Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: Editora Europa

Revista Mundo dos Super-Heróis comemora 10 anos de vida

Mundo10anos

Do Press-Release

A edição de número 81 da revista Mundo dos Super-Heróis, que chegou às bancas de todo o País neste mês, representa um feito sem precedente no mercado editorial brasileiro: é a primeira vez que uma revista que tem como foco os heróis das histórias em quadrinhos alcança a marca de 10 anos de publicação ininterrupta.

Lançada em 2006 pela Editora Europa no embalo do filme Superman – O Retorno, a revista não tinha periodicidade fixa. Menos de um ano depois, firmou-se como bimestral e, finalmente, mensal. Desde então, foram produzidas e publicadas mais de 5.500 páginas (descontados anúncios e capas) de conteúdo editorial exclusivo e original – ou seja, nenhuma matéria foi traduzida de material licenciado de outras publicações.

Para o editor e idealizador da Mundo dos Super-Heróis, Manoel de Souza, um dos fatores de sucesso e longevidade da revista são os “dossiês”. Foi com esse nome que ele batizou as matérias de capa, caracterizadas pelo detalhamento, profundidade da pesquisa e caráter didático sobre conhecidos super-heróis dos quadrinhos – Batman, Homem-Aranha, Superman, Wolverine, Vingadores – e sua carreira no cinema, TV, home video, games e figuras de ação.

Pauta diversificada

A edição comemorativa traz na capa outra aniversariante: a Mulher-Maravilha. Criada nos quadrinhos em 1941, a super-heroína está completando 75 anos, celebrados pela editora DC Comics em uma série de eventos que culminarão no lançamento do seu primeiro longa-metragem solo nos cinemas, em junho do ano que vem.

“Além dos dossiês, a revista tem uma pauta diversificada, que inclui críticas de filmes, entrevistas exclusivas com artistas nacionais e estrangeiros, curiosidades sobre personagens e seus criadores e até um quiz para os leitores testarem seus conhecimentos sobre super-heróis”, comenta Souza.

Essa ligação com os leitores é outra característica marcante da publicação desde o primeiro número. A Mundo dos Super-Heróis mantém até hoje uma seção de “cartas” com críticas, elogios e sugestões feitas por e-mail e redes sociais. Publica também desenhos enviados pelos leitores e, em alguns casos, coloca profissionais para comentarem as artes e dar dicas aos autores.

“Quando comecei a desenhar em 1985, aos 12 anos, já bolava minhas próprias revistinhas em folhas de sulfite dobradas e desenhadas a lápis. Gostava de tudo: roteiro, desenho, edição”, relembra Souza. Formado em Desenho de Comunicação, ele tinha mais de uma década de experiência no segmento de revistas quando decidiu criar a Mundo dos Super-Heróis.

Antes disso, foi ilustrador, editor de arte, repórter e chefe de redação até chegar ao cargo de editor da revista Natureza, um dos principais produtos da Editora Europa, que fala sobre jardinagem e paisagismo.

Produtos derivados

Nos últimos anos, a revista regular deu origem a edições especiais, como a revista-pôster sobre o filme X-Men: Apocalipse, no início deste ano, e Grandes Artistas: Stan Lee, em 2014. Hoje, a principal aposta derivada da Mundo dos Super-Heróis são livros que formam a Coleção Super-Heróis. Até o momento, foram lançados dois volumes: Homem-Aranha/Flash, em 2015, e Batman/Homem de Ferro, no mês passado.

De olho no crescente filão de blockbusters de super-heróis que atraem milhares de espectadores, a editora colocou em prática os planos para outra linha de livros, desta vez atrelados exclusivamente aos lançamentos do cinema. O primeiro deles, Esquadrão Suicida, chega às livrarias nas próximas semanas, enquanto que Doutor Estranho – filme da Marvel que estreia em novembro –está em fase de produção.

A Mundo dos Super-Heróis está disponível também em formato digital. Manoel de Souza não acredita que algum dia essa versão venha a substituir a impressa. “O leitor de quadrinhos tem um apego especial às publicações em papel. Talvez seja um hábito vindo do colecionismo: ele gosta de tocar, folhear, guardar na estante. Muitos dizem encontrar prazer em ir à banca de jornal para ver se a revista chegou ou ficar aguardando a entrega do Correio, se for assinante”.

O editor lembra que depois seis anos de crescimento, o mercado norte-americano de quadrinhos digitais registrou sua primeira retração em 2015, de 10%. “Acho que somos corajosos por insistir num formato que muita gente diz que vai acabar, mesmo conhecendo a complexidade da distribuição num país de dimensões continentais. Mas esse também é um diferencial da Mundo, acreditar numa ideia e fazer acontecer. Deu certo nos últimos 10 anos, pode continuar dando certo nos próximos 10”, aposta.

“Mundo” lança Coleção Super-Heróis

Coleção Mundo dos Super-Heróis

Do Press-Release

Em seus quase dez anos de existência, a Revista Mundo dos Super-Heróis ficou conhecida como a “revista dos grandes dossiês”, aquelas reportagens de capa extremamente aprofundadas que esmiúçam a carreira de personagens, artistas e editoras.

Pois agora uma boa parte desse valioso material (inclusive de edições já esgotadas) foi reeditado e ampliado para sair em sete volumes capa dura na Coleção Super-Heróis. O resultado é uma enciclopédia ímpar, que merece lugar de destaque na estante de todo fã de cultura pop.

Cada livro da Coleção Super-Heróis tem 100 páginas, formato 19,4 cm x 25,4 cm e é dividido entre um herói da Marvel e outro da DC. E, de cara, a coleção traz o Homem-Aranha e o Flash, dois dos mais cativantes personagens dos quadrinhos.

O Homem-Aranha é o ápice do estilo da Marvel de criar heróis falíveis e assolados por problemas do cotidiano, uma fórmula de sucesso que acompanha a editora há mais de cinco décadas. Já o Flash surgiu na Era de Ouro dos quadrinhos (1938 a 1945) e teve grande importância na recuperação do gênero super-heróis nos anos 1950. Hoje, é uma personalidade sempre em evidência nas tradicionais sagas da DC.

Esse é o conteúdo de toda a Coleção Super-Heróis:
> Volume 1: Homem-Aranha / Flash
> Volume 2: Batman / Homem de Ferro
> Volume 3: Capitão América / Lanterna Verde
> Volume 4: Superman / Thor
> Volume 5: Hulk / Aquaman
> Volume 6: Mulher-Maravilha / Wolverine
> Volume 7: Demolidor / Arqueiro Verde

A Coleção Super-Heróis está à venda nas bancas e livrarias a partir de abril, com periodicidade bimestral. Cada exemplar custa R$ 49 (a coleção toda sai por R$ 343). Mas é possível conseguir um belo desconto ao comprar diretamente na Editora Europa. Daí, a coleção sai por R$ 249 à vista (ou 12 parcelas de R$ 20,75). Assim, cada exemplar custa menos de R$ 36, e o frete é por conta da editora (válido só para endereços no Brasil).

Para adquirir a Coleção Super-Heróis, basta ligar para (11) 3038-5050 (Grande São Paulo) ou 0800 8888 508 (demais localidades). Quem preferir, pode também fazer a assinatura da coleção pelo site.

“A Arte Do Cinema: Star Wars” reúne imagens e depoimentos inéditos

Capa STAR WARS

Do Press-Release

Desde que Episódio IV – Uma Nova Esperança chegou às telas em 1977, Star Wars nunca mais saiu de moda. Nos quase 40 anos que separam os dias de hoje daquele lançamento, outros filmes e uma enorme quantidade de livros, quadrinhos, animações, videogames e produtos licenciados deram continuidade ou expandiram a saga espacial criada por George Lucas.

Com a estreia de Star Wars: Episódio VII – O Despertar da Força, em dezembro, mais lançamentos são anunciados a cada dia. Um deles é A Arte do Cinema: Star Wars (The Art of Film – Volume 1: Star Wars), que a Editora Europa traz ao Brasil com exclusividade.

O livro reúne as ilustrações de artistas de diferentes gerações que trabalharam com algum produto relacionado à franquia ou simplesmente colocaram seu talento a serviço do amor de fã. Entre eles estão desde os lendários Ralph McQuarrie e Greg Hildebrandt – criadores, respectivamente, da arte conceitual e do cartaz oficial do filme de 1977 – até Terry Dodson, desenhista de uma das atuais séries em quadrinhos de Star Wars.

O primeiro capítulo revela detalhes da exposição Identities, que já passou por vários países. A mostra reúne narrativas originais de George Lucas, mais de 200 adereços de roupas e cenas, e imagens em que artistas buscaram representar os principais personagens da saga por meio da junção de elementos que os representam.

A Arte do Cinema: Star Wars é mais que uma sequência de imagens. Cada capítulo é enriquecido por entrevistas com os autores, que contam sua relação pessoal e profissional com a saga em declarações muitas vezes desconhecidas até mesmo dos fãs.

McQuarrie, por exemplo, lembra que o icônico visual de Boba Fett foi criado por acaso, enquanto ele rascunhava em seu bloco de anotações durante uma reunião sobre O Império Contra-Ataca, segundo filme da trilogia original. “Quando terminamos, George Lucas olhou para ele e disse que poderia usá-lo como um caçador de recompensas”. Houve ocasiões em que Lucas utilizou pinturas de pré-produção feitas pelo artista para explicar no set como gostaria que as cenas fossem filmadas.

Greg Hildebrandt, que produziu o pôster original junto com o irmão gêmeo Tim em apenas quatro dias, tendo apenas algumas fotos como referência, relata algumas curiosidades: Lucas queria uma imagem que parecesse saída dos quadrinhos, então eles retrataram os personagens com proporções heroicas que os atores não tinham; e não puderam usar Mark Hammil (Luke Skywalker) e Carrie Fisher (Princesa Leia) como referência, porque se tratava de “atores desconhecidos”.

Mais de 30 anos depois, Greg foi contratado pela Marvel (Tim faleceu em 2006) para pintar três ilustrações que vão servir de capa para os encadernados das histórias em quadrinhos originais que a editora está relançando em formato de luxo.

O livro apresenta outras curiosidades, como o trabalho do artista Grant Gould, que criou milhares de cards de Star Wars; Iain McCaig, principal artista conceitual da trilogia moderna e criador do visual de Darth Maul; Randy Martinez, que coloca os personagens em situações bem-humoradas; o estilo art nouveau de Karen Hallion e o cartunesco de Bobby Pontillas; os cenários construídos com bonecos articulados de Stephen Hayford; e Chris Trevas, que com seu traço realista imaginou cenas omitidas dos filmes, como o assassinato dos tios de Luke Skywalker.

Em muitos casos, os artistas detalham as técnicas empregadas no trabalho, o que faz de A Arte do Cinema: Star Wars uma obra obrigatória não só para fãs e estudiosos, mas também para outros artistas que podem se inspirar em profissionais com anos de mercado.

A Arte do Cinema: Star Wars é uma publicação especial da conceituada revista inglesa ImagineFX. No Brasil, foi produzido pela mesma equipe que faz a revista Mundo Nerd, também da Editora Europa: Manoel de Souza (editor de texto e arte), Maurício Muniz, Gustavo Vícola e Paulo Ferreira (tradução).

SERVIÇO: A Arte do Cinema: Star Wars (The Art of Film – Volume 1: Star Wars) – Editora Europa

180 páginas coloridas – Formato: 18 x 30 cm – Preço: R$ 59,90

À venda em livrarias de todo o País, lojas especializadas e no site www.europanet.com.br.

5 Perguntas para André Morelli

Herois-dos-Animes_-001-capa

André Morelli é um colaborador de primeira hora da revista Mundo dos Super-Heróis e autor dos livros Super-Heróis nos Desenhos Animados e Super-Heróis no Cinema e nos Longas-metragens da TV da Editora Europa.

Morelli se especializou em pesquisas sobre Cultura Pop, emoldurada em um texto ágil, bem escrito e bem apurado. Agora, ele ataca com seu mais novo livro: Heróis dos Animes (Editora Europa, 144 págs., R$ 24,99) um obra bonita, que foca nos Animes. São fichas completas com nomes originais das séries, sinopses, datas de lançamento e curiosidades. Indispensável para os fãs do gênero. Papo de Quadrinho não perdeu a oportunidade de fazer 5 perguntas para o amigo e escritor:

1 – Os animes arrebataram o público jovem. A que você atribui esse interesse por mangás e animes?

Acredito que um ponto importante para entender essa popularidade é perceber que não estamos falando de um único grupo. Apesar de apresentarem muitas características em comum, os fãs de animes e mangás acabam se dividindo em uma série de subgrupos, cada um com seu gênero favorito: comédia, romance, luta, ficção científica, terror, esportes… A diversidade de temas é provavelmente a maior arma dos japoneses para alcançar diferentes públicos.

2 – Tecnicamente o que evoluiu nos animes, a narrativa, o desenho…?

Talvez a principal diferença seja uma tendência a padronização nos estúdios ocidentais. Ao contrário dos estúdios japoneses, que costumam imprimir características fortes em cada uma de suas produções, é difícil perceber o mesmo processo em estúdios ocidentais, a não ser em trabalhos mais autorais ou longas-metragens. Outra diferença fundamental está nos roteiros. Mesmo em um anime para crianças, os roteiristas não veem problemas em adicionar drama ou discutir temas considerados tabus como morte e sexualidade. O Japão é um país budista, com outra visão a respeito de uma série de temas.

Herois-dos-Animes_-006

3 – Como você  se apaixonou pelos animes?

Não me considero um apaixonado e sim um grande admirador. Como qualquer pessoa da minha geração, fui fisgado por séries com Sawamu, Patrulha Estelar e Pirata do Espaço. Mas naquela época a noção de que essas séries eram animes ainda era muito vaga. Pra mim a identificação do gênero só aconteceu mais tarde, com a série Zillion.

4 – Porque os Animes são mais atraentes para os jovens que os desenhos animados Ocidentais?

Porque os animes normalmente apresentam um visual mais arrojado e histórias menos unidimensionais.
Quanto à questão técnica, se tornou difícil bater os asiáticos. Tanto que desde os anos 1980 que algumas produções norte-americanas e europeias são animadas na Ásia, como é o caso dos Thundercats e até mesmo dos Simpsons. Atualmente, a Coreia do Norte e a Coreia do Sul se transformaram em grandes fornecedores de mão de obra para o mercado de animação, aliando qualidade técnica a custos baixos.

5 – indique para nossos leitores três animes clássicos, três novos e três heróis.

Clássicos: A Princesa e o Cavaleiro, Speed Racer e Patrulha Estelar

Contemporâneos: Cowboy Bebop, Fullmetal Alchemist: Brotherhood e Death Note.

Heróis: Goku (Dragon Ball), Yusuke (Yu Yu Hakusho) e Astro (Astro Boy).

“Mundo Nerd” pode virar mensal até o final do ano

_Mundo Nerd 2_Capa

Nesta quarta-feira (5), chega às bancas de todas as capitais brasileiras o segundo número da revista Mundo Nerd – em São Paulo e Rio de Janeiro, começou a ser distribuída no dia 28.

Produzida pela mesma equipe da Mundo dos Super-Heróis, que já ultrapassou as 50 edições, a nova publicação da Editora Europa vem atender à demanda de uma parcela crescente de leitores por uma revista especializada em cinema, TV, livros, quadrinhos, games e afins.

Segundo o editor Manoel de Souza, a partir deste segundo número a ideia é que a publicação se torne bimestral e, ainda em 2014, mensal.

Veja as principais matérias da Mundo Nerd 2:

Capa: Star Wars vs. Star Trek: a investigação do século. Argumentos e estatísticas definitivas para descobrir qual das franquias nerds é a melhor.

50 anos de Doctor Who

Detalhes e curiosidades da série de ficção científica exibida há mais tempo na TV e o que esperar da nova temporada.

O legado de Arquivo X: A série que se tornou referência para Breaking Bad, Supernatural, Buffy e muitas outras.

Inspirações de Tolkien: Os detalhes da vida do consagrado autor que influenciaram a trilogia O Senhor dos Anéis.

Game of Thrones: Fatos curiosos sobre a produção da série baseada nos livros de George R. R. Martin.

Tenha medo, muito medo: Alguns dos melhores quadrinhos de terror
da atualidade – muitos deles inéditos no Brasil.

Rastros de ódio: Um polêmico artigo sobre quem acusa The Bing Bang Theory de ridicularizar os verdadeiros nerds e criar uma legião de posers.

Yes, nós temos Comic-Con: Entrevista com Ivan Freitas, um dos responsáveis pela Comic-Con Experience.

Zumbis na mesa: Como funciona The Walking Dead – The Board Game, o jogo de tabuleiro.

DNA Nerd: Um teste avaliar os conhecimentos sobre cultura pop

Pop Up: As principais notícias da TV, cinema, literatura…

Para assistir, ler, jogar, comprar…: Seção de dicas sobre filmes, séries, HQs, ivros, games e apetrechos.

A revista custa R$ 11,90, tem 68 páginas e formato 20,5 x 27,5 cm.

Revista Mundo dos Super-Heróis traz tudo sobre “Thor: O Mundo Sombrio”

M

No dia em que o mais recente filme da Marvel estreia nos cinemas brasileiros, a dica é a revista Mundo dos Super-Heróis 48, que apresenta um dossiê completo sobre o Deus do Trovão.

São informações e bastidores da nova produção, detalhes sobre o vilão Malekith e o triângulo amoroso com Jane Foster e Lady Sif, 10 curiosidades sobre Thor e explicações sobre a versão Marvel dos reinos nórdicos.

A edição 48 traz também a seção Grandes Sagas DC, que estreia esmiuçando a saudosa Crise nas Infinitas Terras.

A revista antecipa detalhes sobre a segunda temporada do seriado Arrow (ainda sem previsão de estreia no Brasil) e uma entrevista exclusiva com Sean Howe, autor do polêmico livro Marvel Comics: A História Secreta, lançado no Brasil pela editora Leya.

O perfil do aclamado artista José Luis Garcia-Lopez, gibis do Kiss pela Marvel e uma homenagem aos 65 anos do cowboy Tex também estão entre os destaques da edição.

Mundo dos Super-Heróis 48 já está nas bancas de todo o País. Tem 68 páginas e custa R$ 10,90.

Nova HQ da Editora Europa ensina jovens a se comunicarem melhor

Como ser bom de papo e se enturmar reúne dicas e exercícios práticos de um dos maiores especialistas brasileiros em comunicação, o professor Reinaldo Polito.

Segundo o editor Manoel de Souza, a ideia de fazer um trabalho em parceria com o autor era antiga e só faltava encontrar uma forma que fosse tão eficiente quanto os vários livros e audiolivros que Polito já lançou e que venderam milhões de exemplares.

O projeto de transformar os ensinamentos de Polito numa história em quadrinhos veio com o desenvolvimento deste núcleo na Editora Europa, que já produziu duas HQs da série História do Brasil em Quadrinhos: Independência do Brasil e História do Brasil em Quadrinhos: Proclamação da República.

“Optamos por uma linguagem acessível aos jovens e também por um padrão visual que lembra os mangás e desenhos animados para buscar identificação com os produtos culturais que este público já consome”, conta Manoel de Souza. O argumento e o roteiro são do escritor Edson Rossatto e a arte, do quadrinhista Álvaro Omine.

O personagem principal do livro é Rodrigo, um jovem que fica deprimido quando descobre que vai se mudar junto com os pais de uma cidade no interior de São Paulo para a capital. Sua maior preocupação é a dificuldade em fazer amigos. Por sugestão de um parente, Rodrigo procura o professor Polito e dá início ao seu “treinamento”.

Como ser bom de papo e se enturmar ensina exercícios práticos para trabalhar a dicção, vencer a insegurança e melhorar a abordagem a pessoas desconhecidas. “Apesar de direcionarmos o livro aos jovens, as dicas servem para pessoas de qualquer idade que precisam se comunicar melhor e aumentar seu círculo de amizades”, diz o editor.

A HQ tem 80 páginas e custa R$ 19,90. Estará à venda em bancas a partir de amanhã (29) em São Paulo e Rio de Janeiro (capitais); no meio de outubro, começa a ser redistribuída em outras cidades do Brasil.

Quem preferir, pode comprar a HQ em livrarias, no site da Editora Europa ou telefones 0800 8888 508 e (11) 3038-5100.

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2019