Chuck Berry, um dos pais do rock, morreu nesse sábado, aos 90 anos. Ele foi encontrado em sua casa, no condado de Saint Charles, no Missouri (EUA), já inconsciente. O pessoal do serviço de emergência até tentou reanimá-lo, mas sem sucesso.

Em mais de 50 anos de carreira Berry foi responsável por transformar o ainda desconhecido rock’n’roll em um fenômeno de massa.

Nascido Charles Edward Anderson Berry em 1926, em San Luis (EUA), era filho de mãe professora e pai empreiteiro e pastor evangélico. Se interessou pelo blues desde muito pequeno e iniciou sua carreira no início dos anos 1950. Seu primeiro hit foi “Maybellene”, que trouxe a inovação necessária para parir um gênero todo novo.

Sua presença de palco, exalando energia e sensualidade, além do fato de ser negro em uma América ainda mais segregada que hoje, o fez quebrar tabus na sociedade americana. A gênese desse estilo musical foi essencialmente negra e, só depois, assimilada pelos brancos. Ao lado de Elvis Presley, Berry fez o rock crescer como um fenômeno essencialmente jovem e popular.

Mas, no que diz respeito à estética e forma que definiriam as bases do gênero, Berry foi mais importante que Elvis ou qualquer outro. Pilares do rock como Beatles, Rolling Stones, AC/DC, Led Zeppelin, entre outros, afirmaram inúmeras vezes que Berry foi uma das suas referências mais importantes.

Ele foi autor de diversos hits como “Sweet Little Sixteen”, e “Johnny B. Goode” e estrelou filmes como Rock! Rock! Rock”. No auge da fama ele teve sua carreira interrompida ao ser preso em 1959 por transportar um menor de idade entre estados americanos. Ao sair da cadeira gravou discos importantes com hits como “My Ding-A-Ling”. Foi preso novamente nos anos 1970 por uma acusação de evasão de impostos.

Berry também passou quase sua carreira inteira lutando contra o vício em álcool.

Após uma carreira praticamente sem pausas, Berry teve que pisar no freio após sofrer um colapso durante um show em 2011, em Chicago, devido à exaustão. Mas ele se recusava a anunciar sua aposentadoria. Tanto que no ano passado ele anunciou um disco de inéditas, o primeiro em quarenta anos, Chuck, como comemoração aos seus 40 anos. “O disco é dedicado à minha amada Toddy”, referindo-se à esposa, com quem foi casado por 68 anos.

O álbum teve músicas escritas e produzidas por Berry. Segundo a família do músico no Facebook, o disco deve ser lançado em breve. Inovador do rock, Chuck Berry terminou sua carreira na ativa.

https://www.youtube.com/watch?list=PLvmowHuNqtAm7lJLSlWXenwl8DVmci1bv&v=rVT65M4mRnM

Sem mais artigos