Photobucket

Uma das maiores qualidades do atual desenho animado do Homem-Morcego é a participação especial de um grande número de heróis e vilões da DC, muitos deles clássicos ou obscuros.

Ao longo das duas temporadas e em meio a personagens mais conhecidos, também desfilaram pela animação nomes como Homem-Borracha, Starro, Pen Dragon, Kamandi, Rei Relógio, Combatentes da Liberdade, Senhor Milagre, Bat-Mirim, Sindicato do Crime, Tigre de Bronze, Remendo Maluco…

Uma das perguntas que se fazia era: quando Batman irá se encontrar com os medalhões Superman e Mulher-Maravilha?

Bem, isso acaba de acontecer, pelo menos em parte, no primeiro episódio da terceira temporada, que foi ao ar no Cartoon Network dos Estados Unidos na última sexta-feira (25).

Battle of the Superheroes apresenta Batman em visita a Metrópolis e seu encontro com Superman, Lex Luthor, Lois Lane e Jimmy Olsen. Por meio de uma matéria de Lois, vemos Batman e Superman, em flashback, atuando lado a lado no melhor estilo “Os Melhores do Mundo”.

De volta ao presente, o Homem de Aço sucumbe a um plano de Luthor e, depois de ser exposto à kryptonita vermelha, transforma-se um verdadeiro tirano. Somente Batman poderá distraí-lo até que a estranha radiação perca o efeito.

É aí que “Os Bravos e os Destemidos” mostra por que é um desenho acima da média e exibe outra de suas qualidades: a homenagem a momentos marcantes de Batman, seja na TV, quadrinhos ou cinema.

Photobucket

Neste caso em particular, a batalha entre Batman e o enlouquecido Superman reproduz a mesma luta de “O Cavaleiro das Trevas”, com direito não só à bat-armadura, mas também a cenas nitidamente copiadas da HQ de Frank Miller.

O próximo episódio (1º de abril) voltará a fazer nova homenagem, desta vez a um desenho animados dos anos 1970 quando Batman encontra ninguém menos que Scooby-Doo.

Infelizmente, o produtor-executivo James Tucker anunciou que esta será a última temporada, de apenas 13 episódios (metade das anteriores). Uma pena, pois como já disse um leitor deste blog, Os Bravos e os Destemidos “é ótimo porque incorpora o que de melhor do passado com vista para o século XXI”.

Comentários