Na tentativa de desvendar a causa da morte do ator Heath Ledger, a polícia encenou uma reconstituição, em seu apartamento, de seus últimos momentos. Tudo muito confuso, segundo os tablóides on-line. Estão envolvidos uma ligação para a atriz Mary-Kate Olsen, uma massagista desesperada tentando acordar o ator e a presença da empregada no quarto, momentos antes de ele ser encontrado morto.

Ainda acredita-se que a morte tenha sido causada por overdose acidental, mas já se precisa a hora: Ledger morreu provavelmente entre 13h e 14h45, na terça-feira (22). A empregada do ator, Teresa Solomon, teria entrado no apartamento com sua própria chave. Por volta das 13h, ela teria entrado no quarto para trocar uma lâmpada, viu Ledger dormindo e até escutou-o roncar. Ela deixou o quarto achando que nada estivesse errado. Às 14h45, uma massagista apareceu para sessão agendada com o ator, que não atendeu a porta do quarto quando ambas bateram. Ela entrou no quarto, preparou a mesa de massagem e tentou acordar Ledger.

Wolozin disse à polícia que, a essa altura, o ator já estava frio, mas ela achou que ele estava apenas inconsciente. Ela pegou o celular de Ledger e ligou para a atriz Mary Kate Olsen, cujo número estava na memória – os dois eram amigos- e perguntou a ela o que deveria fazer. Olsen, que também vive em Manhattan mas se encontrava na Califórnia, respondeu dizendo que enviaria seus seguranças privados para ajudar na situação. Na seqüência, a massagista ligou para o resgate. A atendente da emergência ainda orientou Wolozin nas técnicas de reanimação. <

A perícia ainda não concluiu o inquérito e a primeira necrópsia foi dada como inconclusiva.

Sem mais artigos