Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: George Lucas

Crítica: Star Wars Episódio VII – O Despertar da Força

sw

Em respeito ao leitor, nossa crítica não tem SPOILERS

Por Társis Salvatore

Star Wars é a franquia mais importante da cultura pop. Foi essa ópera espacial que mudou o cinema e a forma de fazer cinema. Avançou em diversas mídias, como quadrinhos, livros e videogames. E o mais importante: Star Wars cravou personagens e ideias que estão imortalizados no imaginário popular.

Por isso, quando a Disney adquiriu a Lucasfilm, o anúncio de uma nova trilogia a partir de Star Wars – The Return of the Jedi explodiu a cabeça de milhões de fãs de todas as idades.

Como seria a continuação? Os atores originais estariam presentes? Quem iria dirigir? Será que depois do prelúdio, voltaríamos a assistir a um bom filme?

Não é exagero dizer que, embora tenham tido êxito comercial, Episode I: The Phantom Menace (1999), Episode II: Attack of the Clones (2002) e Episode III: Revenge of the Sith (2005) decepcionaram a maioria dos fãs, com sua ênfase nos efeitos especiais em detrimento às boas atuações e narrativas coesas.

Anunciados o diretor do novo filme (J.J.Abrams) e o elenco, com uma mistura de atores da trilogia clássica (Mark Hamill, Harrison Ford, Carrie Fisher, Peter Mayhew) e jovens talentos não tão conhecidos do grande público (Adam Driver, Daisy Ridley, John Boyega, entre outros) a sensação de que as respostas seriam satisfatórias aumentou.

Assim, com grande expectativa e euforia, estreou nos cinemas, batendo recordes, Star Wars – The Force Awakens, narrando os acontecimentos trinta anos depois do episódio VI.

Finalmente, depois de três filmes frustrantes que fugiam ao espírito da trilogia clássica, temos um filme digno da marca Star Wars.

Mérito dos produtores, que criaram um ambiente real, sem focar apenas em efeitos especiais. Mérito do diretor J.J. Abrams, que fez o que o criador George Lucas não conseguiu com seu prequel: tirar o melhor de seus atores, equilibrar boas atuações e história emocionante, resgatar de forma precisa a nostalgia e beleza que o universo de Star Wars criou décadas atrás.

Mérito também dos novos personagens incríveis da saga, como os protagonistas Rey (Daisy Ridley), Finn (John Boyega) e Kylo Ren (Adam Driver). Todos com carisma suficiente para abrir seu próprio espaço no panteão de grandes heróis e vilões de Star Wars.

Embora o roteiro tenha pontos obscuros – que devem ser preenchidos em outras mídias bem ao estilo Universo Expandido – a história convence e leva os fãs a uma jornada para desvendar os mistérios da Força e da Primeira Ordem, grupo que pretende seguir os passos do destronado Império galáctico.

É uma nova fase, que pretende trilhar o sucesso da trilogia clássica, ou no mínimo, se aproximar dela.

Star Wars – The Force Awakens convence, emociona e diverte. Não fica preso ao passado, mas reverencia o clima e a estética que fizeram de Star Wars a marca número um da Cultura Pop. É comprar a pipoca e curtir o momento. A Força está conosco, mais uma vez.

Biografia de George Lucas finalmente chega ao Brasil

georgelucasskywalking

Outro dia  comentamos aqui no Papo de Quadrinho sobre a proliferação de produtos relacionados à franquia Star Wars à medida que a estreia de Episódio 7 – O Despertar da Força se aproxima.

Um lançamento há muito esperado é a biografia escrita por Dale Pollock, George Lucas – Skywalking a vida e a obra do criador de Star Wars, que a Editora Évora finalmente traz ao Brasil por meio do selo Generale.

Mais que conhecer a trajetória profissional de um dos mais criativos e bem-sucedidos profissionais da sétima arte, o livro é uma oportunidade para os fãs terem acesso a novos detalhes da saga espacial: a dificuldade em levantar dinheiro para a produção, a gênese dos personagens, a seleção do elenco.

George Lucas teve três edições nos Estados Unidos desde que foi lançado pela primeira vez, em 1999. A edição brasileira da Évora foi revisada e atualizada pelo jornalista Hamilton Rosa Júnior, responsável também pelo posfácio sobre a nova série de filmes.

O livro tem 438 páginas, formato 16 x 23 cm, capa cartonada e preço de R$ 49,90. Em lojas virtuais como Saraiva e Amazon é possível encontrar com desconto.

“A Arte Do Cinema: Star Wars” reúne imagens e depoimentos inéditos

Capa STAR WARS

Do Press-Release

Desde que Episódio IV – Uma Nova Esperança chegou às telas em 1977, Star Wars nunca mais saiu de moda. Nos quase 40 anos que separam os dias de hoje daquele lançamento, outros filmes e uma enorme quantidade de livros, quadrinhos, animações, videogames e produtos licenciados deram continuidade ou expandiram a saga espacial criada por George Lucas.

Com a estreia de Star Wars: Episódio VII – O Despertar da Força, em dezembro, mais lançamentos são anunciados a cada dia. Um deles é A Arte do Cinema: Star Wars (The Art of Film – Volume 1: Star Wars), que a Editora Europa traz ao Brasil com exclusividade.

O livro reúne as ilustrações de artistas de diferentes gerações que trabalharam com algum produto relacionado à franquia ou simplesmente colocaram seu talento a serviço do amor de fã. Entre eles estão desde os lendários Ralph McQuarrie e Greg Hildebrandt – criadores, respectivamente, da arte conceitual e do cartaz oficial do filme de 1977 – até Terry Dodson, desenhista de uma das atuais séries em quadrinhos de Star Wars.

O primeiro capítulo revela detalhes da exposição Identities, que já passou por vários países. A mostra reúne narrativas originais de George Lucas, mais de 200 adereços de roupas e cenas, e imagens em que artistas buscaram representar os principais personagens da saga por meio da junção de elementos que os representam.

A Arte do Cinema: Star Wars é mais que uma sequência de imagens. Cada capítulo é enriquecido por entrevistas com os autores, que contam sua relação pessoal e profissional com a saga em declarações muitas vezes desconhecidas até mesmo dos fãs.

McQuarrie, por exemplo, lembra que o icônico visual de Boba Fett foi criado por acaso, enquanto ele rascunhava em seu bloco de anotações durante uma reunião sobre O Império Contra-Ataca, segundo filme da trilogia original. “Quando terminamos, George Lucas olhou para ele e disse que poderia usá-lo como um caçador de recompensas”. Houve ocasiões em que Lucas utilizou pinturas de pré-produção feitas pelo artista para explicar no set como gostaria que as cenas fossem filmadas.

Greg Hildebrandt, que produziu o pôster original junto com o irmão gêmeo Tim em apenas quatro dias, tendo apenas algumas fotos como referência, relata algumas curiosidades: Lucas queria uma imagem que parecesse saída dos quadrinhos, então eles retrataram os personagens com proporções heroicas que os atores não tinham; e não puderam usar Mark Hammil (Luke Skywalker) e Carrie Fisher (Princesa Leia) como referência, porque se tratava de “atores desconhecidos”.

Mais de 30 anos depois, Greg foi contratado pela Marvel (Tim faleceu em 2006) para pintar três ilustrações que vão servir de capa para os encadernados das histórias em quadrinhos originais que a editora está relançando em formato de luxo.

O livro apresenta outras curiosidades, como o trabalho do artista Grant Gould, que criou milhares de cards de Star Wars; Iain McCaig, principal artista conceitual da trilogia moderna e criador do visual de Darth Maul; Randy Martinez, que coloca os personagens em situações bem-humoradas; o estilo art nouveau de Karen Hallion e o cartunesco de Bobby Pontillas; os cenários construídos com bonecos articulados de Stephen Hayford; e Chris Trevas, que com seu traço realista imaginou cenas omitidas dos filmes, como o assassinato dos tios de Luke Skywalker.

Em muitos casos, os artistas detalham as técnicas empregadas no trabalho, o que faz de A Arte do Cinema: Star Wars uma obra obrigatória não só para fãs e estudiosos, mas também para outros artistas que podem se inspirar em profissionais com anos de mercado.

A Arte do Cinema: Star Wars é uma publicação especial da conceituada revista inglesa ImagineFX. No Brasil, foi produzido pela mesma equipe que faz a revista Mundo Nerd, também da Editora Europa: Manoel de Souza (editor de texto e arte), Maurício Muniz, Gustavo Vícola e Paulo Ferreira (tradução).

SERVIÇO: A Arte do Cinema: Star Wars (The Art of Film – Volume 1: Star Wars) – Editora Europa

180 páginas coloridas – Formato: 18 x 30 cm – Preço: R$ 59,90

À venda em livrarias de todo o País, lojas especializadas e no site www.europanet.com.br.

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2019