Um polêmico projeto de lei datado de 2009 prevê, entre outras coisas, incentivos fiscais e a obrigatoriedade de uma cota de publicação de quadrinhos nacionais

O debate, que ganhou força na Internet nos últimos meses (veja aqui, aqui e aqui) dividiu a opinião de autores, editores e jornalistas especializados na cobertura deste segmento.

No próximo dia 4 de fevereiro, às 14h30, a discussão se dará de forma presencial dentro da programação do 28º Prêmio Angelo Agostini, no Instituto Cervantes,em São Paulo.

Para debater os prós e contras do projeto, foram convidados os cartunistas JAL (presidente da Associação dos Cartunistas do Brasil), Márcio Baraldi (criador dos personagens Roko Loko, Adina-Lina, Rap Dez e outros) e Spacca (autor dos livrosem quadrinhos D.JoãoCarioca, Jubiabá e Santô e os Pais da Aviação), e o editor Guilherme Kroll, da Balão Editorial (que publicou os títulos brasileiros Os Passarinhos, Entrequadros e Nós).

Os dois primeiros são a favor da nova lei; os outros, contra. A mediação será do editor deste blog.

A programação do 28º Prêmio Angelo Agostini prevê também o lançamento e exibição de um trecho do documentário produzido por Baraldi, Ao Mestre com Carinho, sobre a vida do veterano artista Rodolfo Zalla (com presença do homenageado); a produção de uma HQ coletiva; exposição de telas de William MR com o tema Angelo Agostini; estandes da livraria Comix e do coletivo Quarto Mundo; e a entrega dos troféus para os vencedores deste ano.

O Instituto Cervantes fica na Avenida Paulista, 2439, próximo ao metrô Consolação. O evento terá início às 14h.

Comentários