O maior festival de artes cênicas do Estado, o Janeiro de Grandes Espetáculos chega ao seu 24º ano com novo nome e uma programação que reúne mais de 60 montagens de teatro, dança e música. Agora rebatizado como Festival Internacional de Artes Cênicas e Música de Pernambuco, o evento acontece de 10 a 28 de janeiro de 2018. O casal Renato e Vanda Phaelante, com mais de 40 anos de carreira, serão os homenageados desta edição, que é uma realização da Associação dos Produtores de Artes Cênicas de Pernambuco (Apacepe).

Um dos motivos para a mudança de nome foi a incorporação da música à programação. Este ano serão 19 espetáculos musicais, alguns com estreia nacional como é o caso de Pífano Dois Irmãos, estrelado por Egberto Gismonti e João do Pife.

Para a abertura do festival, no Teatro de Santa Isabel, foi escolhido Dorinha, Meu Amor, roteiro e direção de João Falcão e interpretação da atriz/cantora pernambucana Isadora Melo. Entre as montagens que entrarão pela primeira vez em cena, estão Pro(Fé)Ta (Coletivo Grão Comum/Gota Serena), Espera o Outono, Alice (Amaré Grupo de Teatro) e O Diário das Frutas. Este último marca a estreia da Cais Cia. de Dança, dirigida por Dielson Pessoa, recifense que foi um dos principais bailarinos da respeitada Cia. de Dança Deborah Colker. Ainda tem A Ceia dos Cardeais (Paulo de Castro Produções), Aluga-se (Grupo Acaso), Ebulição (Valéria Vicente) e Meia-Noite (Orun Santana). Todos de companhias do Estado. Mais de 90% da programação, aliás, é assinada por grupos pernambucanos, com produções que contemplam Grande Recife (Recife, Olinda, Jaboatão, Paulista), Sertão (Arcoverde e Petrolina) e Zona da Mata (Vitória de Santo Antão).

O público infantojuvenil será contemplado com sete espetáculos, com sessões sempre nos fins de semana. Quatro produções do festival terão recursos de acessibilidade, com audiodescrição e libras: Dorinha, Meu Amor (na apresentação do dia 10), Machuca, Carol Levy e Ritmo Kente! Um Brega de Musical.

Cena de Histórias Por Um Fio: mais de 91 montagens este ano. (Foto: Rogerio Alves/Divulgação).

Este ano 15 montagens nacionais estarão na programação, entre elas Ícaro, da LM Produções, de Porto Alegre; Espelunca, da Cia Teatral Milongas (RJ) e Alegria de Náufragos, do Coletivo Ser Tão Teatro (PB). Há ainda três montagens internacionais: Kalashnikova – AK 47 da Companhia el contrabando, da Suíça. (…) E a Vida Afinal é como as Orquídeas.”, da Gambuzinos com 1 Pé de Fora, de Portugal, chega através de intercâmbio entre as cidades do Recife e a portuguesa Alcobaça. Além de Dialogus Ibéricos, produção Portugal/Espanha da Favelacult Gestión Cultural, cujo elenco abrirá diálogo para troca de experiências com os artistas pernambucanos sobre música, dança, canto e teatro, em ação paralela à apresentação.

O festival ainda possui uma programação paralela que contempla cursos, oficinas para adultos e crianças, seminários, lançamento de livros, leituras dramatizadas, sarau e debates. Dentro dela, uma grande novidade são as Atividades Formativas, que este ano ganham um núcleo específico para sua concepção. Coordenado por Lúcia Machado, o projeto visa a reciclagem do ator, a apreciação de novos talentos e o incentivo aos grupos locais.

Kalashnikova vem da Suíça. (Foto: Reto Emch/Divulgação).

Três das mais atuantes companhias de Pernambuco merecem destaque neste Janeiro: Cênicas Cia. de Teatro, Cia. Fiandeiros de Teatro e O Poste Soluções Luminosas. Com agenda intensa que movimenta o Estado ao longo de todo o ano, elas abrem seus equipamentos culturais para leituras e espetáculos, além de comandar oficinas de forma a repassar conhecimento de tantos anos dedicados às artes cênicas. Em homenagem ao centenário de Hermilo Borba Filho, foi criada a janela Cenas Hermilianas, com adaptação para os palcos de dois contos do dramaturgo: O Peixe e O Traidor. Ainda dentro da Mostra Paralela, o Janeiro ganha espaço no Teatro Paulo Freire, em Paulista, com 12 apresentações em cartaz ao preço de R$ 2 e R$ 1 (meia).

O Janeiro de Grandes Espetáculos distribuiu sua programação entre os teatros de Santa Isabel, Apolo, Hermilo Borba Filho, Marco Camarotti, Luiz Mendonça, Arraial Ariano Suassuna, Barreto Júnior e Sesc Caruaru. A Mostra Paralela e Atividades Formativas ocupam ainda os espaços Cênicas, Fiandeiros, O Poste e Mamulengo, os teatros Boa Vista e Paulo Freire (Paulista), o Centro Cultural Correios, Torre Malakoff, Fundação Joaquim Nabuco e o Recife Praia Hotel.

Os ingressos podem ser comprados pelo site. E a partir de 3 de janeiro de 2018, uma central de vendas será instalada no Teatro de Santa Isabel, onde também será possível comprar bilhetes para todas as atrações da programação oficial. O valor dos ingressos varia de R$ 5 a R$ 60 – na Mostra Paralela, há espetáculos com entrada gratuita; e na oficial, apenas uma montagem (o show de Egberto Gismonti e João do Pife) tem valor superior: R$ 100 e R$ 50 (meia). Programação completa no site.

Helder Vasconcelos em cena. (Foto: Ricardo Moura/Divulgação).

Sem mais artigos