Nos últimos anos uma das principais palavras que vem resumindo os festivais em Pernambuco é a resistência. Isso porque, diante de um cenário em que os recursos financeiros tem sido escassos, a alternativa encontrada para alguns eventos culturais é reduzir gastos, diminuir o número de apresentações ou resistir, como é o caso do Janeiro de Grandes Espetáculos, que neste ano completa sua 24ª edição com algumas novidades na programação.

Leia Mais: Um dossiê sobre o teatro pernambucano hoje

Neste ano, mais uma vez, não haverá fronteiras que impedirão os grupos musicais, teatrais e de dança de se apresentarem. Serão sete espetáculos de fora do Estado, sendo quatro nacionais, vindo da Paraíba, Rio de Janeiro, Maranhão e Rio Grande do Sul e três internacionais, Suíça, Portugal e Espanha, como a peça Diálogos Ibéricos, mas o destaque será mesmo a seleção de atrações locais, que correspondem a 96% da programação. O coordenador do Janeiro de Grandes Espetáculos, Paulo de Castro conta que o projeto já trouxe grandes conquistas. “Já ultrapassamos barreiras territoriais e devido ao festival, pessoas do mundo inteiro participaram do Janeiro”, observa.

Paulo Castro, coordenador do festival: (Foto: Wellington Dantas/Divulgação).

O público poderá contar com uma programação variada e algumas novidades durante os dezenove dias de espetáculos. A começar pelos espetáculos que estarão em cartaz pela primeira vez, como o Pro(Fé)Ta, Espera o Outono, Alice, O Diário das Frutas, A Ceia dos Cardeais, A Dita Curva, Aluga-se, Ebulição e Meia-Noite. A abertura do Janeiro será com o musical teatral Dorinha, Meu amor, que embora tenha realizado uma temporada no ano passado com casa cheia, volta ao palco do Teatro de Santa Isabel, desta vez com dois dias de apresentações e participação de Flaira Ferro e Almério.

Nesta edição o público também poderá acompanhar nove espaços alternativos, com debates, cursos, oficinas, seminários e lançamentos, tendo como um dos grandes destaques, o livro de Zé Pimentel, além de alguns espetáculos infantis para criançada como a peça Carol Levy e Ritmo Kente! Um Brega de Musical. “Uma programação para todos os gostos e com um olha voltado para a inclusão, por meio de sessões com recursos de acessibilidade, por meio da audiodescrição e libras”, ressalta Paulo de Castro.

Outra inovação deste ano é o nome do festival que recebe a palavra “música” na sua titulação, ficando assim, Festival Internacional de Artes Cênicas e Música de Pernambuco, com o objetivo de consolidar o gênero de vez no evento. Por falar nisso, o Janeiro de Grandes Espetáculos será marcado por algumas parcerias musicais, 19 no total, como o do cantor e instrumentista, Egberto Gismonti e do músico caruaruense João do Pife, com participação da Banda de Pífano Dois Irmãos e a dupla de pernambucanos Tibério Azul e Igor de Carvalho.

O festival começa no próximo dia 10 e permanece em cartaz até o fim de janeiro, totalizando cerca de 110 apresentações nos oito teatros do Recife. As homenagens de 2018 vão para o casal de atores, Renato e Vanda Phaelante. O coordenador comemora mais uma edição do evento. “Com tantas dificuldades e motivos para desistir, chegamos a mais um festival firme e forte. Esse que é um dos maiores projetos culturais não só de Pernambuco, mas do Brasil”, afirma.

Cena de Dorinha, espetáculo estrelado por Isadora Melo. (Foto: Flora Negri/Divulgação).

No próximo ano, quando se completa o vigésimo quinto Janeiro de Grandes Espetáculos, a vontade de fazer algo ainda maior é presente no discurso de Paulo de Castro, que antecipa a preparação assim que encerrar o desta edição. “Estamos começando desde cedo a nos organizar, não é fácil fazer um evento deste porte, quando o que se está em jogo é a cultura. Para concretizarmos o que desejamos, é preciso de verbas, mas, ao mesmo tempo em que temos esse desafio pela frente, em compensação temos o carinho, a força e a resistência de quem faz o Festival Internacional de Artes Cênicas e música de Pernambuco”, afirma o coordenador.

A Revista O Grito! fará a cobertura do Janeiro de Grandes Espetáculos, com resenhas das principais montagens e matérias com atores e diretores.

SERVIÇO
24º Janeiro de Grandes Espetáculos | Festival Internacional de Artes Cênicas e Música de Pernambuco
De 10 a 28 de janeiro, Teatros de Santa Isabel, Apolo, Hermilo Borba Filho, Marco Camarotti, Luiz Mendonça, Arraial Ariano Suassuna, Barreto Júnior e Sesc Caruaru. Mostra Paralela e Atividades Formativas serão realizadas nos Espaços Cênicas, Fiandeiros, O Poste e Mamulengo, os teatros Boa Vista e Paulo Freire (Paulista), o Centro Cultural Correios, Torre Malakoff, Fundação Joaquim Nabuco e o Recife Praia Hotel.
O valor dos ingressos e a programação completa do 24º Janeiro de Grandes Espetáculos no site.

Sem mais artigos