PETE TUMULTO
Confira as maiores 10 confusões do mais novo drugstar do planeta
Por Mariana Mandelli

O sobrenome dele é Doherty, mas poderia ser confusão, encrenca, negligência, atrasos, roubo, drogas (e aqui vale colocar os mais diversos tipos de substâncias ilícitas existentes, desde maconha até heroína e crack) e qualquer outra palavra que signifique tumulto ou controvérsia. Ícone da atual cultura pop, cultuado por milhares de jovens ao redor do mundo, Pete Doherty é, além de líder do Babyshambles e ex-membro do Libertines, a alegria dos tablóides por ser o encrenqueiro protagonista do cenário musical contemporâneo.

Sério candidato a morrer de overdose, pois leva muito a sério o velho sonho de viver intensamente e morrer jovem, Pete também é um grande compositor, um aclamado vocalista e um gênio do indie rock. Só que sua falta de limites e sua inconseqüência o transformaram em um verdadeiro drugstar, deixando a promissora e brilhante carreira de rockstar para trás – muitos garantem que ele não chega aos 30 anos.

Acompanhe a lista de dez atos de Pete Doherty que narram sua autodestruição e seu processo voluntário de corrosão moral e física mundo afora:

1
Pete foi eleito, em 2004, a pessoa mais cool da mídia em lista realizada pelo semanário musical NME. Entretanto, a revista achou um verdadeiro absurdo um convicto – e assumido – viciado em drogas superar diversos outros nomes de maior relevância musical. Em 2006, outra pesquisa do NME com dois mil leitores elegeu Pete como a segunda maior estrela do rock de todos os tempos. O primeiro lugar ficou para Kurt Cobain, ex-líder do Nirvana;

2
As viagens de droga e as incontáveis experiências ilícitas resultaram em um livro escrito por Pete e uma soma de 225 mil euros. A autobiografia é baseada em seus diários, que, segundo o próprio Pete, são um “incrível nonsense”. Ele ainda disse que “é um livro muito pessoal e muito aberto, com material que as pessoas não viram antes, pensamentos íntimos, muito íntimos”. Pete também virou best-seller de literatura infantil. O livro A Boy Called Pete leva às crianças noções do perigo que representa o mundo das drogas. A história da obra traz Pete e sua amiga Kate (que seria a modelo Kate Moss) em várias polêmicas devido ao consumo de entorpecentes. O autor do livro é Peter Robinson, que deu um recado ao seu público-leitor: “drogas de classe A não são boas para você. Elas te deixam fedido e fazem você parecer bagunceiro”.

3
Ao roubar um carro de um traficante, Pete disse que quase foi morto. O cantor estava sob efeito de drogas e foi pego pelos criminosos, que deram uma surra em Pete, o enforcaram e o colocaram de cabeça para baixo em um prédio, balançando seu corpo.

 

Babyshambels (Foto: Richard Skidmore)

4
Talvez o ápice da trajetória junkie de Pete seja esse: ele injetou heroína em uma fã. Em 2006, o tablóide The Sun publicou fotos de Pete aplicando a droga numa jovem desacordada, deitada no chão de sua cozinha. As imagens – feitas por amigo de Pete – ainda mostravam o líder do Babyshambles fazendo um torniquete, fumando crack e tatuando seu braço em meio a sangue. Além disso, Pete ainda teria usado as agulhas já utilizadas e escrito com seu próprio sangue nas paredes. As fotos renderam a Pete um interrogatório na Scotland Yard.

5
A própria mãe de Pete reconhece o vício do filho e, de certa forma, é condescendente com a situação. No fim de junho deste ano, Jacqueline Doherty disse à imprensa que Pete ainda “está longe de largar as drogas”, pois “não está preparado para desistir agora”. Ela ainda afirmou que seu filho ainda vai “ter de bater no fundo do poço antes de conseguir levantar-se novamente”. Resta saber o que é o fundo do poço para ela, depois de tantas prisões, fianças, flagras de consumo de drogas e reabilitações.

6
Em 2006, Pete foi eleito pelos internautas britânicos o pior pai da mídia. Com 18% dos votos, ele passou até Michael Jackson, segundo lugar no ranking. A criança em questão chama-se Estile e é fruto de um relacionamento de Pete com Lisa Moorish. Pete também foi eleito o “companheiro de quarto dos infernos” de acordo com uma pesquisa do tablóide The Sun. Segundo testemunhas, ele e Kate Moss foram retirados do palco da banda inglesa Arctic Mokeys durante a edição 2006 do festival de música Glastonbury.

7
Como não poderia deixar de ser na carreira de um drugstar, Pete se envolveu em brigas e casos de violência física. Ele já foi multado (em US$ 1.500) por agredir um repórter, ao tirar, bruscamente, um microfone das mãos do jornalista. Durante uma festa, socou um ator amador chamado Mark Blanco. Em 2005, durante o festival de Leeds, agrediu Johnny Borrel, vocalista da banda de indie rock Razorlight. Pete deu uma cabeçada em Borrel aparentemente sem motivo. Em 2006, jogou seu próprio sangue (que estava dentro de uma seringa guardada em sua roupa) nos jornalistas durante uma entrevista à MTV alemã.

Divulgação

8
O garoto-problema do indie rock gosta de se envolver em declarações bombásticas. Liam Gallagher, do Oasis, já declarou: “O Doherty já está todo acabado. Meninos frescos não podem usar drogas, cara. Eles são pesos-leves”. Até Ozzy Osbourne já ofereceu ajuda a Pete: “Fico chateado de ver como ele está destruindo sua vida”. Enquanto isso, Pete sai por aí anunciando coisas do tipo: “eu sei exatamente onde está o botão da autodestruição; eu só tenho que resistir à tentação de apertá-lo”.

9
Figurinha carimbada em julgamentos e delegacias mundo afora, Pete tem inúmeros processos, condenações, condicionais, prisões e fianças em sua ficha criminal. Ele já foi detido em um vôo para Barcelona (uma seringa foi encontrada no banheiro do avião) e conseguiu ser preso duas vezes em dez dias. Dirigiu embriagado, teve posse ilegal de armas, saiu da reabilitação com drogas, entre outras dezenas de acusações. Entre as condenações, Pete já foi condenado a se submeter a 18 meses de tratamento em um programa de reabilitação, a 12 meses de trabalho comunitário e se submeter a testes regularmente, mas ele continua a consumir drogas de classe A (heroína, crack e cocaína).

10
Quando é fato que não há mais nada que Pete possa fazer em relação ao seu consumo abusivo de drogas, surge uma notícia ainda mais bizarra que prova que a vida junkie ainda vai render muitas capas de jornais. A última foi a quase overdose de seu gato de estimação. De acordo com o jornal “Daily Mail”, a gata de Pete (chamada Dinger – tradução: “seringa”, como não poderia deixar de ser) teve filhotes, e um deles foi levado ao veterinário por estar passando mal. Ao realizar um exame, foi detectada cocaína no sangue do animal. Além da polícia e da justiça, agora Pete enfrentas problemas com as sociedades protetoras dos animais.

11
O cantor e compositor foi expulso de sua ex-banda, The Libertines, da qual também fazia parte seu amigo Carl Barat. Além das confusões com o uso de drogas, prisões e a fuga da reabilitação, Pete ainda roubou a casa de Barat – motivado, obviamente, pelo vício – e acabou sendo preso pelo crime.

12
Kate Moss & Doherty Seu relacionamento com a modelo Kate Moss foi um dos assuntos mais falados nos últimos anos. Juntos eles formavam uma espécie de Sid & Nancy da pós-modernidade, fazendo uma alusão ao romance viciado do músico do Sex Pistols e sua namorada-groupie. Pete e Kate (que também foi capa de tablóides devido ao seu vício em cocaína, o que lhe garantiu o nickname de “Cokate”) protagonizaram situações bizarras mundialmente famosas, como fotos em que consumiam drogas avidamente; sexo no jardim de uma clínica de reabilitação; sextapes; casamento secreto; traição pública por parte de Pete; término da relação com direito a troca de fechaduras e despacho das coisas do cantor. O último ato dessa tragédia grega foi a declaração de Pete, no início de agosto, dizendo que pretende fazer um musical sobre o romance.

Sem mais artigos