e produzidas por artistas negra/os, do afrohouse, r&b, rap, hip- hop, kuduro e dancehall.

Em Caruaru, o Rec-Beat desembarca com uma amostra do que acontece no tradicional palco do Recife. Leva para o Agreste do estado: Ifá, Rimas.INC, Arrete e Rasga Mortalha. Os shows acontecem na Estação Ferroviária, ao ar livre, proporcionando pela primeira vez ao público do interior um pouco da experiência do Festival.

Na abertura, intervalos entre as bandas e para encerrar a noite, Rimas.INC envereda pela música pop e eletrônica, junto a outras sonoridades garimpadas em sua constante pesquisa. O DJ faz parte da nova safra de djs e produtores da música grave brasileira. Representantes locais do Agreste, a banda Rasga Mortalha mostra seu rock temperado por ritmos nordestinos e brasileiros.

Na sequência, o grupo feminino Arrete apresenta o show do seu primeiro disco Sempre com a Frota, de hip hop, rap e ragga com tempero regional. A banda baiana Ifá mergulhará o público no universo do afrobeat, dub, reggae, funk e também no Ijexá, dos blocos afro e afoxés baianos.

Rec-Beat 2018
O Rec-Beat já confirmou também na programação de sua 23ª edição a banda Fémina, a banda Carne Doce (Goiânia), Larissa Luz (Bahia), Xênia França (São Paulo) e Ana Muller (Espirito Santo).

A 23ª edição do Festival acontecerá de 10 a 13 de fevereiro de 2018, durante os quatro dias no Carnaval do Recife, no Cais da Alfândega. A programação é gratuita.

Sem mais artigos