Músico do Animal Collective chega com a instrumentação no mínimo em disco distante de seus melhores momentos

diminui o tom da inovação no comedido Buoys
NOTA6.5

Noah Lennox e seu projeto Panda Bear retornam em Buoys, um disco que traz uma nova abordagem, mais introspectiva e distante da exuberância experimental buscada em trabalhos anteriores. É um disco sem toda aquela instrumentação conhecida, mas com algumas boas passagens. No entanto, nem de longe lembra a inovação e choque de trabalhos como Person Pitch (2007) e Tomboy (2011).

São nove faixas que soam bem parecidas entre si e que apenas ideias já trabalhadas em discos anteriores, a exemplo do uso inusitado dos arranjos eletrônicos e texturas.

Ainda que a ideia de trabalhar de forma conceitual aspectos banais do cotidiano tenha sido interessante, a experimentação não gerou bons resultados (ou, pelo menos, não ao nível esperado de Lennox). Faixas como “Dolphin”, por outro lado, ainda lembra o ápice criativo do artista visto tanto em seu projeto como em sua banda, o .

PANDA BEAR
Buoys
[Domino, 2019]
Sem mais artigos