Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Category: Livros (Page 1 of 9)

Papo de Quadrinho leu: O Guardião Centauro

O Papo de Quadrinho nunca ficou preso apenas em resenhas de gibis e mangás. Depois de focar esforços em filmes e séries nós voltamos com força total a publicar resenhas de livros neste espaço. A ideia é poder falar com mais abrangência e propriedade de algumas obras que chamaram nossa atenção, um trabalho que é impossível em redes mais visuais ou objetivas como nosso twitter e nosso instagram. Também é um trabalho que demanda tempo e análise, por isso a dificuldade em resenhar livros com grande rapidez.

Nosso intuito é ampliar o espaço de divulgação de produtos da cultura pop como um serviço de indicação e diversão para nossos leitores. Como é habitual neste espaço, não vamos nos deter em produtos que achamos abaixo da crítica, apenas para dizer que é ruim, polemizar e atrair visualizações através de haterismo. Pedimos desculpas, mas a vida é curta para perder tempo se detendo em coisas que não gostamos e não recomendamos. E de todo modo, já tem muito canal na internet especializado em polemizar.

Esperamos que nossos leitores curtam, divulguem e claro, o mais importante, leiam nossas resenhas escritas.

A literatura infanto-juvenil nacional já produziu bons livros que influenciaram e marcaram a vida de muitos jovens leitores. Embora ainda tenhamos de modo geral um conservadorismo no modelo de ensino de literatura – que infelizmente cria mais ex-leitores do que leitores – existe um movimento de educadores que trabalha com uma perspectiva mais adequada, pensando na leitura como uma oportunidade de divertir e estimular os jovens, com histórias ágeis, divertidas, conectadas com a realidade atual e com tramas que se passam em nosso país. Aqui se encaixa O Centauro Guardião (Panda Books) do escritor gaúcho Christian  David, com uma história de aventura e fantasia, leve, mas sem subestimar a inteligência dos jovens.

O palco destes acontecimentos extraordinários é a cidade do escritor, Porto Alegre, e a trama leva os personagens por diferentes cartões postais da cidade, relacionando-as à busca por artefatos mágicos, capazes de mudar o rumo da humanidade.

A história é divertida, narrada de forma clara e bem escrita. Trata dos acontecimentos fantásticos que mudarão a vida dos irmãos Clarice e Gustavo, dois jovens do interior que vão para Porto Alegre para terminarem o ensino médio e são envolvidos em uma disputa entre duas antigas ordens secretas por artefatos mágicos de poder descomunal e incerto. Um grupo ancestral, Os Centauros, planeja neutralizar o poder destes artefatos assim que os encontrar; mas o grupo rival, Os Minotauros, quer tomar posse dos artefatos com intuito de usá-los para seus próprios propósitos. O problema é que além da procura pelos artefatos perdidos, não está claro os interesses reais de alguns dos envolvidos. Os irmãos se unem aos Centauros, mas aos poucos, precisarão aprender sobre os artefatos e sobre si mesmos para serem capazes de salvar a humanidade.

A forma como os personagens são apresentados, cada um com suas motivações e temperamentos, vão trazendo sutilmente algumas questões sobre a responsabilidade da vida adulta nesta passagem da adolescência, com medos e descobertas. Tudo como pano de fundo, de modo leve e sem pesar a mão. A apresentação de algumas lendas da cidade, incorporadas na história, são outro acerto da trama, porque é feita de forma orgânica.

O desfecho é muito comedido. Talvez um final grandioso – dado os poderes envolvidos – ficasse mais interessante.

A edição da Panda Books está bonita, com capa e ilustrações internas do artista Leblu. Chama a atenção na capa o selo “Minha Biblioteca 2018” do programa de livros que a prefeitura de São Paulo criou para distribuir livros entre as escolas municipais de São Paulo. O Centauro Guardião é um dos 70 títulos contemplados, um livro de qualidade que terá a  chance de circular nas mãos de alunos que correspondem à faixa etária leitora.

BOX: O elementar de Sherlock Holmes

O detetive Sherlock Holmes é um personagem criado pelo médico e escritor britânico Sir Arthur Conan Doyle. Ganhou vida no interior da trama do livro Um Estudo em Vermelho. E renasce novamente em uma edição jovial e divertida com os romances clássicos que apaixonaram milhares de fãs.

O Grupo Editorial Novo Século, lançou um box com os livros Um estudo em vermelho, O cão de Baskerville, O signo dos quatro e o Vale do medo, para todos os fãs e a nova geração de leitores.


Um estudo em vermelho – A primeira história de Sherlock Holmes e o primeiro livro publicado por Conan Doyle, propõe um enigma invencível para a força policial, que pede seu auxílio. Um homem é encontrado morto, sem ferimentos e cercado de manchas de sangue. Em seu rosto uma expressão de pânico. Um caso para Sherlock Holmes e suas fascinantes deduções narrado por seu eterno amigo, Dr. Watson.

O cão dos Baskerville – O romance narra a trajetória da família Baskerville, assombrada há séculos pela lenda de uma besta, que segundo alguns, poderia ser um cão gigante e pronto para matar. A primeira vítima do monstro foi o fundador dos Baskerville, um homem terrível, que ao se apaixonar por uma linda moça, decidiu raptá-la e torná-la sua prisioneira. Acontece que a jovem consegue fugir, e enfurecido, Sir Hugo tenta recuperá-la em vão, pois surge da escuridão uma terrível fera escondida no pântano da família.

O signo dos quatro – Sherlock Holmes está confiante como nunca, e atraído pelos encantos de sua cliente Mary Morsan, uma bela mulher atormentada por um passado nebuloso. Uma aventura repleta de elementos dramáticos: as figuras misteriosas de um pigmeu e um homem com perna de pau, uma caçada desesperada, um cão digno de confiança e uma furiosa perseguição pelo Tâmisa.

O vale do medo – O mestre Holmes e Dr. Watson, ao investigarem um assassinato na cidade de Sussex, interior esquecido da Inglaterra, são remetidos à Pensilvânia dos anos 1880, em um cenário marcado por violência, destruição e corrupção, que os coloca em contato com uma organização que ninguém imagina existir, de operários de uma mina de carvão.

Sobre o autor
Sir Arthur Conan Doyle (1859-1930) foi um escritor e médico britânico, nascido na Escócia, mundialmente famoso por suas histórias sobre o detetive Sherlock Holmes, consideradas uma grande inovação no campo da literatura policial. Foi um renomado e prolífico escritor cujos trabalhos incluem histórias de ficção científica, novelas históricas, peças e romances, poesias e obras de não ficção. Morreu de ataque cardíaco aos 71 anos.

 

FLIPOP chega para celebrar a literatura para jovens

unnamed

FLIPOP (Festival de Literatura Pop) é um evento organizado pela Editora Seguinte juntamente com outras 9 editoras, e é voltado para quem gosta de literatura jovem (young adult, ou YA), fantasia, aventura e ficção científicanos. O evento acontece nos dias 29, 30 e 1º em São Paulo.

É voltado para todos os fãs de YA, bem como para quem pretende trabalhar no mercado editorial, seja como autor, tradutor, editor, ou ainda como pesquisador acadêmico.

O escritor e tradutor Eric Novello, autor de livros bacanas como Neon Azul, Ninguém nasce herói e Exorcismos, amores e uma dose de blues, elencou em sua newsletter 12 razões para os fãs e apreciadores de livros não perderem esse evento. Confira:

1. ENCONTRO COM PESSOAS QUE GOSTAM DO MESMO TIPO DE LEITURA QUE VOCÊ.

Eis uma coisa que não tem preço! Poder conversar com as pessoas que gostam dos mesmos livros que a gente, que sofreram com as mesmas histórias, se irritaram com os mesmos personagens e, claro, pegar dicas com elas de muito mais livros. Isso com a vantagem de ter um fandom respeitando o outro e não tentando diminuir o gosto alheio. Se você gosta das sagas A Rainha Vermelha e A Queda dos Reinos, por exemplo, você está feito. E esses são 2 exemplos só da Editora Seguinte, vale para muito mais livros e para todas as editoras participantes.

2. É UM AMBIENTE QUE APOIA E ABRAÇA A DIVERSIDADE.

A Seguinte é uma editora comprometida com a diversidade e isso se espelha na FLIPOP, um ambiente seguro para você ser quem você é de verdade, expressar seus sentimentos, conversar com gente que passa os mesmos perrengues que você, sem medo de sofrer qualquer tipo de preconceito, seja racismo, homofobia, transfobia… A FLIPOP de 2017 foi um evento muito acolhedor, e todo mundo que compareceu concorda que esse foi um diferencial. Todos temos o direito de ser felizes SIM! E durante três dias a FLIPOP nos lembra disso seja através das mesas que debatem diversidade ou do seu público incrível.

3. FALAR COM AUTORES INDEPENDENTES E AUTORES PUBLICADOS POR GRANDES EDITORAS.

Mais do que uma troca de experiências, a FLIPOP ajuda a conhecer gente que trilhou caminhos diversos em suas carreiras. Tem gente que começou em editora independente e migrou para uma grande como eu, tem gente que faz um sucesso tremendo se mantendo independente, como a incrível Jarid Arraes, tem gente que começou no Wattpad e fechou contrato tradicional, como a Mary C. Müller, e muitos outros exemplos. Cada pequena história pode te dar a dica que estava faltando para entender melhor os processos de publicação.

4. CONVERSAR COM TRADUTORES.

Porque nem só de autores e editores vive o mercado editorial! Você já pensou em trabalhar traduzindo livros? Bem, teremos tradutores no evento também. Na mesa Livros como profissão você poderá conhecer o Guilherme Miranda, tradutor com anos de bagagem e com vários livros young adult no currículo. Além, claro, dos tradutores que estarão zanzando por lá, como eu e o Samir Machado.

5. SABER O QUE PENSAM OS EDITORES.

Se você pensa em publicar um livro ou quer trabalhar por trás dos bastidores, é fundamental conhecer como pensam as pessoas responsáveis por escolher o que é publicado aqui no Brasil e ouvir as dicas que elas têm sobre o mercado estrangeiro e o nacional. A Flipop terá em uma de suas mesas 3 editoras de young adult: a Nath da Editora Seguinte; a Flavia da Plataforma 21, e a Veronica da GloboAlt. Sem falar do pessoal que estará por lá, no evento, acessível a todos. Profissionais de algumas das editoras mais importantes do país.

6. TEM DICAS DE ESCRITA!

Se você pensa em escrever profissionalmente ou quer melhorar o seu texto, esse ano a Flipop criou dois eventos para você. O primeiro é a palestra de dicas de escrita com a Socorro Acioli dando dicas sobre estrutura narrativa. Se você não tá ligado, a Socorro foi a única brasileira a participar da última oficina dada pelo Gabriel García Marquez, é doutora em literatura e é publicada no Brasil e no exterior e já ganhou um Jabuti. O segundo evento é o Livro ao Vivo! Durante os 3 dias de Flipop, alguns autores se juntarão ao AJ Oliveira e à Janaina Pin para… criar um livro ao vivo. Uma mesa criará a ambientação (eu estarei nessa!), outra os personagens e outra a história. Enquanto debatemos, claro, os motivos por trás das nossas escolhas. Dicona: o AJ é o host do podcast os 12 Trabalhos do Escritor e a Jana é host do Curta Ficção, os 2 voltados ao mercado literário.

7. CONHECER E CONVERSAR COM PESQUISADORES DO MEIO ACADÊMICO.

Taí algo que os eventos literários às vezes se esquecem. Tem gente que estuda, pesquisa e escreve artigos sobre livros e literatura e que tem muito conhecimento para compartilhar conosco, sejamos leitores, autores, editores… Mas como uma das propostas da FLIPOP é criar pontes, esse ano ela traz para o festival o Bruno Anselmi Mantagrano, que lançou recentemente com o Eneias Tavares um livro importantíssimo chamado: Fantástico Brasileiro: o Insólito Literário do Romantismo ao Fantasismo. Se você pensa em estudar literatura young adult ou fantasia e ficção científica na faculdade, ele é a pessoa certa para você trocar uma ideia.

8. SÃO 10 EDITORAS PARTICIPANDO!

Com o sucesso da 1ª edição da Flipop em 2017, novas editoras resolveram abraçar o Festival. Em termos práticos, isso significa que você vai encontrar no evento autores e editores de pelo menos 10 editoras importantes do mercado de literatura jovem e literatura pop (aventura, fantasia, ficção científica…) Se a ficha ainda não caiu, a palavra aqui é Networking. Contatos. O lugar certo para conhecer as pessoas certas.

9. PERTO DO METRÔ, DA AVENIDA PAULISTA E COM PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO.

Ah, os pequenos confortos da vida! A gente só se dá conta de como essas coisas fazem falta quando passa 3 horas dentro de um ônibus lotado indo para um evento no fim do mundo como a Bienal do Rio de Janeiro. Que bom que a Flipop acontece no centro de convenções do shopping Frei Caneca, que além de ser fácil de chegar, tem um ambiente agradável e uma das melhores praças de alimentação da região. Sem falar que ali nos entornos do shopping tem uns restaurantes e barzinhos bem legais para esticar depois do evento (inclusive bares lgbt, mas não espalha… quer dizer, espalha sim).

10. UM ÚNICO PREÇO, SEM BARULHO E SEM FILAS.

Com o seu ingresso você tem automaticamente direito a participar de todas as mesas, da oficina, de autografar seus livros e tirar fotos com todos os autores presentes, inclusive os autores estrangeiros convidados desse ano, a Morgan Rhodes de A Queda dos Reinos, e o Jeff Zentner, de Dias de Despedida. Esqueça aquela loucura de Bienal e de Comic Con, é tudo muito de boa, sem pressa e sem filas. O seu ingresso já vem com um número que vai garantir sua vez em tudo que você quiser assistir sem precisar ficar em fila. (Notaram q odeio filas?)

11. ENERGIA RENOVADA.

Isso nem dá para explicar direito. Só indo. Mas um dos efeitos mais comentados da Flipop 2017 foi como o festival renovou nossa vontade de escrever, ler, de gravar vídeos sobre livros, de, enfim, participar de todo esse organismo complexo que é a literatura no Brasil, seja lá em qual posição for. São tantas as dificuldades no dia a dia que às vezes a gente desanima. Bem, a Flipop serve para enterrar o desânimo também!

CAPA-VAI-LENDO-Entrevista-Eric-Novello-Op-2
12. EU ESTAREI LÁ!

Claro que eu iria me colocar como motivo! :D Venha conversar comigo sobre o Ninguém Nasce Herói, sobre o Exorcismos, Amores e Uma Dose de Blues, sobre a vida, o universo e tudo mais. Prometi no twitter e… Na mesa de domingo darei pela primeira detalhes do meu próximo livro, yey! Eu pretendo passar os 3 dias de festival presente, meio que o dia inteiro com meu carimbo de Santa Muerte. (…)

Serviço:

FLIPOP, dias 29, 30 e 1º no Centro de Convenções Frei Caneca – 4º andar (São Paulo – SP). Os ingressos já estão à venda e todos pagam meia entrada: seja meia de estudante/idoso ou meia social (mediante doação de um livro em bom estado na entrada). Com o ingresso você tem acesso garantido a todas as palestras e à sessão de autógrafos (não é necessário retirar outra senha), além de ganhar um kit na entrada. Confira a programação completa no site da FLIPOP e vale lembrar que os livros de todos os autores participantes estarão sendo vendidos no evento.

Os Senhores de Ur, de Ricardo Quartim, está em pré-venda

CAPA DEFINITIVA

Os Senhores de Ur – O Início é uma criação do jornalista Ricardo Quartim,  conhecido como um dos colaboradores mais antigos da revista Mundo dos Super-Heróis, além  de ter seu canal DROPS Ricardo Quartim.

Nessa obra, o autor criou um universo completo, cuja civilização remonta a 14 mil anos no passado até o presente. Tudo narrado a partir da perspectiva de Urano, o herói que desconhece que faz parte de uma profecia ancestral e precisa aceitar seu destino em outro universo para salvar a civilização de Ur.

Na trama, um homem misterioso deixa uma mulher grávida em um hospital e desaparece. A jovem morre após dar à luz. Um monstro alienígena surge e tenta matar o bebê, mas uma das enfermeiras salva o pequeno Urano.

Já adulto, ele se torna um renomado escritor de ficção científica. Mas ninguém sabe que suas histórias vêm de estranhos sonhos que ele tem desde criança. Ao deparar-se com o monstro que retorna para tentar matá-lo, Urano descobre que seus sonhos são mais reais do que ele pensava.

Referências fundamentais, como Flash Gordon e Star Wars, além de paralelos temporais iguais aos da trilogia De Volta Para o Futuro e Exterminador do Futuro, conduzem a história. O passado remoto de Ur oferece ao leitor um clima de Espada e Magia como nas histórias de Robert E. Howard, criador do Conan.

A arte da capa é de Caio Cacau, responsável pelas capas da série de livros de Star Trek nos Estados Unidos; o prefácio foi escrito pelo jornalista e escritor Marco Moretti, um dos finalistas do Prêmio Jabuti.

Srs-Ur-R-Quartim-Reno-baixajpg

O livro tem ainda ilustrações exclusivas de quadrinhistas nacionais e internacionais de peso – caso de Gabriel Andrade Jr., que produziu com Alan Moore a série CROSSED + ONE HUNDRED (Crossed +100), e do espanhol Benito Gallego Sanchez, que atualmente desenha as tiras de Tarzan roteirizadas por Roy Thomas.

Os Senhores de Ur – O Início está em pré-venda com preço promocional (10% de desconto) e pode ser adquirido diretamente no site da editora Red Dragon.

Ricardo Quartim é jornalista especializado em HQs e cultura nerd. Colaborador da revista Mundo dos Super-Heróis (que recentemente chegou à edição 100) e do site Laboratório Espacial, redator da página O Frango e do Jornal Empoderado no Facebook. Produz o videolog DROPS Ricardo Quartim no Youtube e virou personagem Quartzo Dourado da HQ Ricardo Quartim o Super-Herói da Notícia, que atualmente está participando da saga on line Força Extrema.

Quadrinhos e afins na Bienal do Livro RJ: Novo Século

 

novoséculo_bienal

Para quem é leitor de quadrinhos, a lista de expositores da Bienal do Livro do Rio de Janeiro, que começa na próxima 5ª feira (31), não é muito animadora. São poucas as editoras especializadas com estande no evento.

Mas claro que se tem Bienal, tem lançamentos. A partir de hoje, vamos publicar o que essas editoras estão levando de novidade para o evento literário.

Começamos com a Novo Século, que vem investindo bastante no segmento e até criou um selo, o Geektopia, apresentado na Bienal de São Paulo no ano passado.

The Wicked + The Divine 2 (Kieron Gillen e Jamie Mckelvie)

A saga dos deuses que caminham entre nós e se assemelham a ícones pop continua. A Novo Século lançou o primeiro volume, que reúne as edições 1 a 5 originais, no final do ano passado. O segundo volume traz as edições 6 a 11. O álbum está em pré-venda na Amazon por R$ 49.

Na linha de romances inspirados/adaptados nos quadrinhos da Marvel, a editora apresenta dois novos títulos:

Homem de Ferro Extremis (Marie Javins)

A trama é conhecida de quem acompanha os quadrinhos: a Dra. Maya Hansen, antiga colega de Tony Stark, desenvolve um processo biológico batizado de Extremis, desenhado para reescrever o corpo humano de fora para dentro. A HQ representou um grande salto na cronologia do Homem de Ferro e serviu de inspiração para o filme Homem de Ferro 3 (2013).

Demolidor – O Homem sem medo (Paul Crilley)

Novelização da famosa minissérie de Frank Miller e John Romita Jr. (2003), que reconta a origem do Demolidor.

Os dois romances já estão à venda na Amazon por R$ 34,80.

CCXP Tour Nordeste: lançamentos da editora Leya

leyaccxptour

A ideia era fazer uma prévia dos lançamentos na CCXP Tour Nordeste (13 a 16 de abril, em Recife), como fazemos em todos os grandes eventos e no começo de cada ano.

Mas sem a lista de expositores, ficou difícil consultar as editoras. Então, vamos divulgando aqui o que elas espontaneamente estão enviando para nós.

Começamos pela Leya. A editora reservou para o evento o terceiro volume da série Alien – Rio de Sofrimento; o romance de ficção científica de George R.R. Martin, Gardner Dozois e Daniel Abraham, Caçador em Fuga; as edições de colecionador de Batman: Os Arquivos Secretos do Homem-Morcego e Superman: Os Arquivos Secretos do Homem de Aço; o terceiro e último volume da trilogia A Sombra do Corvo: A Rainha do Fogo; e o box da primeira era de Mistborn, de Brandon Sanderson.

Outras obras de George R.R. Martin estarão em destaque no estande da Leya: a coleção Wild Cards (volumes 1 a 7), o recém-lançado Mulheres Perigosas e, claro, a série As Crônicas de Gelo e Fogo.

Entre os nacionais, destaque para os dois volumes de O Espadachim de Carvão, de Affonso Solano, com direito a sessão de autógrafo do autor junto com os demais integrantes do podcast Matando Robôs Gigantes (MRG), Didi Braga e Beto Estrada.

A editora também participa da programação oficial com apresentações em seu estande e no auditório Ultra, vai levar o Trono de Ferro para os visitantes tirarem fotos e fará a cobertura da CCXP Tour Nordeste em suas redes sociais.

Projeto no Catarse comemora centenário de Jack Kirby

osmundosdekirby

Se estivesse vivo, o legendário quadrinhista Jack Kirby completaria 100 anos no próximo dia 28 de agosto. Os amigos Edson Diogo, idealizador do site Guia dos Quadrinhos e do festival que leva o mesmo nome, e Will, um dos principais nomes dos quadrinhos brasileiros da atualidade, bolaram uma maneira incrível para celebrar a data.

Os Mundos de Jack Kirby – Um tributo ao Rei dos Quadrinhos reúne 100 artistas brasileiros que retrataram um personagem criado por Kirby. Com acabamento de luxo – capa dura, impressão em papel couchê fosco 150 g, formato 31 x 21 cm e 224 páginas –, o livro está captando financiamento no Catarse de hoje (15) até 16 de março.

catarse_Jack_Kirby_10

Cada arte, inédita, vem acompanhada de um texto sobre o personagem, imagem da capa de sua primeira aparição nos quadrinhos e uma biografia do artista convidado. Completa o conteúdo um índex dos trabalhos de Kirby publicados no Brasil.

O valor do apoio vai de R$ 20 (versão da obra em PDF) até R$ 170 (livro impresso mais sketch original em tamanho A4 de Flávio Luiz, Laudo Ferreira ou Omar Viñole – a escolher).

A opção mais barata para adquirir a versão impressa é R$ 70, com retirada no Festival Guia dos Quadrinhos, ou R$ 90, para envio pelo correio. Parte dessas artes será exposta no evento, nos dias 8 e 9 de abril, em São Paulo.

Para apoiar Os Mundos de Jack Kirby – Um tributo ao Rei dos Quadrinhos, visite o link: https://www.catarse.me/jackkirby_100anos.

2017: O que vem por aí pela Record

record2017

Livro também tem lugar na prévia do Papo de Quadrinho, ainda mais se for desses temas que a gente tanto gosta…

O Grupo Editorial Record, por meio do selo Galera (que também publica quadrinhos) tem dois lançamentos engatilhados para agradar os fãs de séries, filmes e games. Confira:

The Walking Dead: Busca e Destruição, de Jay Bonansinga: Nesse sétimo volume da série, Lilly Caul e seu bando acreditaram que a paz estava mais próxima. Uma velha ferrovia que ligava Woodbury e Atlanta permitiu um projeto de reconstrução que acarretaria uma nova era de trocas, progresso e democracia. Isso até a cidade ser mais uma vez atacada e todas as crianças raptadas.

Quem seria capaz submeter inocentes a tal violência gratuita, e por quê? As respostas para tais perguntas revelam que os mortos-vivos não são o maior problema do mundo pós-apocalipse.

Assassin’s Creed: Livro Oficial do Filme, de Christie Golden: Novelização do roteiro de Assassin’s Creed, um dos filmes mais aguardados do ano e que finalmente chega às telas brasileiras na próxima semana (12). Baseado na série de videogames homônima, a trama mostra como Animus, uma tecnologia revolucionária que desbloqueia memórias genéticas, ajuda Callum Lynch a presenciar as aventuras de seu ancestral Aguilar, na Inquisição Espanhola do século XV.

Callum descobre ser descendente de uma misteriosa sociedade secreta, a Irmandade dos Assassinos, que luta pelo direito do livre-arbítrio dos homens. Ao longo dos anos, a irmandade acumulou incríveis conhecimentos e habilidades usados no combate à poderosa e tirana Ordem dos Templários.

“Forrest Gump” completa 30 anos e ganha edição especial pela Aleph

 

forrest_aleph

Forrest Gump, a encantadora obra de Winston Groom sobre a trajetória do jovem que só queria fazer as coisas certas, foi lançada originalmente há 30 anos, em 1986.

Em comemoração à data, a Aleph lança uma edição luxuosa que chega às livrarias a partir da segunda quinzena deste mês.

Forrest Gump (392 páginas, R$ 79,90, tradução de Aline Storto Pereira) tem acabamento em capa dura, 13 ilustrações do quadrinhista Rafael Coutinho e um ensaio comparando o livro à sua adaptação cinematográfica, escrito pela francesa Isabelle Roblin – professora da Université du Littoral-Côte d’Opale.

A capa é dupla-face: uma sobrecapa de papel com impressão em ambos os lados permite ao leitor escolher o seu design favorito do artista Pedro Inoue (veja acima), o mesmo de 2001: Uma Odisseia no Espaço e a da edição comemorativa de 50 anos de Laranja Mecânica.

Com direção de Robert Zemeckis e estrelado por Tom Hanks, Forrest Gump, o filme, conquistou seis Oscars, incluindo o de Melhor Filme. No livro, o protagonista é ainda mais inusitado e peculiar que no cinema. Aliás, toda a narrativa é mais polêmica e densa no original do que na adaptação.

Para quem conhece Forrest Gump só do cinema, vale a pena conferir essa edição comemorativa.

Livro com aventura do Doutor Estranho no reino dos sonhos sai em novembro 

Doutor Estranho_CAPA_ FINAL.indd

Na semana passada, divulgamos o recente lançamento da Série Marvel Novo Século, Novos Vingadores – Motim, e adiantamos que o livro seguinte seria do Doutor Estranho.

A editora acaba de liberar informações sobre a novidade: Doutor Estranho – Sina dos Sonhos (272 páginas, R$ 39,90), escrito pela quadrinhista Devin Grayson (Teen Titans, Nightwing) e  lançado neste mês nos Estados Unidos, chega ao Brasil em novembro.

Não se trata de uma história de origem, como no longa-metragem que estreia no dia 3. No romance, Stephen Strange já derrotou hordas de demônios, lutou contra forças malignas e defendeu incansavelmente nosso reino de exércitos interdimensionais.

Nesta aventura, o inimigo é Pesadelo, que usa os sonhos para levar as pessoas a agir de acordo suas mais soturnas ambições. Doutor Estranho não tem outra alternativa senão confrontar suas próprias fraquezas para chegar ao vilão.

O lançamento nacional traz alguns agrados para os fãs: um pôster exclusivo e a capa desenhada pelo brasileiro Luke Ross. A tradução é de Paulo Ferro Júnior.

Page 1 of 9

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2019