MARVEL ANUAL 02 – OS LIVROS DO DESTINO
Ed Brubaker (texto) e Pablo Raimondi (arte)
[Panini, R$ 148 págs, R$ 14,90]

O que leva uma criança a acumular maldade suficiente durante sua vida para se tornar o vilão mais temido do planeta? Esta é a pergunta que acompanha a sinopse de Os Livros Do Destino, que a Paninoi lança em edição encadernada dentro da Universo Marvel Anual 02. Uma pergunta mais pertinente seria: como criar uma história relevante para um personagem preterido nos últimos anos dentro das sagas do Universo Marvel? O escritor Ed Brubaker sabe bem. Anos de experiência com a série Criminal e à frente do título do Demolidor mostrou que sua especialidade são mesmo as tramas soturnas, um tanto reflexivas e acompanhadas de um clímax antes do final. Isso caiu como uma luva nesta HQ do Destino. O vilão já teve boas histórias, mas nenhuma se compara à inovadora Destino 2099, escrito por John Francis Moore e mais tarde por Warren Ellis. Este aqui não chega perto da abordagem política, mas ainda assim é uma boa história de Victor Von Doom, ainda que peque um pouco pelo tom didático que impõe para contar a origem do soberano da Latvéria. [PF]

NOTA: 7,0

CALVIN E HAROLDO – YUKON HO
Bill Waterson (texto e arte)
[Conrad, 148 págs, R$ 29,9]

Mais um volume de Calvin e Haroldo que a Conrad lança na sua proposta de publicar toda a série de Bill Waterson na íntegra. Editorialmente está dando muito certo: até agora os três álbuns publicados pela editora brasileira permaneceram 35 semanas nas listas dos mais vendidos. O que é incrível para o mercado de quadrinhos do Brasil. Aqui, Waterson continua usando o pequeno Calvin, garoto hiperativo de seis anos cujo maior amigo é Haroldo, um tigre de pelúcia, para falar sobre política, cultura e sociedade. Claro que isso apenas os adultos conseguem perceber. Mas parece que a leitura fica mais saborosa para aqueles adultos que não esqueceram a infância. Pra completar, a Conrad está lançando a obra em seu formato original e com nova tradução. [PF]

NOTA: 8,5

CICCA DUM-DUM – DESAFIANDO AL CAPONE
Carlos Trillo (texto) e Jordi Bernet (arte)
[Zarabatana, 64 págs, R$ 30]

Ter publicado no Brasil algo do roteirista argentino Carlos Trillo é de cara a notícia mais importante. O lançamento Cicca Dum-Dum poderia se fazer apenas por aí. Mas ele tem mais: o espanhol Jordi Bernet também está no balaio. Ainda falta motivos para comprar a HQ? Que tal o jeitão pulp descarado da trama, que mostra a femme fatale que dá título ao livro desafiando toda a máfia. A protagonista é Cicca, a garota dum-dum que fugiu de Chicago para Nova York depois de se complicar com um golfe financeiro em ninguém menos que Al Capone. A história não tem nada de inovador, mas tem muito charme. Parece ter sido feita para abraçar um público não muito afeito aos quadrinhos dada a sua linearidade e pouca utilização de elementos narrativos próprio das HQs. Esta aventura erótica é contada de maneira brilhante por Trillo, daquelas leituras difíceis de largar antes da última página. [PF]

NOTA: 8,0

Sem mais artigos