A expectativa era grande. Não é todo dia que dois dos maiores criadores de países tão distantes produzem uma obra conjunta. Mauricio de Sousa chegou a abrir um espaço na sua disputada agenda para se encontrar com blogueirosem São Pauloe falar sobre o projeto (e outras novidades de seu estúdio para 2012).

Na semana passada, chegou às bancas Turma da Mônica Jovem 43, aedição que marca o encontro entre os personagens de Mauricio e do “pai do mangá”, Osamu Tezuka.

A trama é bem simples: a convite do museu em que Franja trabalha, a turma viaja para uma estação modelo de extração vegetal na Amazônia. Lá, conhecem outras “autoridades” no assunto: os doutores Licurgo (o Louco da versão tradicional), Ochanomizui e Tenma.

A invenção deste último, o robô-menino Astroboy, logo conquista a todos com sua inocência, poderes e tristeza – ele quer ser tratado como um garoto de verdade. Outro visitante ilustre é o príncipe Safiri, do distante reino da Terra de Prata, em “missão diplomática”.

Segundo Mauricio, o tema ecológico foi uma escolha de Tezuka. Não deixa de ser uma boa oportunidade de passar ao público alvo da publicação, majoritariamente pré-adolescente, conceitos como manejo sustentável, biodiversidade e outros, de forma bastante lúdica.

Não há como negar que os roteiristas de Turma da Mônica Jovem sabem o que fazem. Diferentemente de Luluzinha Teen – em que os protagonistas poderiam ser quaisquer personagens e não só os criados por Marjorie Henderson –a versão adolescente da turma resgata muitas das piadas e situações vistas na linha regular de revistas: Cebola e Cascão se provocando mutuamente, ambos provocando a Mônica, e por aí vai.

A trama deixa dois ganchos interessantes para a conclusão, na edição do mês que vem: a aparição do Kimba, o Leão Branco – famosa criação de Tezuka -, e o segredo de outro de seus mais famosos personagens: Mônica pode ter descoberto que Safiri é uma menina.

A leitura garante boa diversão, mesmo para quem não está na faixa de idade a quem a revista se destina. A história tem consistência, coerência, boas piadas e, claro, os conflitos típicos da adolescência.

Vale destacar que os artistas do estúdio de Mauricio de Sousa emularam muito bem o traço de Tezuka na caracterização dos personagens.

Turma da Mônica Jovem 43 tem 132 páginas, capa cartonada colorida e miolo p&b, e preço de R$ 7,50. Fica a torcida para que a história completa venha a ser publicada no futuro em formato maior, papel de melhor qualidade e totalmente colorida. Tezuka merece.

Comentários