Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: Bienal do Livro SP

HQs na Bienal do Livro de SP: Novo livro de Carlos Ruas

No final do ano passado, o sucesso do blog de tiras Um Sábado Qualquer rendeu uma edição impressa pela Devir (leia mais aqui). Agora, acaba de gerar outro rebento.

Em o Boteco dos Deuses, Carlos Ruas mantém sua visão inteligente e bem humorada aos dogmas religiosos com a diferença que, desta vez, expande a sátira a outros panteões.

O lançamento da Verus Editora (pertencente ao Grupo Editorial Record) reúne 115 tiras já publicadas no blog e traz, como bônus, uma história inédita de 20 páginas chamada de “O futuro dos deuses”.

Durante a Bienal do Livro de São Paulo acontece o lançamento “oficial”, mas o livro já está disponível há um mês e vendeu, até o momento, cerca de cinco mil cópias.

Carlos Ruas estará no evento literário para duas sessões de autógrafos: dia 12, às 14h, e dia 13, às 19h.

O Boteco dos Deuses tem 128 páginas e preço de R$ 29,90.

SERVIÇO:

A Bienal do Livro de São Paulo acontece de 9 a 19 deste mês no pavilhão do Anhembi. O ingresso custa R$ 12 — professores, bibliotecários, profissionais do livro, maiores de 60 anos e crianças com até 12 anos não pagam.

Para chegar, prefira o metrô. Há traslado gratuito para o pavilhão nas estações Barra Funda e Tietê. O estacionamento costuma ser caro e lotado.

Mais informações aqui.

HQs na Bienal do Livro de SP: Mais lançamentos

Nesta postagem, reunimos alguns lançamentos dispersos por várias editoras. O destaque fica para Habibi, da Quadrinhos na Cia., e Pagando por Sexo, da WMF Martins Fontes. Confira:

Habibi – Quadrinhos na Cia. (672 páginas, R$ 57)

De Craig Thompson, mesmo autor de Retalhos, é um dos lançamentos mais aguardados do ano. Thompson se baseou no clássico As Mil e Uma Noites para contar a saga de Dodola e Zam, duas crianças fugitivas que crescem juntas no deserto e, para passar o tempo, contam histórias. Por elas, passam questões que vão da origem do islamismo e suas tradições à crítica social, ecologia e os conflitos entre religião e amor.

Pagando por Sexo – WMF Martins Fontes (296 páginas, R$ 47)

Premiada obra autobiográfica do quadrinhista canadense Chester Brown, ocupou o primeiro lugar da lista de mais vendidos do New York Times. Desiludido com o que ele chama de “amor romântico” e sem traquejo social para conquistas casuais, Brown decide se tornar frequentador assíduo de prostitutas. Mais que isso: o autor se convence que este tipo de relacionamento é mais legítimo que o amor entre duas pessoas, e defende seu ponto de vista com uma lógica férrea em debates com amigos e conversas com suas companheiras (breve, resenha aqui no Papo de Quadrinho).

Pinóquio – Globo Livros Graphics (192 páginas, R$ 75)

Versão sombria do clássico infantil criada pelo francês Winshluss (pseudônimo de Vincent Paronnaud), codiretor do longa animado Persépolis. Em vez do ingênuo boneco de madeira, o protagonista é um super robô criado por Gepeto para fins militares. Sombrio, circula por lugares sórdidos e conhece o pior da humanidade. No lugar do Grilo Falante entra Jimmy Barata, único personagem com falas no livro.

Os Melhores Inimigos – Editora Ática (128 páginas, preço não divulgado)

Primeiro volume da trilogia em quadrinhos que analisa as origens da tensa relação entre os Estados Unidos e países do Oriente Médio. Este volume parte da pirataria otomana no Mediterrâneo, passa pelas Guerras Mundiais, pela Guerra Fria e pelas divisão Oriente Médio. Roteiro do especialista em islã, Jean-Pierro Filiu, e arte de David B.

Os Meninos de Marte – Melhoramentos (48 páginas, R$ 35)

Novo livro de Ziraldo, marca a comemoração de seu aniversário de 80 anos, comemorado em outubro próximo. Com seu estilo de narrar histórias singelas, o autor concentra no protagonista Martim, um marciano, a importância de se avaliar as pessoas pelo que elas são, e não pela aparência. Ziraldo participa de sessões de autógrafos nos dias 11, 12 e 18, às 15h30, e 19, às 11h, no estande da Melhoramentos.

SERVIÇO:

A Bienal do Livro de São Paulo acontece de 9 a 19 deste mês no pavilhão do Anhembi. O ingresso custa R$ 12 — professores, bibliotecários, profissionais do livro, maiores de 60 anos e crianças com até 12 anos não pagam.

Para chegar, prefira o metrô. Há traslado gratuito para o pavilhão nas estações Barra Funda e Tietê. O estacionamento costuma ser caro e lotado.

Mais informações aqui.

HQs na Bienal do Livro de SP: Lançamentos de Mauricio de Sousa

Mauricio de Sousa não é só o mais bem sucedido quadrinhista do País, mas também o mais prolífico. Durante o evento literário, seu estúdio vai lançar 17 títulos, entre HQs inéditas, coletâneas e livros, por meio de nove editoras (veja as capas na galeria abaixo).

Ouro da Casa (Panini, 200 páginas, R$ 49,90 e R$ 64)

Livro que reúne histórias autorais da Turma da Mônica criadas pelos colaboradores do Estúdio Mauricio de Sousa (mais informações aqui).

Chico Bento 50 anos (Panini, 160 páginas, R$ 58)

Coletânea de histórias publicadas nos últimos 50 anos, marca também a estreia da versão adolescente do personagem numa HQ inédita em estilo mangá.

As Tiras Clássicas do Pelezinho (Panini, 128 páginas, R$ 19,80)

Primeiro volume da coleção que reedita as tiras e histórias curtas do personagem ordem cronológica. Cada volume vem com 360 tiras).

Pelezinho Coleção Histórica (Panini, 160 páginas, R$ 7,50)

Primeiro número da série com a republicação, em ordem cronológica, das histórias publicadas na revista Pelezinho, entre agosto de 1977 e maio de 1982. Periodicidade quadrimestral.

A Peleja do Violeiro Chico Bento com o Rabequeiro Zé Lelé (Melhoramentos, 48 páginas, R$ 35)

Em estilo de literatura de cordel e xilogravura, desenvolve uma peleja em forma de versos entre os dois personagens. Acompanha CD com a narração da história gravada por Almir Sater.

Outros lançamentos: Pelezinho para Colorir (Panini), 120 Tirinhas da Turma da Mônica e Pintou Sujeira (L&PM), Descobrindo o Valor das Coisas (Editora Gente), Turma da Mônica Jovem – Escolha Profissional, Uma Aventura Olímpica e Álbum de Figurinhas Oficial do Campeonato Brasileiro (Panini), Brincando de Folclore (Planeta DeAgostini), O cãozinho sem nome (Globo), Turma da Mônica visita Aparecida (Editora Santuário).

Todos estes lançamentos podem ser conferidos nos estandes das respectivas editoras ou na Livraria da Turma da Mônica, um espaço de 120 metros quadrados com mais de 100 títulos do autor.

Mauricio de Sousa participa, em companhia de Pelé, de um papo com leitores no espaço Salão de Ideias, dia 18, às 18h30. Além disso, vai promover uma série de sessões de autógrafos nos estandes:

Dia 11 – Sábado

Ed. Santuário – 13h

Livraria TM / Ed. Girassol – 15h30

Panini – 18h30

Dia 12/08 – Domingo

Ed. Gente – 15h30

Ed. Ave Maria – 18h30

Dia 18/08 – Sábado

Ed. Globo – 13h

Livraria TM / Ed. Girassol – 15h30

Panini – 20h

Dia 19/08 – Domingo

Ed. Record – 13h

Ed. Melhoramentos – 15h

Ed. Escala – 17h30

SERVIÇO:

A Bienal do Livro de São Paulo acontece de 9 a 19 deste mês no pavilhão do Anhembi. O ingresso custa R$ 12 — professores, bibliotecários, profissionais do livro, maiores de 60 anos e crianças com até 12 anos não pagam.

Para chegar, prefira o metrô. Há traslado gratuito para o pavilhão nas estações Barra Funda e Tietê. O estacionamento costuma ser caro e lotado.

Mais informações aqui.

HQs na Bienal do Livro de SP: Lançamentos da Nemo

A editora destaca três novos títulos no evento literário (veja todas as capas na galeria abaixo):

Estórias Gerais, de Wellington Srbek (roteiro) e Flavio Colin (arte)

Lançada em 2001 e, depois, em 2007, este relançamento é considerado pela editora como a “edição definitiva”, já que será publicado pela primeira vez no tamanho da arte original (22,5 x 32 cm). A história se passa no sertão mineiro durante a década de 1920 e é dividida em seis capítulos mais uma HQ curta colorida. A edição vem acrescida de carta de Flavio Colin, falecido em 2002, falando de seu prazer em fazer este trabalho, e texto de Srbek sobre a trajetória da publicação ao longo de mais de dez anos (160 páginas, R$ 48).

20.000 Léguas Submarinas, de João Marcos (roteiro adaptado) e Will (arte).

A HQ reconta o clássico da literatura universal escrito por de Julio Verne no século 19. A história é centrada no capitão Nemo e seu submarino Nautilus, uma maravilha tecnológica muito à frente do seu tempo. O livro marca a estreia de uma nova linha da editora Nemo, Quadrinhos para Todos, voltada a leitores de diferentes idades e preço mais acessível (64 páginas, R$ 19,80).

Boule & Bill, de Laurent Verron (a partir da criação de Jean Roba)

Clássica série europeia criada em 1959 com histórias curtas sobre o menino e o cachorro que dão título à obra. Trata de temas da infância com humor, ternura, ingenuidade e ironia. A série alcança 33 álbuns publicados, com tradução em 11 idiomas e 25 milhões de exemplares vendidos. A Nemo lança na Bienal do Livro o primeiro deles, Ao Ataque!, e promete um novo volume para outubro. Boule & Bill também faz parte da linha Quadrinhos para Todos (48 páginas, R$ 14,90).

Durante a Bienal do Livro de São Paulo, haverá sessões de autógrafos com os autores: Wellington Srbek no dia 10, às 19h; João Marcos e Will no dia 17, às 14h.

SERVIÇO:

A Bienal do Livro de São Paulo acontece de 9 a 19 deste mês no pavilhão do Anhembi. O ingresso custa R$ 12 — professores, bibliotecários, profissionais do livro, maiores de 60 anos e crianças com até 12 anos não pagam.

Para chegar, prefira o metrô. Há traslado gratuito para o pavilhão nas estações Barra Funda e Tietê. O estacionamento costuma ser caro e lotado.

Mais informações aqui.

HQs na Bienal do Livro de SP: Lançamentos da Pixel Media

Depois do lançamento da revista da Luluzinha clássica, em abril do ano passado, a editora do grupo Ediouro tomou gosto pela coisa. Um mês depois, foi a vez de Bolinha ganhar sua própria revista. Em fevereiro deste ano, chegou às bancas Recruta Zero e Outros Clássicos: além das histórias do soldado folgado, a publicação trouxe de volta personagens como Hagar O Horrível, Zezé & Cia, A Arca dos Bichos e Os Sobrinhos do Capitão.

Agora, a Pixel aproveita a Bienal do Livro de São Paulo para ampliar este portfólio. Durante o evento literário serão lançados três novos títulos: Riquinho, Gasparzinho e Popeye e seus amigos (veja todas as capas na galeria abaixo).

Os dois primeiros foram pensados prioritariamente para o público infantil – mas nada impede que os adultos também matem a saudade. Depois de mais de 20 anos afastados das bancas brasileiras, os personagens voltam com histórias completas em edições mensais.

Cada revista terá 52 páginas coloridas, formato 13,5 cm x 19 cm e preço de R$ 3,10.

Popeye e seus amigos é um caso à parte. O marinheiro brigão fez sua estreia pela Pixel em maio, numa história de página simples da revista do Recruta Zero. A partir deste mês, ganha título próprio em que serão publicadas, também, histórias clássicas de Krazy Kat, Belinda e Adalberto, Piadas do Pinduca, Hagar, Arca dos Bichos e Recruta Zero. Mensal e colorida, a revista terá 64 páginas e preço de R$ 4,50.

Apesar da semelhança entre os mixes, as revista do Popeye e Recruta Zero serão publicadas em paralelo. Alguns personagens, caso do Hagar, serão publicados em ambas; outros, vão se revezar entre as duas publicações.

Todas estas novidades estarão à disposição dos leitores em bancas de jornais a partir do dia 9 de agosto.

SERVIÇO:

A Bienal do Livro de São Paulo acontece de 9 a 19 deste mês no pavilhão do Anhembi. O ingresso custa R$ 12 — professores, bibliotecários, profissionais do livro, maiores de 60 anos e crianças com até 12 anos não pagam.

Para chegar, prefira o metrô. Há traslado gratuito para o pavilhão nas estações Barra Funda e Tietê. O estacionamento costuma ser caro e lotado.

Mais informações aqui.

HQs na Bienal do Livro de SP: Lançamentos da V&R Editoras

Uma das maiores feiras de livro do mundo começa nesta sexta-feira (9) no Anhembi, em São Paulo.

Entre os milhares de lançamentos que as editoras costumam reservar para o evento (na última edição foram 4.200), sobram poucas opções para os fãs de quadrinhos. A partir de hoje, Papo de Quadrinho publica um resumo de algumas novidades deste segmento.

A série começa com a V&R Editoras. Especializada em livros-presente, não tem tradição em quadrinhos, mas vem fazendo boas apostas. Uma delas é a série Figuras do Rock em Quadrinhos, que já teve dois títulos publicados: John Lennon, um tiro na porta de casa e Michael Jackson, um thriller em preto e branco.

Para a Bienal do Livro, a V&R lança mais um livro da série: Bob Marley, o guerreiro rasta, dos argentinos Diego Agrimbau (roteiro) e Dante Ginevra (arte).

A biografia apresenta a vida de Marley desde a origem humilde na Jamaica e seu primeiro contato com o preconceito racial por ser mulato. Depois vieram a infância no bairro barra-pesada de Trenchtown – onde teve o primeiro contato com as drogas e a música, e onde formou a banda Wailing Wailers junto com Peter Tosh e Bunny Wailer –, a mudança forçada para os Estados Unidos, o retorno à Jamaica e a devoção à religião rastafári.

Em pouco tempo, os Wailers eram a banca mais tocada em seu país de origem. A aposta da gravadora britânica Island Records e a gravação de I shot the sheriff alçaram a banda, e seu maior expoente, Marley, ao estrelato mundial. O resto é história.

Toda a trajetória é muito bem narrada com uma arte estilizada, meio suja, que casa muito bem com o tema. Bob Marley, o guerreiro rasta tem 64 páginas, capa e miolo coloridos, formato 21 x 29,7 cm e preço de R$ 34,90.

O outro destaque em quadrinhos da V&R na Bienal são dois primeiros livros da série Titeuf. HQ francesa do cartunista Zep: Deus, o sexo e os suspensórios e O amor é nojento…

Titeuf é um garoto de seus sete, oito anos de idade, com um longo topete loiro. Junto com seus colegas de classe — Manu, François, Hugo e Jean-Claude entre eles – procura entender as coisas do mundo adulto em histórias curtas, de apenas uma página (leia resenha completa aqui).

Os livros têm formato de 21 x 28,5 cm, capa e miolo coloridos, 52 páginas e custam R$ 34,90 cada.

 

SERVIÇO:

A Bienal do Livro de São Paulo acontece de 9 a 19 deste mês no pavilhão do Anhembi. O ingresso custa R$ 12 – professores, bibliotecários, profissionais do livro, maiores de 60 anos e crianças com até 12 anos não pagam.

Para chegar, prefira o metrô. Há traslado gratuito para o pavilhão nas estações Barra Funda e Tietê. O estacionamento costuma ser caro e lotado.

Mais informações aqui.

Página 2 de 2

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2017