Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: V&R Editoras

2018: O que vem por aí pela V&R Editoras

vrenriqueta

Neste ano, a V&R lança Escrito e Desenhado por Enriqueta, segundo título do argentino Liniers publicado pela editora no Brasil.

Neste trabalho, Liniers faz uma homenagem ao processo de criação de uma obra. Como diz o título, a história de uma jovem valente que enfrenta monstros e outras ameaças é contada por Enriqueta, uma das protagonista da série de tiras Macanudo.

A editora vai lançar também o 13o volume de Diário de um Banana e uma edição especial com o primeiro volume da coleção, em comemoração aos 10 anos de publicação no Brasil.

2013: O que vem por aí pela V&R Editoras

A primeira novidade da editora para o ano chega no primeiro trimestre: Gigantes, Cuidado! (título provisório), de Jorge Aguirre e Rafael Rosado – o artista é conhecido pelas animações Pinky e Cérebro e Animaniacs. Considerada um conto de fadas em quadrinhos, a HQ tem foco principalmente no público infantil.

Pela série Figuras do Rock em Quadrinhos, a V&R lança Jim Morrison – O Rei Lagarto, biografia do lendário líder da banda The Doors produzida pelos argentinos Luciano Saracino (roteiro) e Quique Alcatena (desenhos). Pela mesma série, a editora já lançou Bob Marley – O guerreiro rasta, John Lennon – Um tiro na porta de casa e Michael Jackson – Um thriller em preto e branco.

HQs na Bienal do Livro de SP: Lançamentos da V&R Editoras

Uma das maiores feiras de livro do mundo começa nesta sexta-feira (9) no Anhembi, em São Paulo.

Entre os milhares de lançamentos que as editoras costumam reservar para o evento (na última edição foram 4.200), sobram poucas opções para os fãs de quadrinhos. A partir de hoje, Papo de Quadrinho publica um resumo de algumas novidades deste segmento.

A série começa com a V&R Editoras. Especializada em livros-presente, não tem tradição em quadrinhos, mas vem fazendo boas apostas. Uma delas é a série Figuras do Rock em Quadrinhos, que já teve dois títulos publicados: John Lennon, um tiro na porta de casa e Michael Jackson, um thriller em preto e branco.

Para a Bienal do Livro, a V&R lança mais um livro da série: Bob Marley, o guerreiro rasta, dos argentinos Diego Agrimbau (roteiro) e Dante Ginevra (arte).

A biografia apresenta a vida de Marley desde a origem humilde na Jamaica e seu primeiro contato com o preconceito racial por ser mulato. Depois vieram a infância no bairro barra-pesada de Trenchtown – onde teve o primeiro contato com as drogas e a música, e onde formou a banda Wailing Wailers junto com Peter Tosh e Bunny Wailer –, a mudança forçada para os Estados Unidos, o retorno à Jamaica e a devoção à religião rastafári.

Em pouco tempo, os Wailers eram a banca mais tocada em seu país de origem. A aposta da gravadora britânica Island Records e a gravação de I shot the sheriff alçaram a banda, e seu maior expoente, Marley, ao estrelato mundial. O resto é história.

Toda a trajetória é muito bem narrada com uma arte estilizada, meio suja, que casa muito bem com o tema. Bob Marley, o guerreiro rasta tem 64 páginas, capa e miolo coloridos, formato 21 x 29,7 cm e preço de R$ 34,90.

O outro destaque em quadrinhos da V&R na Bienal são dois primeiros livros da série Titeuf. HQ francesa do cartunista Zep: Deus, o sexo e os suspensórios e O amor é nojento…

Titeuf é um garoto de seus sete, oito anos de idade, com um longo topete loiro. Junto com seus colegas de classe — Manu, François, Hugo e Jean-Claude entre eles – procura entender as coisas do mundo adulto em histórias curtas, de apenas uma página (leia resenha completa aqui).

Os livros têm formato de 21 x 28,5 cm, capa e miolo coloridos, 52 páginas e custam R$ 34,90 cada.

 

SERVIÇO:

A Bienal do Livro de São Paulo acontece de 9 a 19 deste mês no pavilhão do Anhembi. O ingresso custa R$ 12 – professores, bibliotecários, profissionais do livro, maiores de 60 anos e crianças com até 12 anos não pagam.

Para chegar, prefira o metrô. Há traslado gratuito para o pavilhão nas estações Barra Funda e Tietê. O estacionamento costuma ser caro e lotado.

Mais informações aqui.

“Titeuf”: Ótima HQ francesa chega ao Brasil

Taí um título que tem tudo para passar despercebido, infelizmente. Foi lançado por uma editora com pouca tradição em quadrinhos, com venda em livrarias e de um personagem desconhecido dos leitores brasileiros.

Então, se por acaso deparar-se com algum dos livros de Titeuf, que a V&R Editoras trouxe para o Brasil, arrisque uma folheada. Garanto que vai gostar.

A série, criada pelo cartunista suíço Zep, já conta com 15 álbuns e foi lançada em 25 países. A V&R lançou neste mês os dois primeiros: Deus, o sexo e os suspensórios e O amor é nojento… O terceiro, Do que elas gostam, está previsto para o segundo semestre.

Titeuf (pronuncia-se Titãf, segundo a editora) é um garoto de seus sete, oito anos de idade, com um longo topete loiro. Junto com seus colegas de classe – Manu, François, Hugo e Jean-Claude entre eles – procura entender as coisas do mundo adulto em histórias curtas, de apenas uma página.

Zep é bastante feliz ao misturar a inocência infantil com o constante bombardeio de informações inadequadas que as crianças recebem hoje em dia. O resultado é hilário. Numa história, a turma brinca de pega-pega, só que o que um passa para o outro chama-se “Aids”. Ou, então, Titeuf diz para uma grávida que sabe que enfiaram um pênis cheio de espermatozoides nela.

Pior (ou melhor) ainda é quando um garoto tenta parecer mais esperto que outro. “Camisinha é como uma meia… eles colocam dentro da barriga da mãe, e aí o bebê não pode respirar”, explica um deles, deixando a turma embasbacada.

Como se vê, Titeuf não é para crianças. É Calvin e Haroldo sem filosofia; é Mafalda sem política; é Turma da Mônica hardcore. Os garotos adoram sacanear uns aos outros no geral, e os imigrantes em particular. As historietas, em sua maioria, são politicamente incorretas, como toda criança deve ser.

Por tudo isso, o lançamento é altamente recomendado. Neste editor, provocou lágrimas de riso, coisa que há muito tempo um quadrinho não fazia.

A edição da V&R é caprichada: formato grande (21 x 28,5 cm), capa e miolo coloridos, papel de qualidade. Cada título tem 52 páginas e custa R$ 34,90. Vale o investimento.

HQs na Bienal: lançamento da V&R Editoras

A partir de hoje, Papo de Quadrinho começa a divulgar as novidades que as editoras que trabalham com quadrinhos prepararam para a grande feira literária que começa dia 1º de setembro.

O destaque da V&R Editoras é O Fabuloso Mundo do Rock, do chargista argentino Andrés Casciolli. O álbum não é uma HQ, mas sim um enciclopédia ilustrada de astros do rock.

Como manda a boa caricatura, Casciolli exagera os gestos e os traços físicos de estrelas e bandas para explorar sua persona.

Entre os retratados, Michael Jackson, Amy Winehouse, Guns n’Roses, David Bowie, Cazuza, Kurt Cobain, Bob Dylan, Billy Idol,  Rolling Stones, Beatles, Elvis Presley, Pink Floyd, Red Hot Chili Peppers e  U2. Cada ilustração vem acompanhada de dados e curiosidades.

Casciolli faleceu em 2009, pouco antes da conclusão deste projeto.

O Fabuloso Mundo do Rock tem 116 páginas, capa brochura e vai custar R$ 59,90.

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2018