A Marvel anunciou para a primeira semana de dezembro a primeira edição de Defenders, com roteiro de Matt Fraction (Fear Itself, Invencible Iron Man) e arte de Terry Dodson (Uncanny X-Men).

Segundo o release, Doutor Estranho vai reunir um novo time de heróis para enfrentar um novo tipo de ameaça que “deixará os leitores chocados”. A nova formação inclui os veteranos Namor e Surfista Prateado e os estreantes Punho de Ferro e Mulher-Hulk Vermelha.

Não gosto de criticar sem ler, mas penso que este novo título da superequipe não terá vida longa. A própria Marvel não leva muita fé, já que está oferecendo uma série de vantagens para os revendedores e apelou para a genialidade de Neal Adams em uma das capas alternativas da edição número 1 (veja na galeria abaixo junto com um preview).

Os Defensores nasceram da cabeça brilhante de Roy Thomas em 1971. Depois da estreia em Mavel Feature, ganharam sua primeira revista própria, que durou 152 edições e apresentou a melhor fase da equipe – notadamente o confronto com os Vingadores.

Depois disso, houve várias tentativas de trazer os Defensores de volta, inclusive com outros nomes, Defensores Secretos e A Ordem. Com mais baixos que altos, todas tiveram pouca duração.

A melhor delas foi a minissérie de 2005, escrita por J.M. De Matteis e desenhada Kevin Maguire. Apesar do tom humorístico, a dupla conseguiu captar o que a equipe tem de melhor: o fato de os membros praticamente odiarem uns aos outros.

É difícil explicar, mas parece que no gênero de super-heróis alguns personagens vão viver eternamente de sua fase clássica, não sobrevivendo a remakes ou atualizações.

Isso acaba de acontecer com a Tropa Alfa. Nem bem foi relançado, e seu novo título será cancelado em janeiro, apenas na edição 6.

Melhor sorte para os Defensores.

Comentários