Foto: Reprodução (via LATimes)

Da Revista O Grito!

Morreu nesta quarta (6), Ray Bradbury, um dos mais importantes escritores de ficção-científica, autor de Fahrenheit 451, O Homem Ilustrado e da série Crônicas Marcianas. Bradbury tinha 91 anos e faleceu em Los Angeles, nos EUA.

Leia Mais: Ray Bradbury
A felicidade como opressão: crítica de Fahrenheit 451 em HQ

Além de escritor, Bradbury também era arquiteto e poeta. Nasceu no Estado de Illinois, nos EUA, em 1920, mas logo mudou-se com a família para Los Angeles, nos anos 1930. Começou publicando fanzines, mais notadamente Futuria Fantasia, quando tinha 18 anos. Um dos seus trabalhos mais conhecidos, Fahrenheit 451 viria em 1953, falando sobre uma sociedade futurista em que livros são proibido. Ganharia uma adaptação para os cinemas pelo cineasta François Truffaut.

Ele também teve muita influência nos quadrinhos. Duas HQs adaptadas de obras suas foram publicadas recentemente pela editora Globo, Fahrenheit 451 e As Crônicas Marcianas, que chegou às livrarias mês passado. Bradbury esteve envolvido no processo e chegou a assinar a introdução deste último lançamento.

Seus livros nunca tiveram um tratamento à altura de sua importância aqui no Brasil. A editora Bertrand Brasil, que lançou Algo Sinistro Vem Por Aí emitiu uma nota de falecimento hoje. Além de lamentarem o falecimento, prometeram para este ano ano a publicação de O Licor de Dente-de-Leão. Ao todo, o autor soma mais de 40 obras publicadas.

Pelo seu trabalho, Bradbury também recebeu uma menção especial do Prêmio Pullitzer, em 2007.

Sem mais artigos