Depois do lançamento da revista da Luluzinha clássica, em abril do ano passado, a editora do grupo Ediouro tomou gosto pela coisa. Um mês depois, foi a vez de Bolinha ganhar sua própria revista. Em fevereiro deste ano, chegou às bancas Recruta Zero e Outros Clássicos: além das histórias do soldado folgado, a publicação trouxe de volta personagens como Hagar O Horrível, Zezé & Cia, A Arca dos Bichos e Os Sobrinhos do Capitão.

Agora, a Pixel aproveita a Bienal do Livro de São Paulo para ampliar este portfólio. Durante o evento literário serão lançados três novos títulos: Riquinho, Gasparzinho e Popeye e seus amigos (veja todas as capas na galeria abaixo).

Os dois primeiros foram pensados prioritariamente para o público infantil – mas nada impede que os adultos também matem a saudade. Depois de mais de 20 anos afastados das bancas brasileiras, os personagens voltam com histórias completas em edições mensais.

Cada revista terá 52 páginas coloridas, formato 13,5 cm x 19 cm e preço de R$ 3,10.

Popeye e seus amigos é um caso à parte. O marinheiro brigão fez sua estreia pela Pixel em maio, numa história de página simples da revista do Recruta Zero. A partir deste mês, ganha título próprio em que serão publicadas, também, histórias clássicas de Krazy Kat, Belinda e Adalberto, Piadas do Pinduca, Hagar, Arca dos Bichos e Recruta Zero. Mensal e colorida, a revista terá 64 páginas e preço de R$ 4,50.

Apesar da semelhança entre os mixes, as revista do Popeye e Recruta Zero serão publicadas em paralelo. Alguns personagens, caso do Hagar, serão publicados em ambas; outros, vão se revezar entre as duas publicações.

Todas estas novidades estarão à disposição dos leitores em bancas de jornais a partir do dia 9 de agosto.

SERVIÇO:

A Bienal do Livro de São Paulo acontece de 9 a 19 deste mês no pavilhão do Anhembi. O ingresso custa R$ 12 — professores, bibliotecários, profissionais do livro, maiores de 60 anos e crianças com até 12 anos não pagam.

Para chegar, prefira o metrô. Há traslado gratuito para o pavilhão nas estações Barra Funda e Tietê. O estacionamento costuma ser caro e lotado.

Mais informações aqui.

Comentários