Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: Editora Draco

Draco promove “Sábado de Boy’s Love” na Comix

boys-love-comix

O evento está marcado para este sábado, dia 26, e tem presença confirmada de alguns autores da série de livros: Dana Guedes Karen Álvares Claudia Dugim Fabio Baptista e Agatha Yukari.

O encontro entre autores e leitores vai servir também para o lançamento de mais dois volumes da série Boy’s Love publicada pela Editora Draco: a antologia Boy’s Love: Sem Preconceitos, Sem Limites e a light novel Boys’ Love: Flor de Ameixeira. Os novos títulos se juntam ao já lançado Boy’s Love: Histórias de Amor sem Preconceito.

As obras ilustradas celebram a diversidade e exploram o yaoi, gênero japonês que abrange diversas mídias – contos, quadrinhos, animações e games – direcionados para o público feminino e com foco no romance entre rapazes.

O “Sábado de Boy’s Love” acontece na Comix Book Shop (Alameda Jaú, 1998 – Cerqueira César – São Paulo – próximo ao metrô Paulista/Consolação, das 13h às 17h).

Editora Draco abre seleção para coletânea de mangás nacionais

Dracomicsshonen

Quem estiver interessado em participar da coletânea Dracomics Shonen deve mandar suas histórias em estilo shonen (voltado não só, mas principalmente, para adolescentes do sexo masculino).

Gêneros como terror, fantasia, ficção científica, humor e outros também serão avaliados.  Será dada preferência a material inédito, e nudez e violência devem ser tratadas com moderação, tendo em conta o público-alvo infanto-juvenil.

Podem inscrever-se tanto artistas completos, que escrevem e desenham, como também duplas de criação, roteiristas e ilustradores – nesse caso, a editora vai tentar formar as duplas criativas.

Cada volume de Dracomics Shonen terá 128 páginas com 6 histórias de 20 páginas, impressão preto e branco, formato álbum e venda em livrarias. Os autores têm 40% de desconto para adquirir os exemplares e revendê-los em eventos, e participam da partilha dos royalties de 15% das vendas.

Interessados têm até dezembro para submeter seus trabalhos pelo e-mail editoradraco@gmail.com com o assunto “DRACOMICS”. Mais informações no site da editora.

Boa sorte!

 

“Steampunk Ladies”: mais um lançamento da Editora Draco

steampunk

A editora continua seu trabalho de valorização dos quadrinhos nacionais e volta a publicar o roteirista Zé Wellington, do ótimo Quem Matou João Ninguém.

 

Do Press-Release

O próximo lançamento da Editora Draco já está em pré-venda exclusiva no site da Comix Book Shop. Steampunk Ladies – Vingança a Vapor é um faroeste com máquinas fantásticas criado pelo roteirista Zé Wellington (Quem Matou João Ninguém?) e o desenhista Di Amorim (Lady Death).

Em um mundo dominado pela violência de foras da lei com próteses mecânicas, nenhum homem parecia páreo. Até que duas mulheres movidas a vingança e a vapor resolvem desafiar esses bandidos metade homens, metade máquinas.

Como saquear uma locomotiva blindada considerada indestrutível? O que um dos maiores inventores do país tem a ver com isso? Tudo é parte do plano diabólico para o maior roubo de trem da história, orquestrado por Lady Delillah. Mas em seu caminho estão Sue e Rabiosa, mulheres que têm em comum destinos trágicos pela mão da criminosa. Para elas, mais difícil do que evitar este assalto é provar que duas damas podem ser as protagonistas de sua própria história no ambiente hostil do velho oeste.

Steampunk Ladies: Vingança a Vapor é uma aventura em quadrinhos cheia de invenções e visual que homenageiam o gênero steampunk, com roteiro de Zé Wellington, desenhos de Di Amorim e Wilton Santos, cores de Ellis Carlos e letras e grafismos de Deyvison Manes.

Ao decidir não cumprir seu papel esperado pela sociedade, essas garotas se tornarão lendas do faroeste. Este projeto é apoiado pela Secretaria Estadual da Cultura do Governo do Estado do Ceará – Lei nº 13.811, de 20 de agosto de 2006.

Steampunk Ladies – Vingança a Vapor tem 72 páginas coloridas, formato 17 x 24 cm e custa R$ 34,90.

2015: O que vem por aí pela Editora Draco

capa 3 final

Neste ano, a divisão de quadrinhos da editora, pilotada por Raphael Fernandes, amplia o investimento na produção nacional por meio de álbuns e coletâneas. Veja o que já está programado:

Apagão – Cidade sem lei/luz, de Raphael Fernandes e Camaleão (capa acima): projeto viabilizado por meio de financiamento coletivo, mostra como a metrópole de São Paulo é dominada por gangues depois de três meses às escuras.

Steampunk Ladies – Vingança a Vapor, de Zé Wellington, Di Amorim e Wilton Santos: A aventura se passa num velho oeste steampunk, e é protagonizada por duas mulheres que terão que provar sua coragem contra um grupo de pistoleiros com membros mecânicos e outros perigos.

Quack – O Ovo ou o pato, de Kaji Pato: Em sua estreia nos quadrinhos, Pato conta o nascimento da amizade entre o garoto Baltazar e um pato. Desenhada em estilo mangá.

Ditadura no Ar – Volume 1, de Raphael Fernandes e Abel: edição que reúne as quatro partes da HQ lançada de forma independente e vencedora do prêmio HQMix de 2013. Ambientada nos anos de chumbo da ditadura militar.

Rei Amarelo em Quadrinhos, de Raphael Salimena, André Freitas, Pedro Pedrada e outros autores: Coletânea de histórias em quadrinhos de terror e fantasia baseadas na obra de Robert E. Chambers, um dos mestres do horror cósmico.
Boys Love em Quadrinhos: Continuidade, em versão de quadrinhos, da coletânea de contos homônima lançada pela Draco em 2014. Histórias de aventura, mistério e romance, de vários gêneros – terror, fantasia e ficção científica – têm em comum o amor entre dois homens.

Imaginários em Quadrinhos 4, de João Pirolla, Rafael Dantas, MJ Macedo, Milena Azevedo e outros autores: mais uma edição da coletânea de terror, fantasia e ficção científica, traz seis novas histórias de 20 páginas.

Vale o investimento: O Andarilho das Sombras

andarilhosdassombras

Vampiros são provavelmente as criaturas mais exploradas do mundo fantástico.

Suas lendas surgiram muito antes da Literatura existir, em diferentes culturas, com nomes distintos. Talvez por isso sua mitologia seja tão longeva e tenha saído da tradição oral e se fixado no imaginário popular de modo tão enraizado.

Versões góticas, monstruosas, sedutoras, cômicas, modernas, pornôs, espaciais, até versões purpurinadas… não seria um exagero dizer que todas as abordagens possíveis, ou a maioria delas, foram apresentadas ao leitor desde que Dracula, de Bran Stoker, desenvolveu literariamente o vampiro moderno em 1897.

Vários escritores brasileiros também se debruçaram sobre mito e alguns chegaram ao sucesso. Outros podem chegar. É o caso do paulista Eduardo Kasse com seu romance de estreia, O Andarilho das Sombras lançado pela editora Draco no ano passado como primeiro volume de uma série idealizada por ele e chamada “Tempos de Sangue”.

Diferentemente da corrente atual de histórias desenvolvidas por escritores nacionais, que posicionam os seres sobrenaturais no Brasil, o drama do nobre Harold Stonecross acontece na Europa Medieval – o que não é um demérito, e sim um posicionamento histórico e geográfico necessário para contar a origem do mito criada por Kasse.

Enquanto sobrevive nas florestas e cidades escuras da Europa na Idade das Trevas, Harold, um homem amaldiçoado, lembra-se do passado, ao mesmo tempo em que narra em primeira pessoa seu presente.

Imortal e com poucos medos, Harold comporta-se como um ator interpretando um texto, sem grandes espaços para improvisações, com a eternidade para refletir suas atitudes, recheadas com humor negro.  Sua realidade é crua, ele é um demônio em busca de sangue, e a imortalidade não parece afetar sua índole, ainda que matar seja uma necessidade tanto para os monstros, quanto para quaisquer outro homem na Idade Média.

Num misto de misticismo e história oficial, a verdade da existência dos “vampiros” naquele período confunde-se com as histórias de terror contadas pelos velhos. Tudo porque o jovem nobre Stonecross sacrificou sua alma por uma promessa maliciosa, em um jogo de poder entre deuses ancestrais e decadentes.

Curiosidade: em nenhum momento o termo vampiro é citado; nem existia naquele período.

A leitura é fluída sem ser rasa, um equilíbrio entre a contextualização histórica e o drama de Harold Stonecross. Outros personagens são interessantes e cativam o leitor; bons coadjuvantes, divertem, conduzem o monstro em sua história e apresentam alguns tipos comuns da Europa naquele período.

O livro não reinventa necessariamente o gênero de vampiros, mas é divertido, tem boas passagens, boa pesquisa histórica e vai agradar aos fãs de literatura fantástica. Tem que aproveitar também o bom momento que o gênero vive no Brasil, principalmente com autores nacionais, muitos deles, escritores de qualidade. A edição da Draco ficou bonita. É livro de estreia muito bom, e vale o investimento.

Em tempo: o segundo livro da série “Tempos de Sangue” está para ser lançado. Mais informações no site da Editora Draco.

Serviço:

O Andarilho das Sombras
Editora: Draco
Gênero: Fantasia Histórica
Páginas: 384
Preço sugerido: R$57,90 (papel)
ou R$ 24,90 (e-book)

Draco lança coletânea com autores nacionais

imahq

Imaginários em Quadrinhos é o nome da nova coleção da editora voltada aos quadrinhos de fantasia, ficção científica e terror.

O primeiro número, com lançamento marcado para 2 de março, está em pré-venda no site da Draco com desconto.

O álbum tem organização de Raphael Fernandes, editor da MAD brasileira e do site Contraversão, e histórias criadas por Raphael Salimena, Jaum, Dalton Dalts, Zé Wellington, Marcus Rosado, Camaleão, Alex Mir e Alex Genaro.

Imaginários em Quadrinhos tem 128 páginas, formato 17 x 24 cm e preço de R$ 29,90. O lançamento acontece na livraria Geek.etc.br (Alameda Santos 2.152 – Conjunto Nacional – São Paulo) a partir das 16h.

Página 2 de 2

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2017