capa_perdidoemalpago1 copy

A editora vem se notabilizando pelo lançamento de importantes HQs do circuito independente em território nacional. Não fosse por ela, e pelo ótimo trabalho do editor Mauricio Muniz, é pouco provável que o leitor brasileiro tivesse acesso a títulos como Nação Fora da Lei, Mundo Fantasma, Fracasso e Público e outros.

É o caso do mais recente lançamento da Gal Editora, Perdido e Mal Pago, de Bob Fingerman, lançada pela Fantagraphics em 1995.

A trama, recheada de referências à cultura pop, acompanha a transformação na vida de Rob Hoffman, desenhista de gibis pornográficos e crítico de quadrinhos.

Fingerman antecipou o comportamento de uma nova geração de nerds, os amantes de gibis, filmes e figuras de ação que encaram a realidade e todos seus desafios: relacionamento sério, possibilidade de ter um filho, dívidas…

Em meio a tudo isso, Bob pode contar com um divertido grupo de amigos nerds: Jack, um celibatário fissurado em HQs e literatura; Max, típico azarado com as mulheres; Elvis, o editor; Matt, viciado em Godzilla, e sua namorada stripper, Azure; e Maddie, amiga lésbica da namorada de Bob, Sylvia.

O primeiro volume de Perdido e Mal Pago, Nerds em Apuros, já está à venda nas livrarias. Tem 112 páginas, miolo em preto e branco, e preço de R$ 36. A edição nacional traz como extras capa e prefácio exclusivos, esboço dos personagens e um guia para entender todas as referências pop da história.

Comentários