Toda semana nossa equipe comenta as principais faixas lançadas na semana.

Você pode salvar nossa playlist no Spotify e também seguir nosso perfil por lá.

J Balvin com Anitta e Jeon – “Machika”

Temos mais é que celebrar esse novo boom da música latina, é o que sempre digo. A produção está acima de grande parte do que o pop manufaturado em escala industrial dos EUA/Europa sempre fizeram. E tem Anitta, no auge de sua popularidade, avançando algumas casas para se tornar um popstar em todo o continente. “Machika” não é, nem de longe, a melhor música de J Balvin, que é um hitmaker profiossional. Mas ainda assim é bem divertida.

Hinds – “New For You”

As espanholas do Hinds estão de volta. Elas se apresentaram no festival No Ar Coquetel Molotov e não me lembro se tocaram essa, mas é ótimo ver que elas seguem em forma. Rock bem divertido misturado com pop chiclete.

Rashid – “Música de Guerra”

Rashid chega em clima de confronto dando a real para colegas menos comprometidos (ou menos talentosos). A música inédita faz parte de Guerra, seu disco que reúne singles lançados no ano passado. “Eu tô na rua e não vi vocês”, diz ele na rima. Com uma batida mais pesada do que encontramos no seu disco de estreia, é uma faixa bem legal pra mostrar a diversidade sonora desse rapper.

Young Fathers – “In My View”

O Young Fathers está fazendo um dos pops mais inovadores hoje, sem dúvida. Não dá pra saber se eles estão experimentando no rap, no R&B, se são música eletrônica, etc. E neste caso aqui, ainda temos o adicional do gospel que chega para dar um tom dramático todo especial à faixa. Mega curioso com o disco novo.

TAMBÉM VALE OUVIR

A semana teve outras coisas legais, a exemplo das novas do Editors, João Capdeville, Yo La Tengo, Hinds, First Aid Kit, a volta do Brazilian Girls e Couer de Pirate.

NÃO ROLOU
A decepção da semana tem nome: Justin Timberlake. Sua música “Supplies” traz uma forçada de barra para falar de temas que estão em voga, como a luta contra o assédio sexual. O clipe é bem genérico do ponto de vista do ativismo e soa oportunista e piegas. Já a música é enfadonha com seus beats repetitivos e traz um dos refrões mais sem graça da carreira de Justin, que já nos entregou clássicos do pop. Depois da igualmente depepcionante “Filthy” se acende um sinal vermelho para esse novo trabalho de Justin.

Siga nosso perfil no Spotify e acesse aqui as faixas da semana, que serão atualizadas toda semana

Sem mais artigos