Na semana passada, o Ministério da Educação, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), publicou o edital de convocação para inscrição e seleção de obras de literatura para o Programa Nacional Biblioteca da Escola – PNBE 2014.

Desde 2006, o Governo Federal incluiu, entre as compras destinadas à distribuição em bibliotecas públicas de todo o País, os livros em quadrinhos.

A iniciativa provocou um aquecimento da produção nacional, inclusive com a publicação de HQs por editoras não tradicionais no segmento – isto porque o volume das compras governamentais é muito superior às tiragens médias para venda em bancas e livrarias.

Segundo o edital, as editoras têm até o dia 13 de fevereiro para fazer o cadastramento e pré-inscrição das obras. Neste ano, os quadrinhos podem ser inscritos em duas categorias: alunos dos anos iniciais do Ensino Fundamental e alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Apesar de não excluir outros gêneros, o texto do edital indica sua preferência: “livros de imagens e livros de histórias em quadrinhos, dentre os quais se incluem obras clássicas da literatura universal”.

Historicamente, os editais do PNBE relativos aos anos pares – voltados aos alunos de creches e pré-escolas, primeiros anos do Fundamental e EJA – são os que adquirem menor quantidade de quadrinhos: 14 em 2006, 9 em 2010 e 7 em 2012.

A título de comparação, nos anos ímpares – voltados aos anos finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio – as quantidades foram: 23 obras em 2009, 25 em 2011 e 29 para 2013.

Leia o edital completo do PNBE aqui.

Comentários