Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: Zarabatana Books

2017: O que vem por aí pela Zarabatana Books

Veja os primeiros lançamentos da editora em 2017. Claro que muitas outras coisas boas devem pintar até o final do ano…

capa-erzsebetErzsébet, de Nunsky: Esta vigorosa e sombria graphic novel do quadrinista português Nunsky é baseada na vida da condessa húngara Elizabeth Báthory, que viveu de 1560 a 1614 e ficou conhecida como a Condessa Sangrenta por sua extrema crueldade e suposto envolvimento em rituais sádicos e assassinos. O livro ganhou em 2015 o Prêmio de Melhor Desenho no Festival de BD de Amadora, o evento de quadrinhos mais importante de Portugal (formato 16 x 23 cm, capa colorida, miolo em preto e branco, e 144 páginas).

capa-guiadopaisemnocaoO Guia do Pai Sem Noção, de Guy Delisle: Já em seu terceiro volume na França, este guia traz as divertidas situações vividas pelo autor e seus dois filhos, Louis e Alice. A Zarabatana publicou outros quatro títulos do premiado autor franco-canadense: Shenzhen – Uma Viagem à China, Pyongyang – Uma Viagem à Coreia do Norte, Crônicas Birmanesas e Crônicas de Jerusalém. O Guia do Pai sem Noção tem formato 14 x 19,5 cm, capa colorida, miolo em preto e branco e 192 páginas.

colluckyluke05Lucky Luke – Vol. 5, de Morris e René Goscinny: A Zarabatana Books iniciou em 2014 a publicação da Coleção Lucky Luke, com todas as histórias em quadrinhos desenhadas por Morris de 1946 a 2001. São mais de 70 histórias, divididas em 24 volumes. Este segundo volume (cronologicamente o de número 5) traz 3 histórias: O Juiz, de 1956/57; Corrida para Oklahoma, de 1957; e A Fuga dos Dalton, também de 1957. Estas duas últimas com roteiro de René Goscinny.

O cowboy Lucky Luke, sempre de bom humor e disposto a ajudar as pessoas de bem enquanto prende os bandidos que infestam o velho oeste, é a criação genial do belga Morris que, junto com Tintim (de Hergé) e Asterix (da dupla Uderzo e Goscinny), integra o trio das mais influentes e divertidas histórias em quadrinhos franco-belgas. Apesar de sua fama mundial, Lucky Luke não era editado no Brasil desde 1986, até a Zarabatana Books assumiu a missão de trazê-lo de volta. Esta edição tem 22 x 29 cm, capa e miolo coloridos e 144 páginas.

“Finório”, de Marco Oliveira, tem lançamento na CCXP 2016

capa-finorioQuem leu Overdose Homeopática ou Mute conhece o traço e o humor “sujos” de onde a arte de Marco Oliveira tira sua força. Com um estilo mais bem adaptado às tiras em quadrinhos, Marco vem se aventurando cada vez mais em narrativas de maior fôlego.

O primeiro caso foi a perturbadora Aos Cuidados de Rafaela, em parceria com o roteirista Marcelo Saravá, indicada a três categorias no HQ Mix 2014 e escolhida melhor HQ daquele ano pelo Papo de Quadrinho.

Agora, Marco faz seu primeiro voo solo como roteirista em Finório (conforme antecipado aqui no blog). Um dos projetos vencedores do ProAC Quadrinhos em 2015, a obra está saindo pela Zarabatana Books (pré-venda com frete grátis aqui), com lançamento na mesa do autor na CCXP.

A trama acompanha desde infância até a idade adulta de Finório (ou simplesmente Frank), um rapaz que tem o azar de se ver constantemente envolvido pela violência – doméstica, bullying, criminosa. Tímido, ele prefere esquivar-se a enfrentar as situações de conflito, mas não consegue evitar se deixar impactado, e tamanha exposição à violência pode levá-lo a uma situação limite.

Finório tem 240 páginas, formato 15 x 21, 240 páginas, capa colorida, miolo em preto e branco e preço de R$ 36.

Veja uma prévia abaixo (clique nas imagens para ampliar):

“SPAM” reúne cinco mulheres quadrinistas para falar de lixo eletrônico e cotidiano

Capa SPAM

Do Press-Release

Fenômeno (ou catástrofe) da comunicação eletrônica, o spam – aquele monte de lixo e de propagandas não autorizadas que abarrotam as caixas de e-mail diariamente – não poupa ninguém.

Cinco mulheres quadrinistas foram convidadas para dar sua visão pessoal sobre o tema: Camila Torrano (de A Travessia), Cátia Ana (autora da webcomic O Diário de Virgínia), Cynthia B. (que teve tiras publicadas na Folha de S. Paulo e revista Piauí), Germana Viana (Lizzie Bordello e as Piratas do Espaço) e Samanta Flôor (O Astronauta de Pijama).

Assim nasceu SPAM (Zarabatana Books, 80 páginas, R$ 44), que teve lançamento nos principais eventos de quadrinhos do ano passado: o Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ), em Belo Horizonte/MG, e a Comic Con Experience (CCXP), em São Paulo.

Do cotidiano de um grupo de amigos que trabalha na padaria à experiência transcendental que transforma a vida de uma senhora preconceituosa, passando pela noite apimentada que não dá certo, animais antropomórficos e uma intervenção alienígena, tudo cabe nos diferentes pontos de vista e estilos gráficos dessas autoras.

Como destaca a professora Sônia M. Bibe Lutyen em seu prefácio, “a personagem feminina construída e produzida no registro masculino não coincide com a mulher (…).Entra aí um discurso que permeia a idealização da mulher dentro dos papéis a ela atribuídos: ou há uma sublimação do objeto amado ou ela é execrada. Não é absolutamente o caso desta coletânea”.

Mais que algumas dezenas de páginas de diversão, SPAM ratifica o talento, a maturidade e a diversidade da atual produção nacional de quadrinhos.

As autoras

Camila Torrano é quadrinista, ilustradora e concept artist para games. Em 2012 publicou seu primeiro trabalho solo: A Travessia (Escrita Fina Edições). Atualmente trabalha com games, faz freelance e continua sua produção de quadrinhos e ilustrações autorais.

Cátia Ana é quadrinista e programadora visual na Universidade Federal de Goiás. Publicou de 2010 a 2015 a webcomic O Diário de Virgínia, que concorreu, em 2011 e 2015, ao troféu HQMix na categoria webquadrinhos. Participou das três últimas edições da exposição Batom, Lápis e TPM em Piracicaba, São Paulo.

Cynthia B. é cartunista formada em medicina. Já publicou na Folha de S. Paulo, revista Piauí e diversas em revistas independentes, inclusive nas duas edições da Golden Shower, que ela mesma editou. Atualmente está fazendo residência artística na Maison des Auteurs, em Angoulême, França.

Germana Viana é quadrinista, autora de Lizzie Bordello e as Piratas do Espaço e integrante do coletivo de quadrinhos CBGibi. Trabalha também com ilustração, letreiramento e design.

Samanta Flôor é formada em Arquitetura pela UFPel (2004) e trabalha como ilustradora e cartunista freelancer para editoras e para publicidade. Participou do livro MSP Novos 50 (2011), lançou o álbum Toscomics pela Café Espacial/Marca de Fantasia (2013) e realizou uma exposição individual em Beja, Portugal. Em 2015 lançou seu segundo livro infantil: O Astronauta de Pijama (Marsupial) e participou do Guia Culinário do Falido (Balão Editorial).

Sobre a editora

Com sede em Campinas, no Estado de São Paulo, a Zarabatana Books publica livros e quadrinhos, nacionais e estrangeiros, que não costumam ter espaço nas demais editoras de quadrinhos brasileiras.  Em 2008, trouxe para o Brasil as tiras de Macanudo, do argentino Liniers, e desde então vem publicando regularmente a produção de quadrinhos daquele país, com destaque para a coletânea Fierro.

Publicou, entre muitas outras, obras premiadas como Bando de Dois, de Danilo Beyruth, e a série de graphic novels de Guy Delisle, narrando suas experiências vivendo em alguns dos países mais problemáticos do mundo: Shenzhen (China), Pyongyang (Coreia do Norte), Crônicas Birmanesas (Myanmar) e Crônicas de Jerusalém (Israel).

SPAM

Autoras: Camila Torrano, Cátia Ana, Cynthia B., Germana Viana e Samanta Flôor

Editora: Zaratana Books

Páginas: 80 (capa e miolo coloridos)

Formato: 16 x 23 cm

Preço: R$ 44,00

www.zarabatana.com.br

 

“O Jogo das Andorinhas” relembra história de solidariedade em meio à Guerra Civil Libanesa

Capa O Jogo das Andorinhas

A tragédia da guerra costuma esconder histórias de solidariedade. A Guerra Civil Libanesa (1975-1990) não é exceção. Na graphic novel O Jogo das Andorinhas – Morrer Partir Retornar (Zarabatana Books, 192 páginas, R$ 40), a autora Zeina Abirached relembra a noite em que seus pais saíram de casa para visitar a avó em outro ponto da capital, Beirute. Com a intensificação dos bombardeios, Zenia e seu irmão mais novo vivem o drama da ausência dos pais e da incerteza de seu retorno para casa.

É nesse momento que a força da união se faz presente. No pequeno cômodo que servia de abrigo para a família – o mais seguro do prédio – começam a desfilar diferentes tipos da comunidade libanesa: Anhala, a ex-governanta e ótima cozinheira; Chucri, o “faz-tudo” que perdeu o pai para a guerra; o letrado Ernest, apaixonado por Cyrano de Bergerac e que teve o irmão gêmeo alvejado por franco-atiradores anos antes; e muitos outros.

Juntos, eles formam uma rede de proteção emocional para as crianças, com suas receitas, jogos, brincadeiras, leituras e conversas do cotidiano.

Tão marcante quanto o relato daquela noite que parecia não ter fim é a técnica de Zeina, que dá vida aos elementos narrativos dos quadrinhos – balões, recordatórios, onomatopeias, transições entre os quadros – enquanto enche seus personagens de expressividade. A opção pelo branco e preto chapado, sem cinzas ou hachuras, parece dizer que a imbecilidade da guerra não aceita meios termos.

O prefácio é assinado por Trina Robbins, desenhista e escritora ícone do movimento underground entre os anos 1960/70.

A Guerra Civil Libanesa

O conflito dividiu o Líbano entre cristãos, do lado Oriental, e muçulmanos, do Ocidental. Os desentendimentos entre os dois grupos (e também os drusos) datam antes mesmo de o país se tornar independente da França, em 1943. Com a criação do Estado de Israel após a 2ª Guerra Mundial, a situação foi agravada pelo grande afluxo de refugiados palestinos que deixaram suas terras. A capital Beirute foi rasgada ao meio por muros de tijolos e sacos de areia. Bombardeios, franco-atiradores, atentados terroristas e a intervenção militar dos países vizinhos ceifaram milhares de vidas.

A autora

Zeina Abirached nasceu em Beirute em 1981, em uma família libanesa cristã, e tinha dez anos quando o conflito finalmente terminou. Estudou artes gráficas e design na Academia Libanesa de Belas Artes (ALBA). Em 2002, recebeu o prêmio principal do Festival Internacional de Histórias em Quadrinhos de Beirute por sua primeira graphic novel, Beyrouth-Catharsis. Mudou-se para Paris em 2004 para estudar na Escola Nacional de Artes Decorativas.

Sobre a editora

Com sede em Campinas, no Estado de São Paulo, a Zarabatana Books publica livros e quadrinhos, nacionais e estrangeiros, que não costumam ter espaço nas demais editoras de quadrinhos brasileiras.  Em 2008, trouxe para o Brasil as tiras de Macanudo, do argentino Liniers, e desde então vem publicando regularmente a produção de quadrinhos daquele país, com destaque para a coletânea Fierro.

Publicou, entre muitas outras, obras premiadas como Bando de Dois, de Danilo Beyruth, e a série de graphic novels de Guy Delisle, narrando suas experiências vivendo em alguns dos países mais problemáticos do mundo: Shenzhen (China), Pyongyang (Coreia do Norte), Crônicas Birmanesas (Myanmar) e Crônicas de Jerusalém (Israel).

Mais informações em www.zarabatana.com.br.

“Perigo no Circo Sombrio” resgata clima das HQs de antigamente

PerigoNoCircoSombrio

Do Press-Release

Houve um tempo em que as histórias eram centradas no homem comum, que perseguia seus sonhos movido pelo esforço próprio. Um tempo de pin-ups platinadas e valentões topetudos que esbanjavam virilidade montados em suas motocicletas. Foi nessa época que o quadrinhista Aluir Amancio buscou inspiração para criar Perigo no Circo Sombrio, álbum em quadrinhos que a Zarabatana Books acaba de lançar.

A HQ acompanha a trajetória do órfão Peri Perilo desde a misteriosa concepção e a vida difícil no orfanato, até encarar a dura rotina no Circo da Madame Charlotte. Lá, Peri encontra uma motivação para a vida, dá os primeiros passos em sua jornada para se tornar o herói Perigo (“o maior astro de filmes de ação do mundo”) e começa a manifestar poderes inexplicáveis.

Sua simplicidade e carisma, somados a doses cavalares de macarronada e exercícios físicos, conquistam a simpatia de todos, em especial da curvilínea Debora Estrela, ao mesmo em tempo que atiçam a competitividade do astro principal do picadeiro, Bono Velox.

Nas palavras do autor, Perigo no Circo Sombrio resgata o senso de nostalgia, humor, mistério, humor, inocência e romance cada vez mais raros atualmente. A HQ foi um dos projetos selecionados em 2013 pelo Programa de Ação Cultural – ProAC, da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo.

Sobre o autor

Aluir Amancio começou sua carreira profissional com Mauricio de Sousa aos 10 anos de idade. Mais tarde trabalhou em diversos títulos para as editoras Abril (capas e quadrinhos de revistas Disney e revista Senninha) e Globo (Revista da Xuxa). Em 1991, sua criação Andrea, a Repórter foi publicada pela Editora Abril. A partir de 1995 começou a trabalhar para a DC Comics em títulos como Superman Adventures, o que lhe valeu um convite do desenhista e produtor Bruce Timm para integrar sua equipe de criação.

Desde 1998 produz storyboards para estúdios como Warner Bros., Walt Disney Animation, Sony, Cartoon Network e Universal. Seu nome pode ser visto nos créditos de grandes produções para TV: Superman Animated, Batman Beyond, Justice League, Tarzan, Buzz Lightyear, Angelina Ballerina, Care Bears, Ben 10: Ultimate Alien, Ben 10: Omnitrix, Stitch e de várias animações para vídeo de Scooby-Doo e Land Before Time XIV. Desenhou quatro edições de The Spirit, de Will Eisner, para a DC Comics.

Sobre a editora

Com sede em Campinas, no Estado de São Paulo, a Zarabatana Books publica livros e quadrinhos, nacionais e estrangeiros, que não costumam ter espaço nas demais editoras de quadrinhos brasileiras.  Em 2008, trouxe para o Brasil as tiras de Macanudo, do argentino Liniers, e desde então vem publicando regularmente a produção de quadrinhos daquele país, com destaque para a coletânea Fierro.

Publicou, entre muitas outras, obras premiadas como Bando de Dois, de Danilo Beyruth, e a série de graphic novels de Guy Delisle, narrando suas experiências vivendo em alguns dos países mais problemáticos do mundo: Shenzhen (China), Pyongyang (Coreia do Norte), Crônicas Birmanesas (Myanmar) e Crônicas de Jerusalém (Israel).

Mais informações em www.zarabatana.com.br.

Perigo no Circo Sombrio

Autor: Aluir Amancio

Editora: Zaratana Books

Páginas: 64 (capa e miolo coloridos)

Formato: 21 x 28 cm

Preço: R$ 36,00

Três gerações se encontram em “Os Quadrinistas”

OsQuadrinistasCapa

No livro, o jornalista e designer Télio Navega traça o perfil dos mais importantes nomes do quadrinho nacional da atualidade.

Entre os artistas retratados, estão José Aguiar, Danilo Beyruth, Vitor & Lu Cafaggi, Renato Canini, Marcelo & Magno Costa, Cynthia B., Marcelo D’Salete, André Diniz, Gustavo Duarte, Luiz Gê, Eloar Guazzelli, Adão Iturrusgarai, Laerte, Marcelo Lelis, Marcatti, Mário César, Mauricio de Sousa, Fábio Moon & Gabriel Bá, Lourenço Mutarelli, Marcello Quintanilha, Rafael Coutinho, Shiko, Allan Sieber, André Toral e Fabio Zimbres.

Englobando três gerações de autores, desde Renato Canini (o único falecido da lista) e Mauricio de Sousa até os jovens irmãos Vitor e Lu Cafaggi, os nomes perfilados comprovam a evolução do mercado brasileiro de quadrinhos.

Os Quadrinistas é uma publicação da Zarabatana Books e custa R$ 40. O lançamento oficial aconteceu no recém-encerrado Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ). O próximo está marcado para segunda-feira (23), a partir das 19h, na Blooks Livraria do Rio de Janeiro, na Praia do Botafogo, 316.

Em São Paulo, Telio Navega estará com uma mesa no Artists’ Alley da Comic Con Experience, de 3 a 6 de dezembro.

Papo de Quadrinho escolhe as Melhores HQs nacionais de 2014

Depois de eleger algumas das melhores HQs estrangeiras publicadas no ano recém-encerrado, chegou a vez de revelar nossa lista de obras nacionais.

O critério é o mesmo – apenas HQs inéditas – e sujeito à mesma falha: foram selecionados os títulos preferidos entre aqueles lidos pelos editores do Papo de Quadrinho.

Conheça nossa lista de Melhores HQs nacionais de 2014.

lizzie10. Lizzie Bordello e as Piratas do Espaço (Germana Viana – Jambô Editora)

Uma grata surpresa do ano que passou. Em seu primeiro trabalho em quadrinhos, a veterana ilustradora Germana Viana destila um humor nonsense, inteligente, anárquico. São histórias curtas, publicadas originalmente na internet, sobre um grupo pouco comum de amigas que viajam pelo espaço. Quem quiser, pode acompanhar o trabalho da autora neste endereço.

Veja matéria completa aqui.

Klaus9. Klaus (Felipe Nunes – Balão Editorial)

O jovem autor, de apenas 19 anos, criou uma fábula instigante para retratar a passagem da adolescência para a vida adulta. O personagem-título é o único humano numa terra de animais antropomórficos. Por ser diferente, passou a vida como vítima de preconceito, até que a verdade se revela e ele precisa fazer uma escolha: manter a convivência com os pais-tigres amorosos ou dar um salto no escuro rumo à maturidade.

Vigor Mortis Comics8. Vigor Mortis Comics 2 – Sangue, Suor e Nanquim (José Aguiar, Paulo Biscaia, DW Ribatski e André Dulci – Quadrinhofilia)

Segundo volume das HQs que adaptam obras multimídia da Cia. Vigor Mortis. Neste caso, a história fundiu o filme Nervo Craniano Zero e a peça Seance – As Algemas de Houdini. O resultado é uma trama ambientada em 1969 repleta de repressão política, assassinatos em série e viagens alucinógenas, misturada à vida miserável da enfermeira Lavínia, personagem fictícia da protagonista Bruna Bloch. Destaque para a mudança de estilo artístico a cada aspecto diferente da narrativa.

Beladona7. Beladona (Ana Recalde e Denis Mello – Avec Editora)

A personagem Samantha nasceu na internet, em páginas semanais publicadas no site Petisco. Graças ao financiamento coletivo, ganhou este belo álbum de terror sobre uma menina assombrada por pesadelos. Parte da história se passa nesse mundo de sonhos terríveis, em que Samantha é perseguida e atormentada por espíritos malignos; outra parte, menor, se dá no mundo real. Ana Recalde é uma das grandes roteiristas da atual geração, e o traço nervoso de Denis Mello faz jus à trama.

Click6. Click (Samanta Flôor – Independente)

Outra grata surpresa de 2014: apesar de curto – pouco mais de 30 páginas –, é o trabalho mais longo até agora da jovem, porém veterana, ilustradora. Sem diálogos, a história combina uma câmera misteriosa, zumbis, um artista de rua e uma garota amável.

 

 

Helena5. Helena (Montserrat e Simone Beatriz – New Pop)

Mangá produzido no Brasil, adapta a obra homônima de Machado de Assis. Da fase romântica do autor, a história tem todos os ingredientes daquela escola literária: a heroína trágica, o herói nobre, um amor impossível. Como outros livros deste período, é possível identificar elementos do Realismo, em especial a crítica social.

Leia resenha completa aqui.

bidu4. Bidu – Caminhos (Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho – MSP/Panini)

Ao longo da trama, o famoso cãozinho azul criado por Mauricio de Sousa precisa fazer uma série de escolhas: encarar ou não um cão maior para proteger seu território; deixar-se ou não capturar pelos donos do canil; ajudar ou não um companheiro em dificuldade. À medida que enfrenta novos desafios, suas escolhas amadurecem de uma atitude instintiva e autocentrada para outra mais generosa. Tudo isso antes de encontrar seu dono e eterno amigo Franjinha. Mais uma obra-prima da série Graphic MSP.

Leia resenha completa aqui.

Jonas3. A Vida de Jonas (Magno Costa – Zarabatana Books)

Envolvido em problemas com álcool e recém-separado de Júlia, Jonas tem uma existência solitária e sem perspectiva. Só mesmo uma grande perda para fazê-lo por fim à autoindulgência e encontrar um novo sentido para a vida. A grande sacada de Magno Costa é a caracterização dos personagens como fantoches de pano.

Leia resenha completa aqui.

Yeshuah2. Yeshuah volume 3 – Onde tudo está (Laudo Ferreira e Omar Viñole – Devir)

Depois de uma longa espera, Laudo concluiu a trilogia com sua visão personalíssima da vida de Jesus. Baseados em textos apócrifos de diferentes origens, este volume concentra-se na etapa final do Novo Testamento: a viagem a Belém para a comemoração da Páscoa, a prisão, calvário e execução. Ao longo dessa trajetória, Laudo reforça, de forma sensível e assertiva, a base dos ensinamentos de Jesus: o amor acima de tudo. Valeu a espera. Uma HQ emocionante.

Rafaela1. Aos Cuidados de Rafaela (Marcelo Saravá e Marco Oliveira – Zarabatana Books)

Rafaela, moça rebelde e independente, se passa por cuidadora de idosos e conquista a confiança da velha atriz Aurelita e os desejos secretos de seu filho, Nicolas. Aos poucos, ela domina a rotina de casa e tem início uma espiral de luxúria e submissão que só poderia terminar em tragédia. Tão perturbador quanto o roteiro de Saravá é a arte de Marco Oliveira, repleta de rostos disformes, planos ousados e uma intencional ausência de perspectiva.

Leia resenha completa aqui.

Patrocinada pelo ProAC, “Ronda Noturna” tem lançamento nesta semana

convite_internet_geek_1024

A HQ reúne três histórias de terror, costuradas por um vigia noturno que as narra para um garoto durante um passeio pelo bairro. De acordo com os autores, trata-se de uma homenagem aos antigos quadrinhos do gênero, e também aos filmes B.

Ronda Noturna é uma sequência do trabalho desenvolvido pelos autores do selo independente O Contínuo no início dos anos 2000. Foram publicadas sete edições da publicação antes do cancelamento.

O oitava número foi convertido no projeto apresentando ao ProAC – programa de fomento à produção de quadrinhos do Governo de SP – e aprovado em 2012.

Ronda Noturna tem 128 páginas coloridas em preto e vermelho, formato 17 x 26 cm e preço de R$ 40. O roteiro é de Carlos Lemos, Dalts e Pedro Felício, e a arte de Alcimar Frazão, Dalts, F3D e Olavo Lima.

A distribuição ficou a cargo da editora Zarabatana Books, com evento de lançamento marcado para esta sexta-feira (25), às 18h30, na loja Geek do Conjunto Nacional (Avenida Paulista, 2073, São Paulo).

Produzida com apoio do ProAC, “Aos Cuidados de Rafaela” tem lançamento no fim do mês

Aos cuidados de rafaela

O projeto, de autoria de Marcelo Saravá (1000 Palavras) e Marco Oliveira (Overdose Homeopática), foi aprovado pelo ProAC Quadrinhos 2012 e acaba de ser concluído.

O lançamento, em parceria com a editora Zarabatana Books, está agendado para o dia 27 de junho, a partir das 19h, na Blooks Livraria do Shopping Frei Caneca (Rua Frei Caneca, 569 – Bela Vista – São Paulo).

De acordo com os autores, Aos Cuidados de Rafaela é um drama típico de Nelson Rodrigues: o quarentão Nicolas apaixona-se pela manipuladora cuidadora de sua mãe. Quando esta morre, Nicolas inventa uma doença grave para manter a jovem por perto, e passa a aceitar todo tipo de humilhação.

Por esta sinopse e pelo histórico dos autores, dá para esperar que vem coisa boa por aí.

2014: O que vem por aí pela Zarabatana Books

zarabatana

A editora sempre se pautou pela qualidade. Neste ano, continua a investir em títulos consagrados no exterior, sem se esquecer da produção nacional.

Já em janeiro chegam duas novidades. A Máquina do Tempo de Adão Iturrusgarai (64 páginas, colorido, R$ 42) reúne parte da produção do artista gaúcho nos últimos 30 anos.

Entre as histórias, a série de ficção científica Stronzata Galattica e Fuck! Fuck! Fuck!, com roteiro de Adão e arte de Laerte. Do autor, a Zarabatana já publicou Momentos Brilhantes da Minha Vida Ridícula.

O outro lançamento do mês é Paolo Pinocchio (96 páginas, colorido, R$ 54), quarto volume da Coleção Fierro de quadrinhos argentinos, em que o quadrinhista Lucas Varela recria o clássico conto infantil com uma visão bastante particular.

Em algumas histórias, o personagem utiliza suas trapaças para tentar escapar do inferno; noutras, exercita seu cinismo em encontros com seres da mitologia, dos contos de fadas, da Idade Média e da Renascença.

Os outros títulos já publicados da Coleção Fierro são Noturno, de Salvador Sanz; Dora, de Ignacio Minaverry; e Angela della Morte, também de Sanz.

Para completar a lista de lançamentos previstos para 2014 pela Zarabatana Books estão mais dois volumes de Macanudo (o sétimo e oitavo), do argentino Liniers, e uma nova edição de Crônicas Birmanescas, em que o canadense Guy Delisle retrata a difícil situação da república asiática de Myanmar.

Página 0 de 2

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2017