No final do ano passado, em meados de novembro, o artista gaúcho Guazzelli se lançou num projeto ousado: iria desenhar – obstinado – 365 desenhos de piscinas. Elas estão agora na capa e no interior da revista piauí deste mês, que chega às bancas a partir de hoje. Mas porque piscinas? O que esses espaços tem para despertar o interesse criativo de um dos mais talentosos nomes dos quadrinhos nacionais?

Segundo Guazelli, as piscinas são fruto do trânsito caótico de São Paulo. Desde que começou a utilizar o carro para seus realizar seus deveres de pai – como levar a pequena Flora ao colégio, entre outras atividades – tem perdido média de 3 horas diárias no congestionamento. “Angustiado com prazos e deveres resolvi que o para-e-anda (mais para-e-para) serviria pra alimentar o blog“, diz. “Passei a levar no carro um bloquinho (que virou mais de um) que a cada espera eu rabisco”.

Assim começou o projeto, que hoje preenche grande parte do blog do artista. A explicação – sé é que é preciso ou possível uma explicação, vem num texto publicado em seu blog. “Piscinas são muito boas de desenhar. Sempre tive inveja do David Hockney que tomou posse definitiva do tema há mais de 50 anos. Adoro em especial as piscinas modernistas decadentes, desde que li Os Comediantes, livro muito legal do Graham Greene que se passa num hotel abandonado no Haiti do Papa Doc, lá nos anos 1960”, elucubra.

“Enfim, enquanto estiver atolado nesse mar de carros neuroticos e natalinos vou continuar esta brincadeira”, completa.

Guazelli lançou em 2007 dois elogiados álbuns, O Relógio Insano e O Primeiro Dia. Também tem HQ’s publicadas na revista Graffiti 76% Quadrinhos. Mais do trabalho do autor no blog pessoal. A revista piauí é vendida em todo o país ao preço de R$ 9,50.

Sem mais artigos