Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: Arqueiro Verde

A roupa nova do Arqueiro

arrow-suit-49b6b

Se você assistiu à terceira temporada de Arrow, pode ter se sentido dividido como nós. Roteiro confuso, mau aproveitamento do vilão, muita discussão desnecessária e um final que não condiz com o tom sombrio da série.

Antes de embarcar rumo à felicidade ensolarada acompanhado da radiante Felicity, OIiver Queen diz aos amigos que “é hora de se tornar outra pessoa”. Claro que ninguém acreditou que o herói sairia de cena, mas sim que passaria por algum tipo de transformação.

A primeira pista veio na noite deste sábado (11), com a revelação do traje para a quarta temporada da série no painel da Warner, na San Diego Comic Con.

O visual afasta-se de vez do estilo rústico da minissérie Green Arrow: Year One (2007) e se aproxima da reformulação feira por Neal Adams em 1969 (The Brave and The Bold 85). A trama deve assumir um ar mais leve.

“Nós sempre dissemos que o progresso de Oliver é do Arqueiro para o Arqueiro Verde, e este é o próximo passo”, disse o produtor Greg Berlanti durante o painel. Outro produtor, Andrew Kreisberg, acrescentou que Oliver está num lugar muito melhor quando a quarta temporada começa. “Ele está feliz, ele está apaixonado”. Haverá mais humor no programa, mas “ele ainda atira flechas, ainda haverá cenas na chuva”.

Vamos poder conferir tudo isso a partir do dia 7 de outubro, quando a nova temporada estrear no canal CW nos Estados Unidos.

Escolhido ator de Ra’s Al Ghul em “Arrow”

arrowghul

Que Liam Neeson, que nada! Quem vai interpretar o vilão na série de TV do Arqueiro Verde é o australiano Matt Nable, que estrelou no ano passado o filme Riddick ao lado de Vin Diesel.

A estreia de Nable como Ra’s Al Ghul se dará no quarto episódio da terceira temporada de Arrow, The Magician, previsto para ir ao ar nos Estados Unidos no dia 29 de outubro. É também o episódio de número 50 da série.

Ghul é o grande vilão da temporada e deve se converter na maior ameaça já enfrentada pelo Arqueiro Verde. Ele foi citado várias vezes ao longo programa como o temido líder da Liga dos Assassinos, que treinou personagens como o Arqueiro Negro (Malcolm Merlyn) e Canário Negro (Sarah Lance).

O canal CW descreve assim o vilão: “Orgulhoso e impiedoso, Ra’s é um estrategista implacável, um mestre das artes marciais e um manipulador da história. Ele carrega a sabedoria das eras, e protege alguns dos seus maiores segredos”.

A terceira temporada de Arrow estreia no dia 8 de outubro nos Estados Unidos e no dia 17 no Brasil, pela Warner Channel.

Segunda temporada de “Arrow”, finalmente, estreia no Brasil

arrow-movie-wallpaper

Demorou, mas chegou. A partir desta segunda-feira, 21, os fãs que não são adeptos do download ilegal finalmente poderão acompanhar a segunda temporada de uma das melhores séries baseadas em quadrinhos da atualidade.

Arrow estreia no canal Warner, às 22h25. Serão exibidos dois episódios inéditos por semana, às segundas e terças-feiras.

O programa chega ao Brasil com bastante atraso. Nos Estados Unidos, a segunda temporada estreou em outubro do ano passado. Curiosamente, a primeira temporada foi exibida pela Warner brasileira a partir de 2012 com apenas 10 dias de diferença em relação à TV norte-americana.

Esquadrão Suicida em “Arrow”

suicidesquad-b125c

Atualmente em hiato nos Estados Unidos – os episódios inéditos voltam a ser exibidos na próxima semana (26) –, a série televisiva do Arqueiro Verde vem com novidades.

O site Comic Book Resources divulgou a estreia do Esquadrão Suicida no programa no episódio do dia 19 de março (Suicide Squad). A equipe de vilões será comandada por Amanda Waller (num visual semelhante ao da linha Novos 52 dos quadrinhos), Pistoleiro, Tigre de Bronze e Granada – todos já vistos em Arrow.

A surpresa fica por conta de Diggle, atual parceiro do Arqueiro, e Lyla Michaels, sua ex-esposa. A relação de Lyla com Amanda e a agência governamental A.R.GU.S. foi mostrada no episódio Keep Your Enemies Closer, da segunda temporada.

Segundo o produtor-executivo Andrew Kreisberg, Amanda recruta Diggle e Lyla para uma missão, e diz que ele vai precisar de um time: o Esquadrão Suicida.

Na TV, a equipe segue a mesma orientação dos quadrinhos: é formada por vilões condenados que aceitam trabalhar secretamente para o governo americano em troca de redução da pena.

No Brasil, a segunda temporada de Arrow não estreou e nem tem previsão.

Origem de Flash não será mais mostrada em “Arrow”

The Scientist

Os produtores do seriado baseado no Arqueiro Verde anunciaram ontem (18) que farão pequenas mudanças nos planos iniciais que envolvem o novo seriado do herói velocista Flash, que será vivido pelo ator Grant Gustin.

A participação do personagem nos episódios 8 (The Scientist) e 9 (Three Ghosts), nos dias 4 e 11 dezembro, ainda na identidade do cientista Barry Allen, foi mantida.

A mudança é em relação ao episódio 20, que funcionaria como uma espécie de piloto da nova série do Flash.

Agora, os produtores decidiram que a origem do herói será mostrada num piloto próprio, e não mais dentro de Arrow. Ainda não foi divulgado se o episódio 20 ainda terá relação com o novo seriado ou não.

Crítica: Arqueiro Verde 1 – O reboot do reboot

ARQUEIRO-VERDE-1-600x917

Arquearia é uma paixão confessa deste editor.

Há um ano, o Papo de Quadrinho fez um homenagem aos grandes personagens da cultura pop que manejam o arco nesta seleta lista com os 10 maiores arqueiros da Cultura Pop. Entre os mais queridos e conhecidos, o Arqueiro Verde não poderia ficar de fora.

Inspirado no pai de todos os arqueiros, Robin Hood, o Arqueiro Verde foi criado por Mort Weisinger e Greg Papp em 1941, e esteve presente em numerosas publicações da DC ao longo dos anos. Mas foi na década de 1970 que ele se destacou com histórias de temática adulta, vividas com o Lanterna Verde, Hal Jordan. O material, hoje um clássico dos quadrinhos, foi escrito por Dennis O’Neil e ilustrado pelo mestre Neal Adams.

Com o sucesso do seriado Arrow inspirado em sua mitologia dos quadrinhos, o Arqueiro Verde ganhou fôlego novo em suas aventuras no reboot da DC Comics. Infelizmente, ao contrário de alguns super-heróis como o Aquaman, que se beneficiaram com a renovação dos títulos da editora, o tratamento do herói neste reboot foi muito aquém do esperado.

A atualização do visual inspirada no seriado, com o herói mais jovem e mudando o estilo “Errol Flynn” foi a primeira polêmica e dividiu opiniões entre os fãs. Mas o verdadeiro problema foi a arte sofrível de Dan Jurgens e o roteiro vexatório de J.T. Krul –  primeira dupla escalada para reformular o personagem. Nem a arte final de George Pérez ajudou. No Brasil, essas primeiras histórias fizeram parte do mix da revista Flash Nº1, lançada em junho de 2012.

Para não estragar nos quadrinhos um personagem bacana que está se dando bem na TV, o Arqueiro Verde acabou ganhando uma segunda chance após a décima sétima edição norte-americana, e entrou em nova fase, com outra equipe criativa convocada para salvá-lo: Jeff Lemire (roteiro) e Andrea Sorretino (arte).

Lançada neste mês em revista solo, Arqueiro Verde Nº 1, apresenta esse novo trabalho e uma substancial melhora de arte e roteiro, embora o traço ainda merecesse um tratamento mais refinado. O mix traz também o Exterminador e Aves de Rapina. Confira nas bancas e comente aqui.

Crítica: final de Arrow respeitou inteligência da audiência

Arrow-TV

Esta época do ano marca o início da entressafra de grande parte dos seriados americanos. Vários deles exibiram suas season finale nas últimas semanas: The Walking Dead, The Following, Once Upon a Time, Supernatural… a lista é grande.

Entre eles está Arrow, a adaptação para TV do herói dos quadrinhos Arqueiro Verde. A primeira temporada foi encerrada nos Estados Unidos no dia 15 de maio (3 de junho no Brasil).

Ao longo de 23 episódios o programa construiu a mitologia do personagem na nova mídia: explorou suas motivações, inseguranças, aliados, inimigos, escolhas e até a origem, contada em forma de flashbacks intercalados à trama principal.

Arrow teve o mérito de atrair tanto leitores quanto não-leitores de quadrinhos ao misturar ação com drama familiar. Os primeiros ainda tiveram a vantagem de reconhecer vários personagens e se divertir com as muitas referências ao universo da DC Comics.

O episódio de estreia foi assistido por mais de quatro milhões de pessoas, um recorde para o canal CW. A manutenção da audiência perto deste índice fez a emissora muito rapidamente confirmar a segunda temporada.

O eixo central da trama era um grande e misterioso plano que envolvia pessoas importantes da cidade de Starling City. Caçar estas pessoas e honrar a memória do seu pai foi a motivação do herói ao longo de toda a temporada, ainda que o preço fosse ficar à margem da lei e afastar-se das pessoas que ama.

O quebra-cabeça foi montado aos poucos e levou ao clímax da season finale. Paralelamente ao confronto final entre o herói e o vilão, coadjuvantes ganharam destaque ao tentar impedir a catástrofe que ameaçava a cidade.

Arrow teve um final épico, emotivo, e respeitou a inteligência dos milhões de pessoas que acompanharam a série por meses.

O desafio dos roteiristas para a próxima temporada não é pequeno. Como foi dito, o “grande segredo” não era apenas a principal linha narrativa da série, mas também a motivação do herói.

Uma vez que a ameaça se concretizou e o vilão foi anulado, o que resta ao Arqueiro Verde? Enfrentar bandidos com origem nos quadrinhos em tramas pontuais diverte a audiência, mas não será suficiente para sustentar a temporada inteira por vir.

Os produtores têm crédito com a audiência. Até agora, souberam como conduzir o programa e não há por que não lhes dar um voto de confiança. Aos fãs, só resta esperar a próxima temporada, provavelmente em outubro. E torcer para que Arrow mantenha o alto nível demonstrado até agora.

Papo de Quadrinho viu: Arrow

O seriado live action do Arqueiro Verde fez sua estreia nas TVs americanas no último dia 10.

Quando foi anunciado, no início deste ano, Arrow provocou a sensação de que iria preencher o vácuo deixado por Smallville depois de dez anos de exibição.  O temor é de que fosse mais uma série em que um super-herói dos quadrinhos é apenas o pretexto para explorar temas adolescentes.

Considerando que toda a série vá seguir o que foi visto no episódio piloto, não é nada disso. Não mesmo.

A começar pelo protagonista. Stephen Amell, ator que interpreta Oliver Queen/Arqueiro Verde, aparenta ter pouco menos do que seus reais 32 anos de idade em vez de tentar parecer um adolescente.

Em seguida, vem a violência: apesar de não haver sangue jorrando, o vigilante não hesita em meter uma flecha no peito de alguns bandidos, sem falar no pescoço quebrado de um sequestrador a sangue frio.

Por último, a aparição do herói: já neste piloto, Oliver Queen veste o capuz do Arqueiro Verde – num visual bem parecido com a fase do personagem visto na série Os Caçadores – e sai pelas ruas fazendo justiça com as próprias mãos.

A trama é conhecida dos leitores de quadrinhos: o milionário Oliver Queen sofre um naufrágio e passa cinco anos numa ilha deserta. Para sobreviver, precisa desenvolver determinadas habilidades; entre elas, o manejo do arco e flecha.

Dentre as diferenças da adaptação para TV está o fato de que Oliver estava na companhia do pai quando o barco afundou. Ao que tudo indica, antes de morrer Robert Queen teria revelado segredos nada honestos para o filho.

Estes segredos são não só a motivação de que o jovem precisa para combater a corrupção em sua cidade – renomeada para Starling City (em vez de Star City dos quadrinhos) –, mas também uma ameaça à sua vida por forças pouco interessadas em que eles venham à tona.

Arrow começa com o resgate de Oliver Queen por pescadores e toda a trama anterior é narrada em flashbacks. A fotografia é grandiosa, algo sombria, o que definitivamente dá um ar mais adulto ao seriado.

O episódio piloto deixa também pistas sobre o que vem por aí: um falso “melhor amigo” chamado Merlyn, nome de um dos inimigos do Arqueiro Verde nos quadrinhos; uma irmã cujo apelido é Speedy (codinome do sidekick original do Arqueiro Verde, Roy Harper, e também de outra ajudante, Mia Dearden – batizados no Brasil de Ricardito e Ricardita, respectivamente); e a advogada e ex-namorada Dinah Laurel Lance (nome civil da heroína Canário Negro).

Nos primeiros segundos do piloto, há também um curioso easter egg, aquelas pistas deixadas pelos autores no meio das cenas: no momento do resgate de Oliver Queen, aparece muito rapidamente a máscara do Exterminador. Teria sido ele um habitante da ilha? Teria sido o treinador do Arqueiro Verde?

Arrow teve um ótimo início. O piloto foi assistido por mais de 4 milhões de espectadores, maior audiência do canal CW desde a estreia de The Vampire Diares, em setembro de 2009. Este seriado promete!

Papo de Lista: Os 10 Maiores Arqueiros da Cultura Pop

Os arqueiros são soldados leves, que desde tempos imemoriais aterrorizaram exércitos e criaram lendas a respeito de sua perícia e de seus feitos. Amplamente explorados na cultura pop, o Papo de Quadrinho listou os 10 maiores arqueiros de todos os tempos. Confira:


10 – Hank

Hank é um arqueiro cujo arco místico dispara setas de energia quem também podem se moldar ao alvo de acordo com sua vontade. Ele é personagem do famoso desenho animado da CBS, Caverna do Dragão, exibido pela primeira vez nos EUA em 1983 e que também fez muito sucesso por aqui, quando exibido no programa de TV Xou da Xuxa, nos anos 1980.

Primeira aparição: Dungeons & Dragons em 1983. Dublado por William Aames e, no Brasil, por Ricardo Schnetzer.

9 – Rambo

John Rambo é um veterano da Guerra do Vietnã, treinado nas forças especiais, praticamente uma máquina de matar. Surgiu pela primeira vez no romance First Blood, de 1972, escrito por David Morrell, porém imortalizado na série de filmes em que foi interpretado pelo ator Sylvester Stallone.
Rambo dominava vários tipos de armas e veículos, mas mandava bem mesmo no arco, por ser uma arma silenciosa, elegante e precisa, mais adequada às campanhas de infiltração e resgate que ele empreendia.

Primeira aparição: First Blood em 1972. No cinema, em Rambo, lançado em 1982.

8 – Katniss Everdeen

Criação da escritora Suzanne Collins, a jovem Katniss Everdeen vive em uma cidade paupérrima de mundo pós-apocalíptico. É obrigada a se oferecer para lutar no lugar da irmã em um Reality Show brutal chamado Jogos Vorazes, onde apenas um sobrevive.
The Hunger Games
é um best-seller que recebeu uma versão cinematográfica em 2012, em que Katniss foi interpretada pela atriz Jennifer Lawrence.

Primeira aparição: The Hunger Games em 2008, e na versão cinematográfica em 2012.


7 – Nicholas Hook

É um arqueiro renegado que acaba servindo o exército inglês durante o ano de 1415. Além da habilidade com arco longo e sua coragem, Hook é guiado pelos santos Crispin e Crispiano, patronos da cidade francesa de Soissons. Criação de Bernard Cornwell, “Nick” Hook está presente em um dos momentos mais marcantes da história inglesa, A Batalha de Azincourt, quando o exército inglês, exausto, doente e em grande desvantagem numérica, triunfou graças ao poder dos arqueiros e a estratégia usada no campo de batalha.

Primeira aparição: livro Azincourt, de 2008.

6 – Legolas Greenleaf

Criado pelo escritor J.R.R. Tolkien, Legolas é elfo Sindar da Floresta das Trevas. Como mensageiro dos elfos de sua terra, participou do Conselho de Elrond.  Uniu-se à Sociedade do Anel, grupo responsável por guiar o hobbit Frodo para destuir o anel de Sauron, representando sua raça.

Primeira aparição: livro Senhor dos Anéis, parte 1 – A Sociedade do Anel de 1954. No cinema, na versão homônima de 2001, interpretado pelo ator Orlando Bloom.


5 – Princesa Merida

Nas misteriosas Terras Altas da Escócia, a impetuosa princesa Merida é uma arqueira habilidosa. Filha do Rei Fergus e da Rainha Elinor, é a personagem principal do filme Brave. Merida foi criada por Brenda Chapman para essa animação da Pixar.

Primeira aparição: filme Brave, de 2012. Dublada por Kelly Macdonald. No Brasil, Luisa Palomanes.

4 – Gavião Arqueiro

Surgiu como um dos vilões do Homem de Ferro. Regenerou-se e participou dos Vingadores, sendo um dos personagem quase sempre presentes no grupo da Marvel. Ainda que não tenha super poderes, o Gavião passou a infância em um circo recebendo lições como acrobata e, mais tarde, recebeu treinamento dos criminosos Trick Shot e Espadachim. Já como super-herói, recebeu do Capitão América treinamento tático e físico. Possui uma visão espetacular, que combinada com sua perícia no arco, faz dele um atirador praticamente perfeito.

Primeira aparição: Tales of Suspense #57 de 1964. No cinema, foi interpretado pelo ator Jeremy Renner em 2012.


3 – Arqueiro Verde

Alter-ego do milionário Oliver Queen, o Arqueiro Verde foi criado por Mort Weisinger e Greg Papp. Caracterizado como Robin Hood, além de sua perícia, o herói usava flechas especiais para combater o crime, como flecha-cola, flecha-de-rede, flecha-luva-de-boxe etc.
Nos anos 1970 fez grande sucesso com histórias de temática adulta (vividas ao lado do Lanterna Verde Hal Jordan), escritas por Dennis O’Neil e ilustradas por Neal Adams, e acabou sendo incorporado em praticamente todos as demais mídias da DC Comics.

Primeira aparição: na revista More Fun Comics #73 de 1941. Está em fase de acabamento uma série de TV sobre o herói que estreia em outubro nos EUA.

2 – Guilherme Tell

Segundo a lenda, Wilhelm Tell era conhecido por sua habilidade com a balestra. Foi obrigado a disparar uma flecha contra uma maçã, apoiada na cabeça de seu próprio filho, por descumprir uma ordem do déspota austríaco Hermann Gessler.
Tell acertou a maçã sem dificuldades e assim se perpetuou a lenda de Guilherme Tell, cujos primeiro relatos são do século XV, colocando-o como suposto herói e principal mentor da guerra de libertação da Suíça contra o império Habsburgo da Áustria.

Primeira aparição: supostamente em 1307 na cidade de Altdorf na Suiça.


1 – Robin Hood

Mítico herói inglês, Robin Hood teria sido um fora-da-lei que viveu no século XIII, no tempo do Rei Ricardo Coração de Leão. Extremanente hábil com o arco, usava a floresta de Sherwood como base e, devido às injustiças de seu tempo, roubava dos ricos para dar aos pobres.
Embora tenha sido imortalizado como Príncipe dos Ladrões, sua conduta sempre foi associada ao heroísmo. Como um lutador valente e um arqueiro infalível, era fiel aos amigos e despojado, tanto que não possuia bens.
Não é possível provar sua existência, mas sua lenda como um dos maiores heróis ingleses perdura até hoje. Robin Hood continua sendo citado em praticamente toda a cultura pop, além de inspirar um grande número de super-heróis que utilizam o arco como arma. Por isso ele é o primeiro de nossa lista.

Primeira aparição: é um mistério. Mas sua lenda foi amplamente citada em filmes, quadrinhos, desenhos animados, séries e gibis.

Novo clipe de “Arrow”

O seriado estrelado pelo Arqueiro Verde já tem data para estrear nos Estados Unidos: 10 de outubro, no canal CW.

Nesta semana, um novo trecho foi liberado. Pelo que se vê, não deve guardar muita semelhança com seu antecessor Smallville – que recontou a juventude do Superman e foi bem insosso em muitos momentos.

Apesar da aparência jovem de Oliver Queen, Arrow aparenta ser bem mais sombrio, agitado e, principalmente, violento.

 

Página 0 de 2

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2017