Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

Search results: "mundo fantasma" (Page 1 of 3)

Mundo Fantasma: uma série sobre a transição

Em princípio, pelo menos para mim, foi difícil compreender o sentido de Mundo Fantasma, que a Gal Editora acaba de trazer ao Brasil depois de um hiato inexplicável de mais de duas décadas.

Nas primeiras páginas, parece mais uma “série sobre o nada” – a forma como o comediante Jerry Seinfeld definiu seu próprio programa na TV e à qual me referi sobre Fracasso de Público, outro lançamento da Gal.

Enid e Becky são duas adolescentes tentando parecer descoladas num mundo que consideram medíocre e que, de fato, é povoado por umas figuras bem bizarras. A dupla vive de andar por aí comentando a vida alheia e botando defeito e apelido em qualquer um que dê o azar de cruzar seu caminho.

O autor Daniel Clowes, um astuto observador de seu tempo (Mundo Fantasma foi concebida no final dos anos 1980), faz de suas protagonistas um retrato em preto, branco e sépia dos jovens de então, armados de todo niilismo e descompromisso que pudessem carregar para enfrentar um mundo que não compreendiam.

Neste sentido, Clowes é um visionário. Hoje, deve estar rindo ao constatar o quão maduras eram Enid e Becky se comparadas à atual Geração Z.

Mas Clowes também é um pragmático. Com 30 anos incompletos à época da primeira publicação de Mundo Fastama, ele sabia que a fase adulta chega para todos, inexoravelmente e sem distinção.

É a partir desta percepção que as personagens de Clowes ganham profundidade e Mundo Fantasma se agiganta. Um fato simples na vida de qualquer jovem, o ingresso na faculdade, abre a primeira fenda na amizade de Enid e Beck e abre espaço para o mundo real se impor.

A isto, somam-se outros fatos corriqueiros, como o primeiro emprego, o namoro sério. Tudo isso vem num turbilhão, na última terça parte do livro, mas ainda assim de forma sutil, natural. É aquele momento em que nos damos conta de que o tempo passou e os sonhos ficaram perdidos em algum lugar no passado.

Ao final das 80 páginas, fica fácil compreender o sentido de Mundo Fantasma: é uma obra sobre a transição, sobre a inevitável maioridade e a compreensão de que aquele mundo não era assim tão medíocre;  era apenas desconhecido.

Melhor se acostumar. Para o bem o para o mal, ele é tudo que resta daí para frente.

Mundo Fantasma finalmente chega ao Brasil

Sucesso de crítica e público nos anos 1990, a HQ de Daniel Clowes finalmente desembarca por aqui pela Gal Editora.

A história das adolescentes Enid e Becky foi lançada originalmente, de forma independente e seriada, em 1989 pela revista de Clowes, Eightball, e, em 1997, reunida numa graphic novel, que já se encontra em sua 17ª reimpressão pela editora Fantagraphics.

A edição nacional tem como extras notas sobre as referências à cultura pop que aparecem na trama, tradução e informações sobre as músicas incidentais e a biografia de Daniel Clowes.

Por meio da relação das duas jovens com os mais diferentes tipos de gente, Mundo Fantasma faz uma crítica à sociedade americana daquela década e recebeu vários prêmios, sendo inclusive considerada um dos 10 melhores álbuns em quadrinhos de todos os tempos pela revista Time.

Mundo Fantasma, pela Gal Editora, tem 84 páginas em preto, branco e pantone, preço de R$ 28,00 e já está à venda nas lojas especializadas e livrarias.

Veja um trailer da HQ aqui.

Flash é o destaque da nova Mundo dos Super-Heróis

Chegou nas bancas a nova Mundo dos Super-Heróis 58. O dossiê especial é sobre o herói mais rápido da DC.
Inclui os bastidores de criação, momentos mais marcantes da carreira, principais vilões e versões do herói nos quadrinhos e em outras mídias. Os editores Jota Silvestre e Társis Salvatore participam da revista regularmente.

Mundo58_ dossieFlash1

A edição tem outros destaques como:

Sin City: A Dama Fatal
Tudo sobre os personagens e a história do novo filme da Cidade do Pecado, que adapta tramas dos quadrinhos e apresenta histórias inéditas para o cinema

Entrevista
Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho, os autores da nova Graphic novel do Bidu, falam sobre o começo da carreira, financiamento coletivo e motivações

Tartarugas Ninja
Comemorando 30 anos de existência, os répteis comedores de pizza ganham uma polêmica e ousada versão cinematográfica. Saiba os detalhes

Mulher-Hulk
De heroína sexy a renomada advogada, uma linha do tempo com a Gigante Esmeralda que defende os inocentes e arrebenta os vilões

Actions-figures
A coleção Mighty Muggs diverte ao apresentar personagens com um visual caricato mas bem fiel aos quadrinhos

Mundo58_ActionFigures

Motoqueiro Fantasma
Reunimos 10 curiosidades infernais sobre o personagem mais macabro da Marvel

Universo Marvel/DC
O escritor Roberto Guedes fala sobre a fábrica de fantasias infantis que criou um visual semelhante ao Homem-Aranha em 1954, oito antes da estreia do personagem

Grandes Sagas DC
Ponto de Ignição, protagonizada por Flash, e a mais polêmica estratégia da editora nas últimas décadas

Heróis BR
Os incríveis trabalhos independentes de artistas nacionais

Etc & Tal
O pesquisador Gelson Weschenfelder fala da relação dos quadrinhos do Superman com as indagações do ponto de vista filosófico

Peneira Pop
As novas velhas ideias da Marvel para chamar a atenção do jovens leitores, os vídeos da internet protagonizando Flash e a cosplayer Toni Darling como Lady Death

DISTRIBUIÇÃO

A Mundo dos Super-Heróis 58 já está nas bancas de todo o Brasil.

VERSÃO DIGITAL

Todo o conteúdo da Mundo dos Super-Heróis está a venda também no site www.europadigital.com.br. Assinantes têm acesso gratuito ao material. Mais informações em www.europanet.com.br/superheroi

Mundo dos Super-Heróis conquista periodicidade mensal

“A Editora Europa decidiu aumentar o investimento na publicação. Acreditamos que há grande potencial junto aos leitores e ao mercado anunciante”, explica o editor Manoel de Souza.

A edição 31 transforma o sucesso do seriado The Walking Dead – que voltou a ser exibido em fevereiro, na segunda temporada – em reportagem de capa, em que analisa a HQ que deu origem à série e relaciona outros quadrinhos e longas-metragens relacionados aos zumbis. A revista dedica 25 páginas ao seriado, incluindo bastidores das filmagens, curiosidades e resumo dos episódios.

A reportagem e a nova periodicidade consolidam a reestruturação editorial iniciada em 2010, quando a publicação ampliou sua cobertura para outros assuntos da cultura pop. Hoje, a Mundo dos Super-Heróis está focada em cinema, quadrinhos, desenhos animados e séries de TV, mas também abre espaço para action-figures, cosplayer e curiosidades.

Outras reportagens desta edição:

Herói Sobrenatural: Sobre a carreira do Motoqueiro Fantasma, famoso por suas ações radicais: tem pacto com o demônio e age movido pela vingança.

Fábrica de Clássicos: A incrível história da Ebal, a saudosa editora brasileira que publicou grandes fases da Marvel e da DC.

Volta em grande estilo: Com roteiros mais elaborados e estilo anime, os populares Thundercats ganharam uma nova série animada com muita ação.

Entrevista inédita com Al Rio: Pouco antes de sua morte em janeiro, o desenhista brasileiro contou como entrou no mercado americano, quais eram seus desenhistas preferidos e suas dicas profissionais.

Intrépido Repórter: Tintim, o herói criado em 1929, ganhou as telas de cinema. Detalhes do filme As Aventuras de Tintim e a trajetória do personagem nos gibis e outras mídias.

Marvel Universe: Com figuras menores para baratear os custos, essa coleção de action-figures conquistou os colecionadores.

Herói absurdo: Battle Pope, o polêmico e absurdo gibi independente dos mesmos criadores de The Walking Dead.

Peneira Pop: Notícias e curiosidades, a biografia de Stan Lee escrita pelo brasileiro Roberto Guedes, como foi a entrega do prêmio Angelo Agostini, adaptação de Tex dos gibis para o cinema, além de cursos e eventos.

A Mundo dos Super-Heróis 31 chega primeiro às bancas de São Paulo Capital, Rio de Janeiro Capital e mais dez cidades: Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Goiânia, Porto Alegre, Ribeirão Preto, Salvador, Santos e São José dos Campos; depois é  recolhida e volta para as demais bancas do Brasil.

“Kris Klaus: Papai Noel Casca-Grossa” tem lançamento na CCXP 2015

Kris-Klaus-CAPA

Do Press-Release

Um exército de vampiros tem um plano que parece perfeito! Com o auxílio de uma relíquia que lhes permite entrar em qualquer lugar, eles resolvem tomar cidade após cidade ao redor do planeta e criar um mundo dominado pelos sanguessugas.

Mas esse plano tem uma pequena falha: os vampiros iniciam seu ataque em plena noite de Natal, a noite em que aquele bom velhinho, o Papai Noel, viaja por toda a Terra para entregar presentes às crianças comportadas.

O grande azar dos vampiros é que Kris Klaus, o Papai Noel, tem um passado sombrio e violento que se perdeu nas sombras do tempo. Com a ajuda de um grupo de sobreviventes humanos e de alguns duendes amalucados, Klaus terá que ressuscitar sua história repleta de mortes e destruição, já que se torna a única resistência contra uma legião de monstros e seu terrível líder.

Kris Klaus: Papai Noel Casca-Grossa é uma história de ação e aventura, influenciada por histórias de terror e mitologia nórdica que começou a ser produzida anos atrás. É também o primeiro álbum autoral da dupla. Tem 56 páginas, formato 21 x 26 cm e preço promocional de lançamento de R$ 25.

O álbum tem prefácio do quadrinhista Spacca, autor de Santô e os Pais da Aviação e Jubiabá, entre outros. O lançamento será no evento Comic Con Experience (CCXP 2015) e estará à venda na Mesa 56 do Artist’s Alley. entre os dias 03 a 06 de dezembro.

Sobre os autores

Maurício Muniz é editor, roteirista, tradutor e jornalista especializado em Cultura Pop. Já editou e traduziu revistas como Sandman, Sin City, Preacher e Juiz Dredd. Foi o primeiro a trazer ao Brasil títulos premiados como A Liga Extraordinária, O Corvo, Fracasso de Público, Mundo Fantasma, Tom Strong, Astro City, Filósofos em Ação e Planetary. É editor da revista Mundo Nerd e do site O Pastel Nerd.

Joel Lobo já teve uma editora, um estúdio de design gráfico e até uma oficina de serigrafia, mas sua principal ocupação é a de ilustrador. Seu trabalho pode ser visto em capas e páginas de livros e revistas das principais editoras do país. Joel e seu amigo Fabio Corazza organizam o sketchJAMS, evento no qual um grupo de desenhistas atua em shows de música na noite paulistana.

Gal Editora traz “Perdido e Mal Pago” para o Brasil

capa_perdidoemalpago1 copy

A editora vem se notabilizando pelo lançamento de importantes HQs do circuito independente em território nacional. Não fosse por ela, e pelo ótimo trabalho do editor Mauricio Muniz, é pouco provável que o leitor brasileiro tivesse acesso a títulos como Nação Fora da Lei, Mundo Fantasma, Fracasso e Público e outros.

É o caso do mais recente lançamento da Gal Editora, Perdido e Mal Pago, de Bob Fingerman, lançada pela Fantagraphics em 1995.

A trama, recheada de referências à cultura pop, acompanha a transformação na vida de Rob Hoffman, desenhista de gibis pornográficos e crítico de quadrinhos.

Fingerman antecipou o comportamento de uma nova geração de nerds, os amantes de gibis, filmes e figuras de ação que encaram a realidade e todos seus desafios: relacionamento sério, possibilidade de ter um filho, dívidas…

Em meio a tudo isso, Bob pode contar com um divertido grupo de amigos nerds: Jack, um celibatário fissurado em HQs e literatura; Max, típico azarado com as mulheres; Elvis, o editor; Matt, viciado em Godzilla, e sua namorada stripper, Azure; e Maddie, amiga lésbica da namorada de Bob, Sylvia.

O primeiro volume de Perdido e Mal Pago, Nerds em Apuros, já está à venda nas livrarias. Tem 112 páginas, miolo em preto e branco, e preço de R$ 36. A edição nacional traz como extras capa e prefácio exclusivos, esboço dos personagens e um guia para entender todas as referências pop da história.

Papo de Quadrinho elege as Melhores HQs de 2012

Mantendo a tradição, Papo de Quadrinho indica os melhores quadrinhos lançados no ano que acabou.

Como toda lista, esta obviamente tem falhas e critérios. Em primeiro lugar, só foram consideradas as HQs lidas pelos editores (e está muito longe de cobrir a totalidade de lançamentos do ano).

Em segundo, o fato de que não foram avaliados os relançamentos. Por isso, quadrinhos sensacionais como Diomédes (Lourenço Mutarelli, Quadrinhos na Cia) e Grandes Astros: Superman (Grant Morrison/Frank Quitely, Panini), por exemplo, ficaram de fora.

Por último, neste ano o blog selecionou os melhores em outras categorias (livros, filmes, seriados, games – a serem publicados nos próximos dias) e, portanto, reduziu cada lista a cinco itens.

E no dia 7 de janeiro, vamos publicar as Melhores HQs de 2012 na opinião dos leitores. Não perca!

Veja quais foram as Melhores HQs de 2012 para o Papo de Quadrinho:


HABIBI (Craig Thompson, Quadrinhos na Cia)

Com a peculiar sensibilidade que imprime a seus trabalhos, Craig Thompson (Retalhos) narra uma história de amor que atravessa décadas ao mesmo tempo em que traduz para os ocidentais os verdadeiros princípios da fé islâmica. Dodola e Zam, uma jovem e um bebê escravos, refugiam-se num navio em pleno deserto. Para passar o tempo, Dodola conta histórias como no conto As Mil e Uma Noites. Mas o mundo fora do refúgio é duro, e ambos acabam sucumbindo à crueldade dos homens antes que voltem a se encontrar.

ASTRONAUTA-MAGNETAR (Danilo Beyruth, Panini)

Dando início à série Graphic MSP, Danilo Beyruth explora e aprofunda as características que transformaram o Astronauta num dos personagens mais queridos de Mauricio de Sousa: a ousadia e a solidão. O intrépido investigador depara-se com um evento raro no cosmos, uma magnetar, último estágio de uma estrela moribunda. Ao investigá-lo, um problema com a nave faz dele um náufrago espacial. O Astronauta vai buscar nas lembranças da infância na fazenda do avô a coragem para sair desta situação.

Leia resenha completa aqui: http://revistaogrito.com/papodequadrinho/2012/10/21/astronauta-magnetar-razao-e-sensibilidade/ 

NEONOMICON (Alan Moore/Jacen Burrows, Panini)

Homenagem do bruxo dos quadrinhos a H.P. Lovecraft. Moore mistura elementos da narrativa sobrenatural do escritor – que teve sua obra publicada no início do século passado – com uma trama policialesca. É a oportunidade para introduzir alguns dos elementos mais presentes nos trabalhos do quadrinhista: sexo e drogas. A impressão de Neonomicon foi proibida na Indonésia e China, o que fez a Panini lançar a HQ em capa cartonada para viabilizar o preço.

Leia resenha completa aqui: http://revistaogrito.com/papodequadrinho/2012/08/16/neonomicon-de-alan-moore-tributo-a-h-p-lovecraft/ 

WILSON (Daniel Clowes, Quadrinhos na Cia)

Clowes é conhecido por sua crítica sutil aos costumes da sociedade americana. Se em Mundo Fantasma ele mirou numa geração perdida de jovens, em Wilson seu alvo é o americano de meia idade. Wilson é uma coleção ambulante de defeitos: egoísta, insensível, intrometido, grosseiro, rancoroso. Mas é na linguagem que o livro de destaca: a história é narrada em tiras de uma página, cada uma num estilo diferente de arte, que formam a epopeia de um medíocre.

Leia resenha completa aqui: http://revistaogrito.com/papodequadrinho/2012/02/27/wilson-e-uma-divertida-colecao-dos-defeitos-humanos/ 

PAGANDO POR SEXO (Chester Brown, WMF Martins Fontes)

Obra autobiográfica de Chester Brown, Pagando por Sexo é praticamente um tratado sociológico em defesa da prostituição. Cansado das desilusões amorosas, e tímido demais para batalhar o sexo casual, Brown opta por pagar pelo prazer. No percurso, ilustra as principais dúvidas de quem não tem experiência no assunto: onde procurar, como tratar a profissional, como fazer o pagamento, quanto as aventuras pesam no orçamento, e por aí vai. O autor aproveita diálogos com os amigos para rebater pontos de vista contrários à prostituição e ainda traduz toda a impessoalidade com que trata o tema numa arte minimalista.

“LÔCAS” está de volta ao Brasil

Salvo engano, a última vez que a aclamada série de Jaime Hernandez viu as bancas daqui foi no início dos anos 1990.

A Gal Editora, que vem oferecendo ótimos títulos independentes aos leitores brasileiros, lança agora LÔCAS: Maggie, a Mecânica, que dá início à série publicada originalmente nos anos 1980 na revista Love and Rockets.

Estrelada pela dupla de amigas Maggie e Hoppey, a série de Hernandez mistura o cotidiano típico de duas amigas com personagens extravagantes. LÔCAS serviu declaradamente como inspiração para Mundo Fantasma, de Daniel Clowes, lançado no Brasil também pela Gal Editora. Precisa dizer mais?

Maggie, a Mecânica tem 152 páginas, capa colorida e miolo preto e branco, formato 21 x 26 cm e preço de R$ 39,90. Já está disponível em livrarias, comics shops e lojas virtuais.

Veja abaixo um book trailer do lançamento.

Sai lista de indicados ao 24ª HQMix

Depois de uma pausa obrigatória por motivos profissionais, as postagens estão de volta ao Papo de Quadrinho

Na tarde de ontem (13), a organização do Prêmio HQMix divulgou a lista de indicados nas 30 categorias de melhores trabalhos publicados no ano passado (veja abaixo).

Nesta edição, o critério de indicação foi diferente das anteriores. Uma comissão julgadora formada por jornalistas e profissionais da área selecionou as obras e autores por categoria e submeteu a lista a comentários no blog do prêmio.

Feita a análise das críticas e sugestões, chegou-se à versão final. Como nos anos anteriores, a cédula de votação, que será enviada aos cadastrados a partir desta semana, permite que sejam votados trabalhos e profissionais não indicados.

A categoria Melhor Articulista, eliminada no ano passado, continua fora da premiação neste ano. Outra ausência é Melhor Mídia de Quadrinhos. No dia 4 de abril, o cartunista JAL, um dos idealizadores e organizador do HQMix, informou a este blog que a categoria estava sob discussão.

Segundo ele, não parecia justo (e não é mesmo) julgar blogs, revistas e programas de TV sob o mesmo critério; por outro lado, abrir uma categoria para cada mídia vai contra a redução do número de categorias promovida anos atrás.

A solução, então, sairia na semana seguinte. Como a lista oficial não traz a categoria Mídia de Quadrinhos, é possível que a organização não tenha chegado a um consenso.

O corpo de jurados desta edição foi composto pelo editor Marcelo Alencar, os jornalistas Heitor Pitombo e Télio Navega, o crítico e pesquisador José Oliboni e o desenhista Sam Hart. A ideia é trocar os membros a cada nova edição.

Veja a lista completa dos indicados ao 24º HQMix:

 

Adaptação para os Quadrinhos

A Cachoeira de Paulo Afonso (Pallas)

Clara dos Anjos (Cia. das Letras)

Conto de Escola em Quadrinhos (Peirópolis)

Dom Casmurro (Nemo)

Fahrenheit 451 (Globo)

Fernando Pessoa e Outros Pessoas (Saraiva)

Vigor Mortis Comics (Zarabatana)

 

Chargista

Angeli (Folha de S. Paulo)

Benett (Folha de S. Paulo)

Dálcio Machado (Correio Popular)

Duke (O Tempo)

Gustavo Duarte (Lance)

João Montanaro (Folha de S. Paulo)

Quinho (Estado de Minas)

 

Caricaturista

Alan Souto Maior

Baptistão

Cavalcante

Gustavo Duarte

Loredano

Manohead

Thiago Hoisel

 

Cartunista

Cau Gomes

Dálcio Machado

Duke

Jota A

Junião

Léo Martins

Silvano Mello

 

Desenhista Nacional

Aloísio de Castro (Carcará)

Danilo Beyruth (Necronauta 2)

Gustavo Duarte (Birds)

Lourenço Mutarelli (Quando meu Pai se Encontrou com o ET Fazia Um Dia Quente)

Marcelo Lelis (Saino a Percurá Ôtra Vez)

Rafael Albuquerque (Tune 8 e Vampiro Americano)

Rafael Coutinho (O Beijo Adolescente)

 

Desenhista Estrangeiro

Cyril Pedrosa (Três Sombras)

Daniel Clowes (Mundo Fantasma)

David Mazzucchelli (Asterios Polyp)

Jacques Tardi (Era A Guerra de Trincheiras)

Milo Manara (Bórgia – Tudo é Vaidade)

Oliver Copiel (Thor)

Shaun Tan (A Chegada)

 

Destaque Internacional

Ana Luiza Koehler

Fábio Moon e Gabriel Bá

Ivan Reis

Mike Deodato

Rafael Albuquerque

Rafael Grampá

Ricardo Manhães

 

Edição Especial Nacional

Encruzilhada (Leya/Barba Negra)

Histórias do Clube da Esquina (Devir)

Morro da Favela (Leya/Barba Negra)

Oeste Vermelho (Devir)

Saino a Percurá – Ôtra Vez (Zarabatana)

Tune 8 (Independente)

Vigor Mortis Comics (Zarabatana)

 

Edição Especial Estrangeira

A Chegada (SM)

Asterios Polyp (Cia. das Letras)

Daytripper (Panini)

Era a Guerra de Trincheiras (Nemo)

Mundo Fantasma (Gal Editora)

Quando lá Tinha o Muro (Tinta Negra)

Três Sombras (Cia. das Letras)

 

Editora

Cia. das Letras

Conrad

Devir

Leya/Barba Negra

Nemo

Panini

Zarabatana

 

Livro Teórico

A História em Quadrinhos no Brasil – Waldomiro Vergueiro e Roberto Elíseo Santos (Laços)

Ângelo Agostini – Gilberto Maringoni (Devir)

Enciclopédia dos Quadrinhos – Goida e André Kleinert (L&PM)

Faces do Humor, uma Aproximação entre Piadas e Tiras – Paulo Ramos (Zarabatana)

Histórias em Quadrinhos & Educação – Formação e Prática Docente – Elydio dos Santos Neto e Marta Regina Paulo da Silva – Orgs. (Editora Metodista)

Linguagem HQ – Nobu Chinen (Editora Criativo)

Super-Heróis, Cultura e Sociedade – Nildo Viana e Iuri Andréas Reblin – Orgs. (Editora Ideias & Letras)

 

Novo Talento – Desenhista

André Leal (São Jorge da Mata Escura)

Daniel Og (Yuri, Quarta-feira de Cinzas)

Eduardo Damasceno (Achados e Perdidos)

Lu Cafaggi (Mix Tape)

Mário César (Entrequadros)

Magno Costa e Marcelo Costa (Oeste Vermelho e Matinê)

Rael Lyra (MSP Novos 50)

 

Novo Talento – Roteirista

Hector Lima (MSP Novos 50)

Lillo Parra (Sonho de Uma Noite de Verão)

Luís Felipe Garrocho (Achados e Perdidos)

Magno Costa (Oeste Vermelho)

Mario César (Entrequadros)

Raphael Fernandes (Ditadura no Ar)

Vitor Cafaggi (Valente para Sempre e Duo.tone)

 

 Produção para Outras Linguagens

Angeli 24h (Documentário)

As Aventuras de Tintim (Filme)

Batman: Ano Um (Longa de Animação)

Capitão América: O Primeiro Vingador (Filme)

O Ogro (Animação)

Pieces (Teatro)

Walking Dead (Série de TV)

 

Projeto Editorial

1.000 (Barba Negra)

Achados e Perdidos (Independente)

Coleção Fierro (Zarabatana)

Coleção Ópera em Quadrinhos (Ática/Scipione)

Cripta (Mythos)

Graffiti 76% Quadrinhos #21 (Independente)

MSP Novos 50 – Mauricio de Sousa por 50 Novos Artistas (Panini)

 

Publicação de Aventura/Terror/Ficção

Birds (Independente)

Combate Inglório (Gal Editora)

Cripta (Mythos)

Fábulas (Panini)

Fierro Brasil (Zarabatana)

J. Kendall: Aventuras de uma Criminóloga (Mythos)

Os Mortos-Vivos (HQM Editora)

 

Publicação de Clássico

Agente Secreto X-9 (Devir)

Arzach (Nemo)

Combate Inglório (Gal Editora)

Cripta (Mythos)

Fantasma – A Saga do Casamento (Kalaco)

Garra Cinzenta (Conrad)

Gen, Pés Descalços (Conrad)

 

Publicação de Humor Gráfico

Antes Charge do que Nunca (Atorres)

Arvres (Orlando Pedroso)

Caminhos do Santiago (Santiago)

Caricaturas de Letra (Biratan)

Catálogo do Festival Internacional de Humor do Rio de Janeiro (vários)

Só Futebol (Duke)

Uma Patada com Carinho (Chiquinha)

 

Publicação de Tira

Agente Secreto X-9 (Devir)

Geraldão Espocando a Cilibina (Almedina)

Iscola… O Crime (Independente)

Macanudo # 4 (Zarabatana)

Ordinário (Cia. das Letras)

Rei Emir Saad – O Monstro de Zazanov (Barba Negra)

Ultralafa (Barba Negra)

 

Publicação Erótica

Black Kiss (Devir)

Bórgia – Tudo é Vaidade (Conrad)

Futari H (JBC)

Golden Shower 2 (Independente)

Hentai Gold (Geek)

O Perfume do Invisível – Edição Completa (Conrad)

Velta & Mirza (Júpiter II)

 

Publicação Independente de Autor

Birds (Gustavo Duarte)

Duo.Tone (Vitor Cafaggi)

Nanquim Descartável 4 (Daniel Esteves)

O Beijo Adolescente (Rafael Coutinho)

SOS (Felipe Nunes)

Tune 8 (Rafael Albuquerque)

Aparecida Blues (Biu e Stêvz)

 

Publicação Independente de Grupo

Almanaque Gótico

Café Espacial

Gibi Gibi

Golden Shower 2

Graffiti 76%

Tarja Preta 7

Zine Extreme

 

Publicação Independente Edição Única

Achados e Perdidos (Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho)

Birds (Gustavo Duarte)

Duo.tone (Vitor Cafaggi)

Mix Tape (Lu Cafaggi)

O Louco, a Caixa e o Homem (Daniel Esteves e Will)

Quadrinhos A2 (Cristina Eiko e Paulo Crumbim)

São Jorge da Mata Escura (Marcello Fontana e André Leal)

 

Publicação Infanto-Juvenil

Disney Gigante (Abril)

Epic Mickey (Abril)

Joca e a Caixa (Cia. Das Letras)

Mendelévio e Telúria: Histórias tão Pequenas de Nós Dois

Pateta faz História (Abril)

Pequeno Pirata (Leya/Barba Negra)

Turma da Mônica Jovem (Panini)

Publicação Mix

1000-1 (Cachalote/Barba Negra/Leya)

Fierro Brasil (Zarabatana)

Golden Shower 2 (Independente)

Mad (Panini)

MSP Novos 50 (Panini)

Tarja Preta (Independente)

Vertigo (Panini)

 

Roteirista Nacional

André Diniz (Morro da Favela)

Carlos Ferreira (Kardec)

Daniel Esteves (O Louco, a Caixa e o Homem e Nanquim Descartável)

Lourenço Mutarelli (Quando meu Pai se Encontrou com o ET Fazia Um Dia Quente)

Marcelo Cassaro (Dbride: A Noiva do Dragão)

Vitor Cafaggi (Duo.tone e Valente para Sempre)

Wellington Srbek  (Ciranda Coraci e o Senhor das Histórias)

 

Roteirista Estrangeiro

Brian Wood (ZDM e Vikings)

David Mazzucchelli (Asterios Polyp)

Giancarlo Berardi (Julia Kendall e Ken Parker)

Jacques Tardi (Era A Guerra de Trincheiras)

Pierre Paquet (Quando eu Cresci)

Robert Kirkman (The Walking Dead)

Shaun Tan (A Chegada)

 

Tira Nacional

Bifaland (Allan Sieber)

Malvados (André Dahmer)

Manual do Minotauro (Laerte)

Níquel Náusea (Fernando Gonsales)

Ocre (Gilmar)

Quase Nada (Fábio Moon e Gabriel Bá)

Um Sábado Qualquer (Carlos Ruas)

 

Web Quadrinhos

Dinamica de Bruto – Bruno Maron: http://www. dinamicadebruto.interbarney.com

Ledd – J.M. Trevisan e Lobo Borges: http://www.leddhq.com.br

Macacada Urbana – Vencys Lao: http://petisco.org/macacada

Malditos Designers –  Rômulo: http://www.ideafixa.com/malditosdesigners

Quadrinhos A2 – Cristina Eiko e Paulo Crumbim: http://www.quadrinhosa2.com

Quadrinhos Rasos – Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho: http://www.quadrinhosrasos.com

Terapia – Mario Cau: http://petisco.org/terapia

 

Web Tiras

A Vida com Logan – Flávio F. Soares: http://www.avidacomlogan.com.br

Minha Talentosa Mão Direita – Gomez:

http://www.talentosamaodireita.blogspot.com.br

Ryotiras – Ryot http://www.ryotiras.com

Tune 8 – Rafael Albuquerque: http://quadrinhos.ig.com.br

Um Sábado Qualquer – Carlos Ruas: http://www.umsabadoqualquer.com

Vida e Obra de Mim Mesmo – Ricardo Coimbra: http://vidaeobrademimmesmo.blogspot.com

Will Tirando – Will Leite: http://www.willtirando.com.br

“Wilson” é uma divertida coleção dos defeitos humanos

Daniel Clowes é “o” cara! No início dos anos 1990, então com quase 30 anos, conseguiu captar os anseios (ou a falta deles) de toda uma geração em Mundo Fantasma. Vinte anos depois – portanto, entrando na casa dos 50 –, Clowes pinta o pior retrato possível da meia-idade em Wilson, personagem que dá nome ao livro em quadrinhos lançado neste mês pela Quadrinhos na Cia.

Wilson, o personagem, é uma coleção ambulante dos maiores defeitos do ser humano: egoísta, insensível, intrometido, grosseiro, rancoroso. Fica fácil entender, logo de cara, porque ele é tão solitário.

Ainda assim, é difícil não se identificar com ele nas passagens em que fala, às claras e na cara, aquilo que só temos coragem de dizer pelas costas.

Claro que de sua posição privilegiada, o leitor acaba rindo de cada situação que Wilson cria com quem der o azar de cruzar seu caminho (aqui cabe uma nota pessoal: li quase toda a HQ no metrô, com fones de ouvido, e pelos olhares ao redor acredito que gargalhei uma ou duas vezes sem perceber).

Em seu mais recente trabalho, Clowes inova também no uso da linguagem dos quadrinhos. Cada página de Wilson foi concebida como uma tira cômica, de sentido completo, com meia dúzia de quadros. Isso fica ainda mais evidente na preocupação do autor em dar a cada página/tira um título e um estilo artístico único, como se cada uma tivesse sido produzida por um desenhista diferente.

Porém, no conjunto, as páginas formam uma história completa, uma aparente busca do incorrigível Wilson por redenção. Depois de barbarizar pela vizinhança e testemunhar a morte de seu pai, a sensação de vazio o invade; ele parte em busca da ex-mulher e descobre que, quando ela o deixou, estava grávida e deu a criança para adoção.

Dentro de sua ótica egocêntrica, Wilson acha que pode recomeçar a vida em família – ele só esquece de perguntar se as partes envolvidas estão dispostas a conviver com ele.

Assim como em Mundo Fantasma, ao final Clowes deixa transparecer sua visão pessimista (ou realista) do mundo. Neste sentido, Wilson lembra a rebelde Enid: se você passa a vida inteira afastando as pessoas, seu destino poderá ser bem solitário…

Apesar do grande conhecimento de causa, Clowes parece não padecer do mesmo mal de seu personagem. Pelo menos é o que diz a autobiografia na última página: ele mora com sua mulher, um filho e um cão. Isso só demonstra o alto grau de sensibilidade e percepção do autor, seja para retratar uma geração inteira seja para capturar a vida de uma única pessoa.

Wilson, o livro, é divertido, instigante e inteligente. Tem 80 páginas, capa e miolo coloridos, formato 20 x 27 cm e preço de R$ 39,00. Vale o investimento.

Page 1 of 3

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2019