PREACHER ESPECIAL 1 – O CAVALEIRO ALTIVO E A HISTÓRIA DE VOCÊ-SABE-QUEM
Garth Ennis (texto) e Steve Dillon e Richard Case (arte)
[Pixel Media, 118 págs, R$ 10,80]

Preacher é uma das séries mais controversas da Vertigo. Seu texto é a catarse criativa de Garth Ennis, que criou a série e ficou famoso com uma trama ultra-violenta, sarcástica, cheia de referências ao modo de vida americano.

Um dos principais motes de qualquer argumento do irlandês Garth Ennis é pôr em xeque os valores estadunidenses. Para os não-iniciados ele pode parecer um dos seres mais preconceituosos dos quadrinhos. Todas as nacionalidades, raças, classes sociais, sempre aparecem em suas histórias de maneira estereotipada e exagerada. Esta é na verdade uma das genialidades do escritor, pois é a forma exata como os ianques vêem os outros.

Não há lugar para condescendência em Preacher. Tudo é resolvido muito rápido, os personagens vivem no limite e as saídas precisam ser escabrosas e com litros e litros de sangue. E assim, os autores conseguem encontrar vias nada comuns para falar de política, religião e outros temas. Esta edição especial é uma compilação de duas histórias fora da cronologia normal. A primeira delas, O Cavaleiro Altivo mostra o pastor Jesse e sua namorada Tulipa, antes de se juntarem ao vampiro irlandês Cassidy. Pra quem acompanha é interessante conhecer o passado dos personagens. Quem não conhece Preacher, irá se familiarizar com a violência da série logo de cara.

A outra metade da revista mostra a origem de um dos vilões mais criativos das HQ’s, o Cara-de-Cu. Desenhada pelo indie Richard Case, é uma fábula dos anos 90, muito bem sintetizada e desenvolvida por Ennis. Antes de se tornar a aberração de fala incompreensível, conhecida como Cara-de-Cu, Root era um adolescente típico, com camisa de flanela e fã do Nirvana. O pai era um xerife alcoólatra extremamente violento, a mãe, consumida pelo tédio e um casamento fracassado, vivia entre a vodka e a igreja. A história possui uma narrativa excitante, pontuada por diversas referências à música dos anos 1990, de grupos como Pearl Jam. O escritor conseguiu registrar todo o tédio daquela geração, que se viu perdida com o suicídio de Kurt Cobain. Este fato tem um fator essencial na trama, como teve na vida de milhares de jovens à época.

A busca pela aceitação do pai, a descoberta do sexo, o desejo de matar e de sentir vivo, bem como todas as transformações adolescentes, mostradas sem apelar à uma leitura piegas ou enfeitada, é o grande trunfo de A História de Você-Sabe-Quem. Ennis não faz concessões. O final da trama, humaniza um dos vilões mais interessantes das comics americanas e explica sua psique meio perturbada, em querer destruir o assassino de seu pai. Mais do que a origem de um vilão, é a história da geração loser, de pessoas comuns, que se viram perdidas após Cobain ter dado um tiro em si mesmo.

A edição da Pixel está primorosa e foi uma boa idéia unir os dois especiais (Cavaleiro Altivo já tinha sido publicado). A série regular será retomada de onde a editora Devir parou, com o álbum Rumo ao Sul, para breve. Com personagens perdedores, criminosos, sem rumo, Garth Ennis mostra o avesso do american way of life. Tenha certeza: não há nada mais violento. [Paulo Floro]

NOTA: 9,0

Sem mais artigos