Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: Financiamento Coletivo

HQ com heróis nacionais clássicos busca financiamento

AlfaPrimeiraOrdem

Depois da bem-sucedida campanha de financiamento coletivo da HQ Protocolo: A Ordem, o editor Elenildo Lopes deu início há pouco mais de um mês à captação de recursos para produzir a sequência Alfa: A Primeira Ordem.

Alfa dá sequência ao projeto anterior e à reunião, até então inédita, de mais de 20 super-heróis nacionais numa mesma história. A diferença, agora, é que a trama vai possibilitar a inclusão de personagens clássicos como Capitão 7, Flama, Raio Negro, Homem-Lua e Capitão Gralha – esse último uma criação contemporânea que remete à Era de Ouro.

A HQ de 48 páginas traz a primeira parte da trama, com roteiro de Gian Danton, arte de Marcio Abreu e cores de Vinicius Townsend. Segundo Elenildo, dividir o projeto em mais de um volume foi uma decisão para baratear os custos e criar cotas mais acessíveis para os apoiadores.

Os valores variam de R$ 20 (Alfa e outra revista, em formato digital) até R$ 505 (Alfa mais revistas diversas, todas impressas, e arte original autografada).

Até o momento, o projeto recebeu 72 apoios e captou 26% da meta de R$ 20 mil. O prazo final é 21 de abril e, caso o projeto consiga o financiamento, a previsão de lançamento é agosto. O link para apoio é: https://www.catarse.me/ALFA.

Lançado em 2016, Protocolo: A Ordem ganhou o troféu Ângelo Agostini na categoria Melhor Lançamento Independente.

Ator Felipe Folgosi está com novo projeto de HQ: “Comunhão”

Comunhão1

Trabalhando atualmente na recém-estreada novela A Terra Prometida, da TV Record, o ator, roteirista e diretor Felipe Folgosi se aventurou pelo mundo das histórias em quadrinhos há pouco mais de um ano, com a graphic novel Aurora.

Agora, ele está de volta ao meio com um novo projeto, Comunhão que, a exemplo do anterior, está em busca de financiamento coletivo no Catarse. No momento de publicação desta matéria, o cumprimento da meta de R$ 49.500 estava em 65%, faltando 24 dias para o prazo final.

Comunhão3

O autor define sua nova obra como uma história de terror. Na trama, um grupo de corrida de aventura penetra no coração da Mata Atlântica para resolver uma rixa entre seus membros e provar quem é o melhor. O encontro com uma tribo perdida e um reverendo misterioso vai fazer com que eles precisem correr pela própria vida.

Para falar mais sobre Comunhão e sua experiência com HQs, Felipe Folgosi respondeu as 5 perguntas do Papo de Quadrinho:

De onde veio a ideia para a trama de Comunhão?

A sugestão de escrever um terror surgiu em 2006, por meio de um amigo americano, já que este gênero é muito produzido nos Estados Unidos. Então comecei a pensar como tornaria uma história dessas interessante para mim. Comecei a pensar o que poderia escrever usando o universo das corridas de aventuras, por unir ação, desafios, superação dos limites e a natureza implacável. Junto a isso comecei a pensar sobre a origem do mal, e como alguém pode se desvirtuar e acabar em lugares perigosos moralmente.

Como foi a aceitação do seu trabalho anterior, Aurora?

Melhor do que esperado. Várias pessoas que compraram o livro em eventos no ano passado voltaram a me encontrar nos eventos deste ano para me cumprimentar e dizer que gostaram. Sem falar daquelas que entram em contato pelas redes sociais.

Qual a principal diferença entre as duas obras?

São gêneros bem diferentes. A protagonista do Comunhão é uma mulher, enquanto do Aurora é um homem. Esteticamente também são diferentes. O JB Bastos, que faz a arte, é craque no terror e quis desenhar em preto e branco para exatamente diferenciar do Aurora, e ao mesmo tempo remeter aos quadrinhos de terror dos anos 70.

O que você aprendeu com Aurora – em termos de produção, financiamento, divulgação – que está aproveitando agora em Comunhão?

Aprendi muito! Principalmente que planejamento é essencial. Quanto mais o orçamento e os prazos estiverem sob controle, mais tranquila vai ser a produção.

Qual a maior diferença entre escrever um roteiro para cinema e um para quadrinhos?

O quadrinho exige mais decupagem. Múltiplas ações podem acontecer no cinema, e para fazer isso nos quadrinhos você tem que detalhar cada momento isoladamente. A síntese é maior.

Para mais informações, valores e recompensas, acesse o link https://www.catarse.me/pt/comunhaohq. O lançamento está previsto para dezembro.

Livro vai contar história da revista “Herói” com ajuda dos fãs

O_Livro_Heroi

Um dos maiores fenômenos editoriais da cultura pop no Brasil, a revista Herói marcou uma geração inteira de leitores na década de 1990. Agora, a trajetória da publicação vai virar livro por meio de financiamento coletivo no Catarse.

De acordo com o projeto, a obra será estruturada em três eixos: história da Herói, com depoimentos de editores e colaboradores das diversas fases; cronologia com todas edições comentadas, capas, principais matérias e autores; artigos sobre o impacto da revista no mercado, informações inéditas e projetos que não foram para frente, como uma convenção de quadrinhos.

Faltando 45 dias para o final da campanha, já foram atingidos quase 50% da meta de R$ 25 mil.

As recompensas vão de R$ 25 (PDF do livro e réplica da Herói 1 autografada) até R$ 300 (livro impresso com capas variantes e sobrecapa, réplica da primeira edição, entrevista com o colaborador publicada no livro, troféu, pôsteres). Haverá recompensas estendidas de acordo com o valor alcançado.

O livro é assinado por André Forastieri, criador e editor-chefe da Herói no período em que a revista circulou, com colaboração da jornalista e roteirista Arianne Brogini, editora da fase do site Heroi.com.br, da jornalista Juliana Zorzato e de Matheus Mossmann, especialista na publicação.

Quem quiser colaborar e ver esse projeto acontecer tem até o dia 16 de novembro. O lançamento está previsto para dezembro. Para colaborar, clique aqui.

“A Ordem” volta a buscar financiamento coletivo

A Ordem-Capa

O projeto pretende reunir 20 super-heróis brasileiros dos quadrinhos numa aventura de 100 páginas. Para viabilizá-lo, o idealizador da ideia, Elenildo Lopes, recorre ao financiamento coletivo por meio do Catarse pela segunda vez.

Na primeira campanha, encerrada em janeiro, a ambiciosa meta de R$ 45 mil chegou a 24% (R$ 11.180). Refeitas as contas, o projeto volta a pedir ajuda dos leitores, agora com novo nome – O Protocolo: A Ordem – e nova meta: R$ 13 mil.

Elenildo diz que a redução foi possível porque deixou de lado a ideia inicial de contratar artistas consagrados e partiu para um projeto genuinamente autoral, em que os próprios participantes escrevem e desenham.

São eles: o próprio Elenildo (argumento), Daniel Arcos (argumento e montagem gráfica), Augusto Velazquez (argumento), Thiago Da Silva Mota (argumento e roteiro), Ton Marx (argumento e desenhos), José Amorim Neto (cores)e Lunyo Alves de Souza (cores).

O formato será mantido: capa e miolo coloridos, formato 16 x 25 cm, papel couché e lombada quadrada. A produção segue bastante adiantada, com as 96 páginas de roteiro escritas, 30 desenhadas e 10 colorizadas. A previsão de lançamento é janeiro de 2016.

Os interessados em colaborar (link aqui) têm opções de recompensas que vão de R$ 25 a R$ 250 (algumas já estão esgotadas). O prazo será encerrado no dia 24 de outubro. Até o momento, foram atingidos 29% da meta (R$ 3.865).

A Ordem - Personagens

Will e Spacca juntos em campanha de financiamento coletivo

VerneMauáCompetentes e gente boa, os dois profissionais uniram-se para dar continuidade ao projeto iniciado no ano passado na revista 2×10!, também por meio de financiamento coletivo.

Do Press-Release

Júlio Verne e Barão de Mauá, dois gigantes do seu tempo, visionários em suas artes. Neste inusitado encontro, se apresenta uma épica aventura pela inóspita, desconhecida e misteriosa Floresta Amazônica.

Mesclando elementos históricos e ficcionais, um vilão malvado, invenções mirabolantes, companheiros de viagem nada convencionais, mulheres guerreiras e pedras misteriosas, que provocam nossos dois heróis a viajarem para desvendar um instigante enigma.

Esta é a premissa para este novo trabalho do quadrinista Will, fazendo dupla de criação com o renomado Spacca. A história teve sua primeira inspiração em 2009. A ideia para unir Júlio Verne e Mauá numa mesma história nasceu do próprio Will, mas desde o início ele sabia que não a escreveria, só desenharia.

Numa parceria inusitada, Spacca foi convidado para desempenhar um papel até então inédito em sua trajetória como profissional: o de ser apenas o roteirista deste trabalho. As dez primeiras páginas foram publicadas em 2014 na revista 2X10! E, agora, com esta campanha no Kickante, a história completa será enfim impressa e conhecida.

Uma Aventura de Verne & Mauá – MIL LÉGUAS TRANSAMAZÔNICAS

A magnífica viagem de um banqueiro e um escritor pelo céu do Brasil

Tiragem: 1.000 exemplares

64 páginas de miolo (56 de história), papel couchê 115gr.

Formato: 20 X 27,5cm (fechado)

Capa em papel supremo 250gr.

Lombada quadrada, totalmente colorido.

 

Para quem quiser fazer parte dessa empreitada e colaborar financeiramente com o projeto, o link é este aqui.

Apoie esse projeto: “Almanaque Zona Zen”, de Nestablo Ramos

zonazen

Nas palavras do autor, Zona Zen é “quase um manual de sobrevivência para a complexidade de viver nos dias atuais”. As histórias, publicadas entre 2005 e 2010 numa revista cultural distribuída no Distrito Federal, tratam de pessoas e situações comuns do dia a dia.

Nestablo Ramos é um prolífico quadrinhista e defensor da causa animal. Entre muitos trabalhos, é criador da trilogia em quadrinhos Zoo, cuja última parte está em fase final de produção.

Diferentemente da maioria dos projetos de quadrinhos que buscam financiamento coletivo, Nestablo seguiu os passos do colega Flavio Luiz e optou pela plataforma Kickante, em vez do Catarse.

Almanaque Zona Zen terá 120 páginas coloridas, com histórias curtas e lombada quadrada.

FICHA:

Link do projeto: http://www.kickante.com.br/campanhas/almanaque-zona-zen

Data limite: 20 de dezembro

Meta: R$ 20 mil

Atingido até o momento: R$ 1.882 (9%)

Colaboração mínima: R$ 12

Colaboração máxima sugerida: R$ 250

Recompensas: de versão em PDF do livro até 10 exemplares impressos e arte original em papel A4.

Previsão de entrega: Dezembro de 2014

Apoie esse projeto: “Nada com Coisa Alguma”, de José Aguiar (últimos dias)

nadacomcoisaalguma

Artista, quadrinhista, autor de obras premiadas, cocriador da Gibicon e um dos criadores do evento de leitura dramática de quadrinhos, o Cena HQ – premiado neste ano com o troféu HQMix, José Aguiar publica atualmente as tiras Folheteen e Nada com Coisa Alguma.

É esta última que pretende virar coletânea em livro e, para isso, busca financiamento coletivo no Catarse. As tiras não têm tema ou formato fixos, e oferecem a visão crítica e bem humorada do autor sobre passagens do cotidiano.

O projeto terá 132 páginas e vai reunir o melhor do que já foi publicado até agora em jornais, em formato diferenciado.

FICHA:

Link do projeto: http://www.catarse.me/pt/nadacomcoisaalguma

Data limite: 12 de novembro

Meta: R$ 25.252

Atingido até o momento: R$ 17.345 (69%)

Colaboração mínima: R$ 35

Colaboração máxima sugerida: R$ 5.000

Recompensas: de versão impressa autografada até logo da empresa apoiadora na quarta capa e cota de 150 exemplares

Previsão de entrega: Janeiro de 2015

Catarse ajuda a financiar mais de R$ 1 milhão em quadrinhos

Catarse_Carnivora

O Catarse vem se consolidando como a principal ferramenta de financiamento para produção de HQs independentes. Desde que o primeiro projeto foi cadastrado no site, em outubro de 2011, os apoiadores contribuíram com R$ 1.437.624,00. Não por acaso, o Catarse ganhou neste ano o troféu HQMix de “Grande Contribuição”.

O valor é mais que o dobro do observado no último levantamento do Papo de Quadrinho, em agosto do ano passado (R$ 527,5 mil).

Atualmente, o site totaliza 123 projetos de HQ: 83 (67%) bem sucedidos, 27 (22%) não financiados e 13 (11%) em andamento (veja lista abaixo).

Caso os projetos em andamento se convertam em bem sucedidos, o financiamento total sobe para R$ 1.702.276,00.

O levantamento deste blog aponta algumas curiosidades:

Projeto mais bem sucedido: Cuecas pro cima das calças, da Rafael Koff (523% da meta de R$ 5.000)

Projeto mais caro: Combo Rangers, de Fabio Yabu (R$ 67.940 da meta de R$ 40.000)

Projeto mais barato: Zinecórnio 3, de Mayra Pascotto (R$ 300, da meta de R$ 210)

Projeto mais rejeitado: Valentin, o menino verde, de Denise Constantino (0,01% da meta de R$ 2.000). É também o projeto que menos arrecadou: R$ 20.

Os projetos abaixo estão em andamento e necessitam de apoio para financiamento:

Últimos dias

Jam Session: O Crime De Teishouko Preto, de Dani Baptista

Chacal: Os Crimes da Rua do Arvoredo, de Ton Messa

Novembro

Identidade, de Gabriel RS

Desenhos Óbvios Por Pessoas Clichês: O Livro, de Luiza Veras

Beladona, de Denis Mello

Carolina, Sua Vida Vai Ser Linda, de Luara Almeida

Nada Com Coisa Alguma, de José Aguiar

Barão Macaco, de Hector Lima

Fronteira Livre, de Milena Azevedo

Carnívora, de Péricles Júnior (imagem acima)

Dezembro

Aurora, de Felipe Folgosi

Peças, de Thiago Cascabulho

Quadrinhos Impossíveis – vol. 1, de Tiago Silva

Apoie este projeto: “Fronteira Livre”, de Milena Azevedo

fronteira_livre_capa_zps53116f7d

Mais um projeto interessante (entre muitos) de quadrinho nacional em busca de financiamento coletivo por meio do site Catarse.

Organizado por Milena Azevedo – a mesma do projeto Visualizando Citações, também financiado via Catarse e indicado ao prêmio HQMix deste ano -, trata-se de uma coletânea com artistas de diferentes regiões do país (veja lista completa na página do projeto).

A ideia de Fronteira Livre é misturar os diferentes “temperos”, gírias e formas de produzir quadrinhos por meio de parcerias inéditas entre estes artistas.

FICHA:

Link do projeto: http://www.catarse.me/pt/fronteira_livre

Data limite: 20 de novembro

Meta: R$ 5 mil

Atingido até o momento: R$ 1,475 (29%)

Colaboração mínima: R$ 10

Colaboração máxima sugerida: R$ 177

Recompensas: de versão em PDF até caixa-arquivo para HQs

 

Apoie este projeto: “Aurora”, de Felipe Folgosi

aurora

O ator Felipe Folgosi  (atualmente gravando para o folhetim infantil do SBT, Chiquititas) estreia como roteirista de quadrinhos com o projeto Aurora, que busca financiamento coletivo no site do Catarse.

Segundo o autor, e também leitor desde criança, o argumento da história surgiu há dez anos e passou por um elaborado processo de pesquisa e desenvolvimento até chegar à versão final.

Aurora trata do próximo passo evolutivo da Humanidade e envolve eventos celestiais e superpoderes. O protagonista é Rafa, um pescador que presencia um fenômeno natural inédito e se transforma em algo mais que um ser humano.

Perseguido por misteriosos agentes, ele precisa proteger sua família, descobrir o que se tornou e um novo propósito. A arte e cores são de Leno Carvalho e Márcio Freire, do Instituto dos Quadrinhos. 

FICHA:

Link do projeto: http://www.catarse.me/pt/AuroraHQ

Data limite: 7 de dezembro

Meta: R$ 36 mil

Atingido até o momento: R$ 3.150 (8,75%)

Colaboração mínima: R$ 10

Colaboração máxima sugerida: R$ 1.505

Recompensas: de versão em PDF até virar personagem da HQ

Página 0 de 2

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2017