O Goya, o mais importante prêmio de cinema espanhol, rolou nesse último domingo (5) e premiou Tarde Para La Ira (ainda inédito no Brasil) como melhor filme. A produção Sete Minutos Depois da Meia-Noite também foi bastante premiada e levou o troféu de melhor diretor.

Dirigido por Raúl Arévalo Zorzo, Tarde Para La Ira conta a história de um homem que tenta reconstruir a vida após passar oito anos na prisão por ter participado de um roubo em uma joalheria. Zorzo tornou-se o quarto diretor estreante a ganhar o maior prêmio do Goya em trinta anos. O longa ainda saiu com os troféus de roteiro original, autor estreante e melhor ator coadjuvante para Manolo Solo.

Sete Minutos Depois da Meia-Noite ganhou o Goya de melhor diretor para Antonio García Bayona e outros oito prêmios, incluindo fotografia e montagem.

O melhor filme europeu foi para Elle, de Paul Verhoeven e o ibero-americano para El Ciudadano Ilustre, de Gastón Duprat e Mariano Cohn. Emma Suárez saiu duplamente premiada na noite, como melhor atriz por Julieta e melhor atriz coadjuvante por La Próxima Piel.

A noite teve um momento de comoção com a interpretação da canção “Ai, Ai, Ai”, um hino contra os despejos. (via El País).

Aqui a lista completa de vencedores:

Melhor filme
Tarde para la ira

Melhor direção
Jaun Antonio Bayona, Un monstruo viene a verme

Melhor diretor revelação
Raúl Arévalo, Tarde para la ira

Melhor roteiro original
David Pulido e Raúl Arévalo, Tarde para la ira

Melhor roteiro adaptado
Alberto Rodríguez e Rafael Cobos, El hombre de las mil caras

Melhor ator protagonista
Roberto Álamo, Que Dios nos perdone

Melhor atriz protagonista
Emma Suárez, Julieta

Melhor ator coadjuvante
Manolo Solo, Tarde para la ira

Melhor atriz coadjuvante
Emma Suárez, La próxima piel

Melhor ator revelação
Carlos Santos, El hombre de las mil caras

Melhor atriz revelação
Ánna Castillo, El olivo

Melhor música original
Fernando Velázquez, Un monstruo viene a verme

Melhor canção original
Ai, ai, ai, de Silvia Pérez Cruz, Cerca de tu casa

Melhor direção de produção
Sandra Hermida Muñiz, Un monstruo viene a verme

Melhor direção de fotografia
Óscar Faura, Un monstruo viene a verme

Melhor montagem
Bernat Vilaplana e Jaume Martí, Un monstruo viene a verme

Melhor direção artística
Eugenio Caballero, Un monstruo viene a verme

Melhor figurino
Paola Torres, 1898. Los últimos de Filipinas

Melhor maquiagem e cabelo
David Martí e Marese Langan, Un monstruo viene a verme

Melhor edição de som
Oriol Tarrago e Peter Glossop, Un monstruo viene a verme

Melhores efeitos especiais
Pau Costa e Félix Bergés, Un monstruo viene a verme

Melhor animação
Psiconautas, los niños olvidados

Melhor documentário
Frágil equilíbrio, de Guillermo García López

Melhor filme ibero americano
El ciudadano ilustre, de Gastón Duprat e Mariano Cohn

Melhor filme europeu
Elle, de Paul Verhoeven

Melhor curta-metragem espanhol de ficção
Timecode, de Juanjo Giménez Peña

Melhor curta-metragem espanhol de animação
Decorado, de Alberto Vázquez

Melhor curta-metragem espanhol de documentário
Cabezas habladoras, de Juan Vicente Córdoba

Goya de honra
Ana Belén

Sem mais artigos