Entre os muitos e bons lançamentos independentes de quadrinhos brasileiros, Papo de Quadrinho leu 3 Tiros e 2 Otários e O Louco, a Caixa e o Homem.

O que as duas HQs têm em comum, além do suporte do coletivo Quarto Mundo, é um roteirista, Daniel Esteves. Os dois artistas são, respectivamente, Caio Majado e Will – três nomes bastante conhecidos e premiados da cena independente.

De comum, também, as histórias têm o fato de se limitarem a “momentos” que não ultrapassam 15 minutos cada, calcados no cotidiano, no corriqueiro, no aqui e agora.

3 Tiros e 2 Otários tem cara de brincadeira de rua entre dois amigos – brincadeira séria, já que envolve um revólver e um corpo estendido no chão. No posfácio, Daniel lembra que toda a história nasceu da ideia de um palavrão rabiscado numa folha de papel sabe-se lá em quais circunstâncias.

O “puta que o pariu” que abre a HQ é a primeira gota da enxurrada que se segue. Em 19 páginas da trama, contam-se 17 “porra”, 15 “caralho”, 10 “foda” (e suas variantes) e mais alguns outros. Depois disso é que dá para entender por que a capa traz a classificação indicativa para 16 anos.

É na fluidez dos palavrões que se nota que não estão lá gratuitamente; fazem parte da história tanto quanto os dois “otários”, respondem pela tensão crescente e denotam aquele desrespeito “respeitoso” de amigos na mesa de um bar.

O traço de Caio Majado reforça o clima urbano da trama, não só pela caracterização estilizada dos personagens, mas também pela escolha dos planos e perspectivas.

A trama de O Louco, a Caixa e o Homem gira em torno do encontro casual dos três elementos do título e é claramente inspirada nas desventuras do Cebolinha e do Louco de Mauricio de Sousa.

À medida que o diálogo entre o Louco e o Homem avança, o humor vai cedendo lugar ao drama, até a conclusão em que o leitor se questiona quem é mesmo o Louco e quem é o Homem.

Diferente da outra HQ, o traço futurista de Will parece conflitar com a trama fortuita de Esteves, o que deixa a leitura ainda mais interessante. Na verdade, este aparente conflito deixa a história mais universal, provando que poderia se passar em qualquer tempo ou espaço.

A edição caprichada teve o cuidado de fazer da capa e do formato a própria caixa do livro.

As HQs de Esteves, Majado e Will honram a tradição de humor do quadrinho brasileiro e evidenciam a ótima fase da produção independente.

3 Tiros e 2 Otários tem 24 páginas, formato 22 x 15 cm, capa colorida e miolo preto e branco, e preço de R$ 5.

O Louco, a Caixa e o Homem tem 60 páginas, formato 20 x 21,5 cm, colorida e miolo preto e branco, e preço de R$ 15.

Dá para comprar nas principais gibiterias de São Paulo (Comix, HQMix, Gibiteria). Para outras regiões e informações, entrar em contato pelo e-mail hqemfoco@hqemfoco.com.br.

Comentários