Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Tag: Antonio Luiz Cagnin

“Jornadas” vai lançar 22 livros teóricos, um recorde!

jornadas

Em apenas três edições, as Jornadas Internacionais de Histórias em Quadrinhos, evento realizado pelo Observatório de Histórias em Quadrinhos da ECA – USP, já se consolidou como um celeiro da produção acadêmica sobre o tema.

Neste ano, nada menos do que 22 livros teóricos serão lançados na programação, que se estende de 18 a 21 deste mês. Nas edições anteriores foram 9 (em 2011) e 8 (2013). A quantidade de lançamentos supera outros eventos de quadrinhos e até mesmo bienais do livro.

Com exceção da tradução inédita do livro francês O Sistema dos Quadrinhos (Thierry Groensteen, Ed. Marsupial), as demais obras são todas nacionais. De acordo com levantamento divulgado pelos organizadores, três delas têm relação com pesquisadores brasileiros falecidos recentemente.

A Linguagem dos Quadrinhos: Estudos de Estética, Linguística e Semiótica reúne textos sobre o trabalho de Antonio Luiz Cagnin (organização de Waldomiro Vergueiro e Roberto Elísio dos Santos, Ed. Criativo); Histórias em Quadrinhos e Práticas Educativas: os Gibis Estão na Escola, e Agora? (de Elydio dos Santos Neto, falecido em 2013); e Moacy Cirne: o Gênio Criativo dos Quadrinhos, biografia escrita pelo jornalista Alex de Souza.

As sessões de autógrafos acontecem todos os dias, às 18h, na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Mais detalhes sobre a programação estão no site do congresso.

 

Morre Antonio Luiz Cagnin, pioneiro no estudo dos quadrinhos no Brasil

cagnin

A triste notícia chegou por meio da página do Facebook de Sonia Bibe Luyten, também ela respeitada pesquisadora da Nona Arte.

Cagnin estava com 83 anos. É dele o primeiro estudo semiológico sobre a linguagem dos quadrinhos no País. Alguns pesquisadores o precederam – Moacy Cyrne, Álvaro de Moya, Zilda Augusta Anselmo e a própria Sonia Luyten – mas a diferença é que Cagnin lançou um olhar acadêmico sobre a estrutura narrativa dos quadrinhos, seus vários elementos e como eles se relacionam para contar uma história.

Sua tese, que teve como orientador ninguém menos que o escritor e crítico Antônio Cândido, virou o livro Os Quadrinhos, em 1975.

Cagnin introduziu a linguagem dos quadrinhos em suas aulas de Língua e Literatura Portuguesa; em 1984, ingressou no departamento de Cinema, Rádio e TV da Universidade de São Paulo e logo no primeiro ano assumiu a disciplina de Quadrinhos.

Em 1986, durante suas pesquisas, deparou-se com a obra de Angelo Agostini, considerado o precursor dos quadrinhos no Brasil e até, talvez, no mundo. A paixão e dedicação de Cagnin ao tema o tornaram o maior especialista brasileiro em Agostini.

Infelizmente, o professor partiu sem ter conseguido concretizar o projeto de reeditar Os Quadrinhos. O livro está esgotadíssimo e hoje é considerado item raro.

Uma amostra do que ele apresenta pode ser vista em outro livro, bem mais recente: A Leitura dos Quadrinhos, do jornalista e professor Paulo Ramos, que tem a obra de Cagnin como importante fonte bibliográfica.

Também vale muito a pena ler a extensa entrevista de Cagnin ao cartunista Márcio Baraldi em 2010 (aqui).

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2019