Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: financiamento

Com investimento menor, ProAC Quadrinhos 2016 está com inscrições abertas

proac

Interessados em submeter um projeto inédito de HQ para financiamento do ProAC (Programa de Ação Cultural), da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, têm até o dia 25 de agosto para se inscrever.

O edital publicado nesta terça-feira, dia 12, traz algumas mudanças em relação ao dos anos anteriores. A mais significativa é a redução do investimento para R$ 480 mil, o menor desde 2012. Neste ano, serão contemplados 12 projetos com R$ 40 mil cada (em 2014 e 2015 foram 20 projetos; em 2013, 15).

Outra novidade é que a inscrição deve ser feita exclusivamente pelo sistema eletrônico do ProAC. Não serão aceitas inscrições protocoladas na sede da Secretaria nem enviadas pelo Correio, como funcionava o processo até então.

Neste ano, há também a preocupação em promover um rodízio entre os projetos selecionados: pelo menos seis deles (50%) serão obrigatoriamente de autores que não foram contemplados no ProAC 2015.

Os ganhadores terão 10 meses para concluir a produção da HQ, contados a partir do pagamento da primeira parcela (70%, ou R$ 28 mil), podendo solicitar prorrogação de mais dois meses.

Para baixar o edital e ficar por dentro de todos os detalhes, prazos, documentação etc., clique aqui.

Apoie esse projeto: “Almanaque Zona Zen”, de Nestablo Ramos

zonazen

Nas palavras do autor, Zona Zen é “quase um manual de sobrevivência para a complexidade de viver nos dias atuais”. As histórias, publicadas entre 2005 e 2010 numa revista cultural distribuída no Distrito Federal, tratam de pessoas e situações comuns do dia a dia.

Nestablo Ramos é um prolífico quadrinhista e defensor da causa animal. Entre muitos trabalhos, é criador da trilogia em quadrinhos Zoo, cuja última parte está em fase final de produção.

Diferentemente da maioria dos projetos de quadrinhos que buscam financiamento coletivo, Nestablo seguiu os passos do colega Flavio Luiz e optou pela plataforma Kickante, em vez do Catarse.

Almanaque Zona Zen terá 120 páginas coloridas, com histórias curtas e lombada quadrada.

FICHA:

Link do projeto: http://www.kickante.com.br/campanhas/almanaque-zona-zen

Data limite: 20 de dezembro

Meta: R$ 20 mil

Atingido até o momento: R$ 1.882 (9%)

Colaboração mínima: R$ 12

Colaboração máxima sugerida: R$ 250

Recompensas: de versão em PDF do livro até 10 exemplares impressos e arte original em papel A4.

Previsão de entrega: Dezembro de 2014

Apoie esse projeto: “Nada com Coisa Alguma”, de José Aguiar (últimos dias)

nadacomcoisaalguma

Artista, quadrinhista, autor de obras premiadas, cocriador da Gibicon e um dos criadores do evento de leitura dramática de quadrinhos, o Cena HQ – premiado neste ano com o troféu HQMix, José Aguiar publica atualmente as tiras Folheteen e Nada com Coisa Alguma.

É esta última que pretende virar coletânea em livro e, para isso, busca financiamento coletivo no Catarse. As tiras não têm tema ou formato fixos, e oferecem a visão crítica e bem humorada do autor sobre passagens do cotidiano.

O projeto terá 132 páginas e vai reunir o melhor do que já foi publicado até agora em jornais, em formato diferenciado.

FICHA:

Link do projeto: http://www.catarse.me/pt/nadacomcoisaalguma

Data limite: 12 de novembro

Meta: R$ 25.252

Atingido até o momento: R$ 17.345 (69%)

Colaboração mínima: R$ 35

Colaboração máxima sugerida: R$ 5.000

Recompensas: de versão impressa autografada até logo da empresa apoiadora na quarta capa e cota de 150 exemplares

Previsão de entrega: Janeiro de 2015

ProAC Quadrinhos 2013: Maioria dos autores pede prorrogação de prazo

proac

Atualizado em 28.10.2014, às 12h45

A lista de projetos foi corrigida. A anterior, enviada pela Secretaria da Cultura, continha erros.

Post original corrigido

Semelhante ao que ocorreu no ano passado, a maior parte dos projetos selecionados pelo Programa de Ação Cultural (ProAC) de 2013 vai fazer uso da prorrogação prevista no edital.

Até o momento, apenas uma HQ foi concluída, Cumbe (inscrita originalmente como Kalunga – Histórias de Resistência), de Marcelo D’Salete, lançada em agosto.

Quatro projetos não solicitaram prorrogação – o pedido precisa ser protocolado 20 dias antes do prazo final – e devem ser lançados na data prevista:

Jockey, de André Moreira Aguiar (idem)

Escrevendo com o lado direito do fígado, de Artur Fujita (14 de novembro)

Perigo no Circo Sombrio, de Aluir Amancio

Os demais autores têm mais 60 dias para entregar seus trabalhos à Secretaria de Cultura de São Paulo, contados a partir da data-limite de 10 meses após a assinatura do contrato e recebimento da primeira parcela (70%).

La Dansarina, de Lillo Parra

O Colhedor de Raios, de Marcelo Shun Izumi

Cidadão N, de Daniel A. Lopes

Pare!, de Elias Paulo Martins

Cidade das Águas, de Olavo Rocha

Acordes # 2, de Rogério Gonçalves Ferreira Vilela

Thanatos, de Rodrigo Costa Estravini Pereira

Segundo Tempo, de Alex Mir

Goiabada e Queijo Branco, de Bruno Hamzagic de Carvalho

Ópera Jones, de Mauro Henrique Costa de Souza

Selena, de Jinnie Anne Pak

ProAC investe mais de R$ 2 milhões em quadrinhos

proac

Ao lado do financiamento coletivo, os recursos públicos têm se mostrado outra ferramenta importante para a produção de quadrinhos nacionais.

Em São Paulo, o ProAC – Programa de Ação Cultural, criado em 2006 e regulamentado em 2009, destina parte do orçamento da Secretaria de Cultura para este fim.

De 2009 a 2014, o ProAC Quadrinhos investiu R$ 2,35 milhões e viabilizou a produção de 70 HQs – lançadas de forma independente ou por meio de editoras.

Veja a evolução do financiamento:

2009: 10 projetos, (R$ 25 mil para cada = R$ 250 mil)

2010: 10 projetos, (idem)

2011: 10 projetos, (idem)

2012: 5 projetos, (40 mil para cada = R$ 200 mil)

2013: 15 projetos,, (idem = R$ 600 mil)

2014: 20 projetos, (idem = R$ 800 mil)

Estes números já levam em consideração os projetos do edital de 2013 que começam a ser lançados a partir do final deste ano, e os do edital de 2014, cujos selecionados devem ser anunciados nas próximas semanas.

O prazo para conclusão dos projetos é de 10 a 12 meses a partir do pagamento da primeira parcela (70%) aos autores, podendo ser prorrogado por 60 ou 90 dias.

Além de ter o projeto financiado, o autor fica com o lucro da venda. Em contrapartida, o programa pede uma quantidade de exemplares para serem distribuídos em bibliotecas públicas, a organização de workshops gratuitos e “um conjunto de ações visando a garantir o mais amplo acesso da população em geral ao produto cultural gerado”.

Apoie este projeto: “Passaporte”, de Jão e Bruno Pirata

Cidade Terra - Bruno PirataDando sequência à série de notas sobre projetos em crowdfunding, o destaque da vez é Passaporte – que tem até o dia 18 deste mês para ser viabilizada.

A aposta dos autores Jão e Bruno Pirata está na produção experimental. Os sete volumes que compõem o selo – seis da série Viajante Jão (Páginas Marcadas, O Celibato da Fumaça, Manchas, Arquitextura,  Apartamento e O Beijo de Beija-Flor) mais a antologia Cidade Terra – têm estética de fanzine e utilizam recursos como serigrafia, carimbo e impressão à laser para reforçar o caráter artesanal.

As histórias de Viajante Jão, nas palavras do autor, são “narrativas oníricas inspiradas no cotidiano”. As seis histórias de Cidade Terra têm o pé na ficção científica.

No sistema de recompensas, o projeto vai adicionando os volumes da série à medida que aumenta o valor da colaboração. A previsão de lançamento é no FIQ – Festival Internacional de Quadrinhos, em Belo Horizonte, de 13 a 17 de novembro.

FICHA:

Link do projeto: http://catarse.me/pt/Passaporte

Data limite: 18 de outubro

Meta: R$ 10 mil

Atingido até o momento: R$ 1,9 mil

Colaboração mínima: R$ 10

Colaboração máxima sugerida: R$ 1.000

Recompensas: de versão impressa de um volume (Páginas Marcadas) até originais das páginas.

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2019