Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: Omar Viñole

HQ independente “Volkan” confirmada para a CCXP 2016

 

Sem título-1.indd

Pouco mais de um ano depois do anúncio oficial, o pessoal do selo independente TopComics confirma o lançamento de Volkan na Comic Con Experience (1 a 4 de dezembro, em São Paulo), onde os autores ocuparão uma mesa no Artist’s Alley.

Durante este ano de produção, Volkan recebeu colaboração do público na construção de alguns personagens e pôde palpitar no roteiro.

De acordo com a sinopse, depois de entrar em contato com o “otter”, um organismo desconhecido que ressurgiu das profundezas do planeta Terra, os três protagonistas (Dan, Lucas e Ric) adquirem habilidades especiais e passam a ser perseguidos por uma poderosa organização americana (veja preview abaixo – clique nas imagens para ampliar).

Uma semana antes da CCXP, as 34 páginas da HQ estarão disponíveis gratuitamente no site oficial. A versão impressa, em formato americano, será vendida exclusivamente no evento e no site, e uma versão adaptada para deficientes visuais fica pronta no dia 22 de dezembro, também no site.

Volkan tem criação e roteiro de Allan Albuquerque, desenhos de Eduardo Vienna e arte-final de Omar Viñole, com cores de Adriano Augusto. A capa foi produzida pelo craque Nestablo Ramos.

“Travessias”: nova HQ nacional, digital e independente

 

travessias

Não bastassem todos estes atributos, a obra ainda reúne alguns dos principais artistas da atual produção de quadrinhos brasileiros: Will (Passagens & Paisagens, em parceria com a escritora Mônica Lan), Alexandre Montandon (Cristóvão e o Segredo do Tempo), Lillo Parra e Toni D’Agostinho (As Muitas Vidas de Gustavo Boa Morte), Aloísio de Castro (O Encontro), André Diniz e Marcela Mannheimer (Muzinga), Laudo Ferreira Jr. e Omar Viñole (Cadernos de Viagem).

Outro diferencial é que Travessias – O Fantástico Cotidiano em Quadrinhos é uma iniciativa do mesmo pessoal do Comix Trip, nova plataforma de distribuição de HQs digitais exclusivamente nacionais. A obra está disponível na loja a partir de hoje (14) ao preço de US$ 1,99. É preciso baixar o instalar o aplicativo, gratuito, ainda disponível somente para dispositivos com sistema iOS.

Travessias tem 79 páginas coloridas e será bimestral, formada por histórias seriadas. Nesse primeiro número, a única completa é O Encontro, do “artista convidado” Aloísio de Castro. A ideia é que elas sejam lançadas em álbuns impressos ao final de cada arco.

Papo de Quadrinho teve acesso com exclusividade à primeira edição e recomenda a leitura.

Conheça os vencedores do 31º Troféu Angelo Agostini

31agostini

A votação foi encerrada no último dia 15 e recebeu um total de 7.302 votos. No próximo dia 31 acontece a cerimônia de entrega do prêmio no Memorial da América Latina, em São Paulo.

A programação completa será divulgada em breve pela AQC-ESP (Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo), organizadora da premiação.

Confira os vencedores:

Melhor Desenhista: Mario Cau (Morphine)

Melhor Roteirista: Felipe Cagno (321 – Fast Comics)

Melhor Cartunista: DaCosta

Melhor Lançamento: Yeashuah – Onde tudo está (Laudo Ferreira Jr. e Omar Viñole)

Melhor Lançamento Independente: Nenhum dia sem um traço (Ernani Cousandier)

Melhor Fanzine: 3ADFZPA – Terceiro Anuário de Fanzines, Zines e Publicações Alternativas

Melhor Web Quadrinhos: Blue e os gatos (Paulo Kielwagen)

Prêmio Jayme Cortez: Confraria do Gibi

Mestres do Quadrinho Nacional: Gustavo Machado, Carlos Edgard Herrero e Murilo Marques Moutinho

Papo de Quadrinho escolhe as Melhores HQs nacionais de 2014

Depois de eleger algumas das melhores HQs estrangeiras publicadas no ano recém-encerrado, chegou a vez de revelar nossa lista de obras nacionais.

O critério é o mesmo – apenas HQs inéditas – e sujeito à mesma falha: foram selecionados os títulos preferidos entre aqueles lidos pelos editores do Papo de Quadrinho.

Conheça nossa lista de Melhores HQs nacionais de 2014.

lizzie10. Lizzie Bordello e as Piratas do Espaço (Germana Viana – Jambô Editora)

Uma grata surpresa do ano que passou. Em seu primeiro trabalho em quadrinhos, a veterana ilustradora Germana Viana destila um humor nonsense, inteligente, anárquico. São histórias curtas, publicadas originalmente na internet, sobre um grupo pouco comum de amigas que viajam pelo espaço. Quem quiser, pode acompanhar o trabalho da autora neste endereço.

Veja matéria completa aqui.

Klaus9. Klaus (Felipe Nunes – Balão Editorial)

O jovem autor, de apenas 19 anos, criou uma fábula instigante para retratar a passagem da adolescência para a vida adulta. O personagem-título é o único humano numa terra de animais antropomórficos. Por ser diferente, passou a vida como vítima de preconceito, até que a verdade se revela e ele precisa fazer uma escolha: manter a convivência com os pais-tigres amorosos ou dar um salto no escuro rumo à maturidade.

Vigor Mortis Comics8. Vigor Mortis Comics 2 – Sangue, Suor e Nanquim (José Aguiar, Paulo Biscaia, DW Ribatski e André Dulci – Quadrinhofilia)

Segundo volume das HQs que adaptam obras multimídia da Cia. Vigor Mortis. Neste caso, a história fundiu o filme Nervo Craniano Zero e a peça Seance – As Algemas de Houdini. O resultado é uma trama ambientada em 1969 repleta de repressão política, assassinatos em série e viagens alucinógenas, misturada à vida miserável da enfermeira Lavínia, personagem fictícia da protagonista Bruna Bloch. Destaque para a mudança de estilo artístico a cada aspecto diferente da narrativa.

Beladona7. Beladona (Ana Recalde e Denis Mello – Avec Editora)

A personagem Samantha nasceu na internet, em páginas semanais publicadas no site Petisco. Graças ao financiamento coletivo, ganhou este belo álbum de terror sobre uma menina assombrada por pesadelos. Parte da história se passa nesse mundo de sonhos terríveis, em que Samantha é perseguida e atormentada por espíritos malignos; outra parte, menor, se dá no mundo real. Ana Recalde é uma das grandes roteiristas da atual geração, e o traço nervoso de Denis Mello faz jus à trama.

Click6. Click (Samanta Flôor – Independente)

Outra grata surpresa de 2014: apesar de curto – pouco mais de 30 páginas –, é o trabalho mais longo até agora da jovem, porém veterana, ilustradora. Sem diálogos, a história combina uma câmera misteriosa, zumbis, um artista de rua e uma garota amável.

 

 

Helena5. Helena (Montserrat e Simone Beatriz – New Pop)

Mangá produzido no Brasil, adapta a obra homônima de Machado de Assis. Da fase romântica do autor, a história tem todos os ingredientes daquela escola literária: a heroína trágica, o herói nobre, um amor impossível. Como outros livros deste período, é possível identificar elementos do Realismo, em especial a crítica social.

Leia resenha completa aqui.

bidu4. Bidu – Caminhos (Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho – MSP/Panini)

Ao longo da trama, o famoso cãozinho azul criado por Mauricio de Sousa precisa fazer uma série de escolhas: encarar ou não um cão maior para proteger seu território; deixar-se ou não capturar pelos donos do canil; ajudar ou não um companheiro em dificuldade. À medida que enfrenta novos desafios, suas escolhas amadurecem de uma atitude instintiva e autocentrada para outra mais generosa. Tudo isso antes de encontrar seu dono e eterno amigo Franjinha. Mais uma obra-prima da série Graphic MSP.

Leia resenha completa aqui.

Jonas3. A Vida de Jonas (Magno Costa – Zarabatana Books)

Envolvido em problemas com álcool e recém-separado de Júlia, Jonas tem uma existência solitária e sem perspectiva. Só mesmo uma grande perda para fazê-lo por fim à autoindulgência e encontrar um novo sentido para a vida. A grande sacada de Magno Costa é a caracterização dos personagens como fantoches de pano.

Leia resenha completa aqui.

Yeshuah2. Yeshuah volume 3 – Onde tudo está (Laudo Ferreira e Omar Viñole – Devir)

Depois de uma longa espera, Laudo concluiu a trilogia com sua visão personalíssima da vida de Jesus. Baseados em textos apócrifos de diferentes origens, este volume concentra-se na etapa final do Novo Testamento: a viagem a Belém para a comemoração da Páscoa, a prisão, calvário e execução. Ao longo dessa trajetória, Laudo reforça, de forma sensível e assertiva, a base dos ensinamentos de Jesus: o amor acima de tudo. Valeu a espera. Uma HQ emocionante.

Rafaela1. Aos Cuidados de Rafaela (Marcelo Saravá e Marco Oliveira – Zarabatana Books)

Rafaela, moça rebelde e independente, se passa por cuidadora de idosos e conquista a confiança da velha atriz Aurelita e os desejos secretos de seu filho, Nicolas. Aos poucos, ela domina a rotina de casa e tem início uma espiral de luxúria e submissão que só poderia terminar em tragédia. Tão perturbador quanto o roteiro de Saravá é a arte de Marco Oliveira, repleta de rostos disformes, planos ousados e uma intencional ausência de perspectiva.

Leia resenha completa aqui.

“Coelho Nero” ganha segunda edição impressa

Capa Nero simpático

Meio rabugento e muito crítico, o personagem criado em 2009 pelo quadrinhista Omar Viñole exclusivamente para um blog teve a primeira edição em papel no ano passado, com lançamento no FIQ.

Com a aproximação de outro grande evento de quadrinhos, a Brasil Comic Com (14 e 15 de novembro), o coelho mal humorado não quis ficar de fora, e chega em nova edição: Simpático só que não.

A coletânea reúne 48 tiras, entre material publicado no blog e inédito. O lançamento acontece pelo selo independente Quadro Imaginário, de Omar, Laudo Ferreira Jr. e Flávio Soares.

Simpático só que não tem 16 páginas coloridas, formato 14,8 x 21 cm e preço de R$ 5. O prefácio é do jornalista Paulo Ramos.

Lançamentos nacionais no 20º Fest Comix

capagriloyesuah

Entre os muitos gibis com descontos, sessões de autógrafos e bate-papos, um dos atrativos de mais esta edição do evento de quadrinhos são os lançamentos de autores nacionais.

Veja alguns deles:

Homem-Grilo & Sideralman 1 (32 páginas, R$ 10)

Lançamento do coletivo de quadrinhistas Petisco, reúne os personagens criados por Cadu Simôes e Will. É a primeira vez que os heróis brasileiros se encontram e, segundo os autores, passarão a coexistir no mesmo universo fictício. São duas HQs e cinco tiras, todas com roteiro de Cadu. A arte é de Will, Alexandre Coelho e Samuel Bono. Há mais quatro ilustrações desenhadas por Bono, Mario Cau, Juliano Oliveira e Omar Viñole.

Yeshuah – Onde tudo está (240 páginas, R$ 30)

Depois de três anos desde o segundo volume, chega ao fim a trilogia criada pelo quadrinhista Laudo Ferreira com sua visão histórica e pessoal de Jesus. Esta conclusão mostra a viagem à Jerusalém para a Páscoa, a última ceia, prisão, julgamento e morte de Jesus. A arte final é de Omar Viñole.

Outros lançamentos: Noiva Zumbi, de Gonçalo Jr. e Fabio Cruz; A Luta contra Canudos, de Daniel Esteves, Jozz e Akira Sanoki; Humor Paulistano, de Toninho Mendes; Imagine (zumbis) na Copa, de Felipe Castilho e Tainan Rocha.

O 20º Fest Comix acontece de 1 a 4 de maio no Centro de Convenções Imigrantes.

HQ nacional “Depois da Meia-Noite” ganha versão digital

 icon-edicao2A minissérie em três edições escrita e desenhada por Laudo Ferreira, e arte-finalizada por Omar Viñole, foi lançada originalmente de forma independente em 2007, e ganhou o Prêmio HQ Mix como Melhor Publicação Independente Especial.

Agora, numa parceria entre o Estúdio Banda Desenhada, de Laudo e Omar, e a empresa Caos Developers, a HQ chega em versão digital. Entre os recursos aplicados estão ambientação em áudio (que pode ser desativada) e animação de elementos nos quadros de algumas páginas.

A trama é centrada no misterioso assassino em série Meia-Noite, que vem atuando há décadas, e na investigação realizada por um detetive todo certinho e sua parceira viciada em heroína.

Inicialmente, Depois da Meia-Noite está disponível apenas para dispositivos com sistema iOs e pode ser baixada na Apple Store. A Caos Developers está estudando da viabilidade de versões para Android e Windows Phone, sem previsão de lançamento até o momento.

A primeira edição pode ser baixada de graça; as outras duas vão custar 99 centavos de dólar – a segunda estará disponível no dia 15 de junho.

O próximo fruto da parceria é a versão digital e em e-book da coletânea de tiras do Coelho Nero, de Omar Viñole.

Nossa opinião

A indústria de quadrinhos, tanto nacional quanto estrangeira, ainda está tateando esse admirável mundo novo que são as mídias digitais.

Algumas experiências não vão além da simples página impressa preenchendo a tela, enquanto outras abusam tanto dos recursos de áudio e animação que se afastam da essência da narrativa gráfica.

Papo de Quadrinho baixou a primeira edição digital de Depois da Meia-Noite e concluiu que a publicação está trilhando um caminho correto, dos muitos possíveis. A Caos Developers parece ter encontrado o meio termo entre os dois extremos citados acima.

Os recursos multimídia foram usados de modo a não se sobreporem à narrativa gráfica convencional; ao contrário, acrescentam “informações” à trama por meio do tom sombrio da trilha sonora, de elementos animados e de “efeitos especiais” que antecipam acontecimentos da página seguinte – como a tela preenchida por buracos de bala e o som de tiros.

Alguns recursos poderiam melhorar a experiência da leitura, especialmente na tela pequena do iPhone: a opção de zoom e a leitura quadro a quadro, semelhante ao sistema de navegação Guided View do Comixology.

De todo modo, Depois da Meia-Noite representa não só um avanço na produção nacional digital, mas, mais importante, indica o caminho.

Considerando a produção prolífica da dupla Laudo e Omar, se este modelo se viabilizar financeiramente poderemos ter nas nossas telas, num curto espaço de tempo, obras importantes como Yeshuah, Histórias do Clube da Esquina e Auto da Barca do Inferno.

2014: O que vem por aí pela Peirópolis

edipo

Neste ano, a editora mantém em sua linha de quadrinhos a coleção Clássicos em HQ, com adaptações de clássicos da literatura brasileira e universal feitas por artistas brasileiros.

Os títulos previstos para 2014 são:

A morte de Ivan Ilitch: considerada uma das novelas mais bem escritas da literatura universal, o livro de Lev Tolstói acompanha as reflexões de um juiz de instrução à beira da morte e o arrependimento de uma vida inteira baseada em aparências. A tradução e adaptação do texto são de Boris Schnaiderman e a arte, de Caeto (programado anteriormente para 2013).

Fausto: o clássico do alemão Goethe tem início quando Mefistófeles e Deus fazem uma aposta pela alma de Henrique Fausto, sábio que almeja deter todo o conhecimento do universo. O livro tornou-se o símbolo do que significa vender a alma ao Diabo. Roteiro adaptado por Léo Santana, arte de Rom Freire e cores de Dinei.

Os Sofrimentos do Jovem Werther: Mais uma obra de Goethe selecionada pela Peirópolis, foi publicada originalmente em 1774. A história é centrada em Werther, jovem talentoso e introspectivo em busca de si mesmo e de seu lugar no mundo. Adaptação para os quadrinhos de Daniel Gisé. (programado anteriormente para 2013).

Édipo Rei: tragédia grega escrita por Sófocles e encenada pela primeira vez no ano 427 a.C. Por meio do relato de um escravo cego, o jovem rei Édipo descobre como foi vítima da profecia que seus pais tentaram evitar – e que acabaram provocando. Roteiro e arte de Laudo Ferreira Jr. e Omar Viñole (arte conceitual acima).

Orlando: escrito por Virginia Wolf em 1928, expõe questões atuais até hoje, como identidade e gênero. Adaptado para cinema e teatro, é a primeira vez que o livro chega aos quadrinhos de Luciana Penna e Luana Geiger.

“Coelho Nero”, de Omar Viñole, terá lançamento no FIQ

Capa HQCoelhoNero divulga

O Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte, de 13 a 17 de novembro, será palco mais uma vez de um grande número de lançamentos de HQs nacionais, algumas delas fruto de financiamento coletivo pelo site Catarse.

Criação do desenhista, arte-finalista e colorista Omar Viñole (Yeshuah, Clube da Esquina, História do Brasil em Quadrinhos), o Coelho Nero finalmente sai do blog onde é publicado desde 2009 e ganha as páginas impressas, numa produção independente.

A coletânea Coisas que um coelho pode te dizer, com 16 páginas coloridas e preço de R$ 5, reúne 48 dessas tiras, sendo sete inéditas. O Coelho Nero retrata a visão crítica do autor sobre temas como costumes, política e comportamento.

O lançamento oficial com sessão de autógrafos acontece no dia 15, a partir das 17h, no estande do coletivo Petisco.

Nero 118

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2019