O Globo de Ouro 2018 foi histórico. Pela primeira vez em sua história a indústria de cinema e TV de Hollywood se engaja para mudar um paradigma de poder que privilegia homens brancos e silencia vítimas. Liderado por mulheres, esse revide ressoou como eletricidade pela premiação, desde o tapete vermelho, onde todos usaram preto em protesto, passando pelos discursos de agradecimento e apresentações. Este foi primeiro evento da temporada de premiações desde que as denúncias de assédio sexual em Hollywood começaram a emergir após anos de violento segredo e silenciamento.

Leia Mais: A iniciativa anti-assédio em Hollywood

Três Anúncios Para Um Crime, sobre uma mãe que se vinga após ter a filha estuprada e morta, venceu como Melhor Filme de Drama e teve ainda a sua protagonista, Frances McDormand, como melhor atriz. Lady Bird levou como melhor filme de comédia ou musical e deu o prêmio de atriz de comédia para Saoirse Ronan. Gary Oldman, de O Destino de Uma Nação, ganhou como melhor ator.

A atriz, empresária e apresentadora Oprah Winfrey foi homenageada com o troféu Cecil B. DeMille, por sua carreira. Em um discurso poderoso, Oprah levantou a importância da representatividade ao lembrar do dia em que, ainda criança, viu Sidney Poitier ganhar o Oscar de melhor ator em 1964. “Eu nunca tinha visto uma pessoa negra ser celebrada daquele jeito”. Filha de uma faxineira, ela lembrou que aquilo a inspirou a chegar onde chegou. “Acho que esse momento, em que sou a primeira mulher negra a receber esse prêmio, também há garotinhas como eu, assistindo em casa”.

Ovacionada pela plateia, Oprah ainda lembrou de Recy Taylor, mulher que foi vítima de um estupro coletivo em 1944 e que morreu no final do ano passado. Os homens, apesar de confessarem o crime, nunca foram condenados. “Acabou o tempo de homens cruéis”, disse ela. “TIME’s UP”, bradou, citando a iniciativa que reuniu mais de 300 profissionais da indústria para lutar contra o assédio.

Histórico também foi o fato dos artistas usarem o Globo como palco para criticar a própria indústria de forma contundente, mas também a mídia. Ao apresentar o prêmio de melhor direção, a atriz Natalie Portman, visivelmente incomodada, destacou o fato de todos os indicados serem homens. Já Barbra Streisend, ao entregar o prêmio de melhor filme de drama colocou na berlinda a Associação de Imprensa de Hollywood e as demais premiações por mais indicações de diretoras. Pediu também mais oportunidades para mulheres diretoras. Barbra foi a única mulher a receber o prêmio de direção no Globo de Ouro, em 1984, há 34 anos!

Elisabeth Moss, melhor atriz por The Handmand’s Tale, agradeceu a escritora Margaret Atwood, que escreveu O Conto de Aia, obra que inspira a série. Ela também foi bastante direta em suas críticas. “Nós não vivemos mais nos espaços em branco no canto das páginas. Nós não vivemos mais nos buracos entre as histórias. Nós somos as histórias impressas e estamos escrevendo nossas próprias histórias”, disse.

Enquanto todas as mulheres traziam poderosos discursos, a exemplo das colegas de elenco Nicole Kidman e Laura Dern, premiadas por seus papéis em Big Little Lies, os homens praticamente não tocaram no assunto. Alexander Skarsgård, que levou o Globo de melhor ator coadjuvante por Big Little Lies agradeceu a um monte de gente e se referiu às suas colegas como “as garotas”. Sam Rockwell, de Três Anúncios para um Crime, falou algo vago sobre compaixão, enquanto Rachel Brosnahan, vencedor pela série de comédia The Marvelous Mrs. Maisel falou brevemente sobre a importância de ouvir histórias de pessoas marginalizadas. Já Ewan McGregor, Aziz Ansari, Gary Oldman, Martin McDonagh e Guillermo Del Toro não disseram nada, nem uma única palavra sobre o assunto mais importante na indústria hoje.

Em uma premiação um pouco mais dinâmica que as anteriores, o Globo de Ouro contou com a apresentação de Seth Myers, que fez um ótimo monólogo de abertura, afiado, mas não grosseiro, lançando diretas para Donald Trump, Harvey Weinstein, entre outros. Mas alguns momentos do show foram monótonos ou constrangedores, o que incluiu o recebimento do prêmio de melhor ator de comédia por James Franco e a apresentação de Seth Rogen para Artista do Desastre. O roteiro também poderia explorar mais a presença de estrelas como Emilia Clark e Kit Harrington, bem como a cantora Mariah Carey: todos foram lacônicos e se resumiram a apresentar os indicados.

Em um prêmio conhecido pelo tom leve, mico de artistas bêbados e piadas sem muito filtro, esse Globo de Ouro foi interessante pela tensão, pelo incômodo e por ser uma descarga público de um tema urgente, que é o assédio sexual em Hollywood.

Veja os vencedores, em negrito:

CINEMA

Melhor filme de drama
Me Chame Pelo Seu Nome
Dunkirk
A Forma da Água
The Post: A Guerra Secreta
Três Anúncios Para um Crime

Melhor ator em filme de drama
Daniel Day-Lewis – Trama Fantasma
Tom Hanks – The Post: A Guerra Secreta
Gary Oldman – O Destino de Uma Nação
Timothée Chalamet – Me Chame Pelo Seu Nome
Denzel Washington – Roman J. Israel Esq.

Melhor atriz em filme de drama
Jessica Chastain – A Grande Jogada
Sally Hawkins – A Forma da Água
Frances McDormand – Três Anúncios Para um Crime
Meryl Streep – The Post: A Guerra Secreta
Michelle Williams – All The Money In The World

Melhor filme de comédia ou musical
Corra!
I, Tonya
O Rei do Show
Lady Bird: É Hora de Voar
Artista do Desastre

Melhor ator em filme de comédia ou musical
Steve Carell – A Guerra dos Sexos
Ansel Elgort – Em Ritmo de Fuga
James Franco – Artista do Desastre
Hugh Jackman – O Rei do Show
Daniel Kaluuya – Corra!

Melhor atriz em filme de comédia ou musical
Judi Dench – Victoria e Abdul: O Confidente da Rainha
Helen Mirren – The Leisure Seeker
Margot Robbie – I, Tonya
Saoirse Ronan – Lady Bird: É Hora de Voar
Emma Stone – A Guerra dos Sexos

Melhor ator coadjuvante
Willem Dafoe – Projeto Flórida
Armie Hammer – Me Chame Pelo Seu Nome
Richard Jenkins – A Forma da Água
Sam Rockwell – Três Anúncios para um Crime
Christopher Plummer – All The Money in the World

Melhor atriz coadjuvante
Mary J. Blige – Mudbound
Hong Chau – Pequena Grande Vida
Allison Janney – I, Tonya
Laurie Metcalf – Lady Bird: É Hora de Voar
Octavia Spencer – A Forma da Água

Melhor diretor
Guillermo del Toro – A Forma da Água
Martin McDonagh – Três Anúncios Para um Crime
Christopher Nolan – Dunkirk
Ridley Scott – All The Money in the World
Steven Spielberg – The Post: A Guerra Secreta

Melhor roteiro
A Forma da Água
Lady Bird: É Hora de Voar
The Post: A Guerra Secreta
Três Anúncios Para um Crime
A Grande Jogada

Melhor filme de animação
O Poderoso Chefinho
Viva – A Vida É Uma Festa
O Touro Ferdinando
The Breadwinner
Com Amor, Van Gogh

Melhor filme estrangeiro
Uma Mulher Fantástica
The Square – A Arte da Discórdia
First They Killed My Father
Em Pedaços
Loveless

TELEVISÃO

Melhor minissérie/filme para a televisão
Big Little Lies
Fargo
Feud: Bette and Joan
The Sinner
Top of the Lake: China Girl

Melhor ator em minissérie/filme para a televisão
Robert De Niro – The Wizard of Lies
Jude Law – The Young Pope
Kyle MacLachlan – Twin Peaks
Ewan McGregor – Fargo
Geoffrey Rush – Genius

Melhor atriz em minissérie/filme para a televisão
Jessica Biel – The Sinner
Nicole Kidman – Big Little Lies
Jessica Lange – Feud: Bette and Joan
Susan Sarandon – Feud: Bette and Joan
Reese Witherspoon – Big Little Lies

Melhor série de drama
The Crown
Game of Thrones
The Handmaid’s Tale
Stranger Things
This Is Us

Melhor ator em série de drama
Freddie Highmore – The Good Doctor
Sterling K. Brown – This Is Us
Jason Bateman – Ozark
Liev Schrieber – Ray Donovan
Bob Odenkirk – Better Call Saul

Melhor atriz em série de drama
Elisabeth Moss – The Handmaid’s Tale
Claire Foy – The Crown
Maggie Gyllenhaal – The Deuce
Caitriona Balfe – Outlander
Katherine Langford – 13 Reasons Why

Melhor série de comédia ou musical
Black-ish
The Marvelous Mrs. Maisel
Master of None
SMILF
Will & Grace

Melhor ator em série de comédia ou musical
Anthony Anderson – Black-ish
Aziz Ansari – Master of None
Kevin Bacon – I Love Dick
William H. Macy – Shameless
Eric McCormack – Will & Grace

Melhor atriz em série de comédia ou musical
Pamela Adlon – Better Things
Alison Brie – GLOW
Issa Rae – Insecure
Rachel Brosnahan – The Marvelous Mrs. Maisel
Frankie Shaw – SMILF

Melhor ator coadjuvante em televisão
Alfred Molina – Feud: Bette and Joan
Alexander Skarsgård – Big Little Lies
David Thewlis – Fargo
David Harbour – Stranger Things
Christian Slater – Mr. Robot

Melhor atriz coadjuvante em televisão
Laura Dern – Big Little Lies
Ann Dowd – The Handmaid’s Tale
Chrissy Metz – This is Us
Michelle Pfeiffer – The Wizard of Lies
Shailene Woodley – Big Little Lies

Sem mais artigos