Com direito a xoxota pichada na roupa o estilista cearense novamente fez uma apresentação autoral bastante política. Noite teve ainda IZA, Wagner Kalieno e João Paulo Guedes

Da Revista O Grito!, em Fortaleza

Fotos de Jonatan Oliveira para a Revista O Grito!

A moda autoral está de novo em cena em mais uma edição do Dragão Fashion Brasil (DFB). E para confirmar aquela que é uma das principais características do evento, na primeira noite, foi o estilista cearense Lindebergue Fernandes quem realizou o desfile mais ousado e conceitual. Fernandes já esteve presente nas diversas edições do DFB e, esse ano, mais uma vez, sua coleção é desenhada a partir de questionamentos políticos e comportamentais, sem perder a ludicidade e a ironia.

Leia Mais
Paz interior e devoção de Lindebergue

O desfile encerrou a programação e foi um dos mais esperados da noite. E convenhamos, a força espontânea das criações de Fernandes contagiou a público que adora sua irreverência em desconstruir padrões, seja nas roupas, seja nos modelos que pisaram a passarela do DFB. Peças usadas por homens com o desenho de uma imagem da genitália feminina, como vemos nas pichações de banheiros, e da genitália masculina em peças usadas pelas mulheres, foi um desses pequenos toques que Fernandes sabe usar tão bem.

A coleção apresentada explorou sobretudo os tons beges, o marrom claro, o azul suave, o laranja e o amarelo dourado em tecidos leves, mas também com uso do plástico, uma marca, por sinal, de alguns desfiles de ontem. Peças em plástico estavam presentes também nas coleções de Wagner Kallieno e de João Paulo Guedes. O primeiro – que cada vez mais vem sendo enaltecido pelo circuito da moda como um dos seus estilistas prediletos – trouxe uma coleção mista com peças femininas assimétricas, composta por vestidos com fendas e explorando tecidos em tons verde limão, branco e bege. Os trabalhos em plástico usavam mais as cores vermelho e preto.

Foto: Jonatan Oliveira/Divulgação.

João Paulo Guedes foi também muito aplaudido com uma coleção para homens e mulheres intitulada Ilusões, onde predomina tecidos com listras largas, variando tons de cinza e azul nas estampas de cores primárias. As peças no estilo streetwear, um dos traços marcantes de Guedes, tinham um corte simples e moderno, desenho minimalista e, para quebrar o padrão por ele próprio estabelecido, João Paulo usou também roupas em plástico vermelho e e peças masculinas em preto e cinza escuro.

A primeira noite foi encerrada pelo show da cantora IZA. Apesar da chuva torrencial que se abateu sobre Fortaleza, muita gente não arredou pé diante do Palco Ceará Sobe Som, na área externa do Terminal Marítimo onde está se desenrolando o DFB, e encarou com alegria o som pop dançante da carioca. Hoje, tem mais moda praia no novo espaço do DFB para beach wear, que ontem apresentou a coleção da marca Flee e logo mais tem a Hand Lace. As expectativas na line-up dos desfiles são as coleções de Weider Silveira e de Gisela Franck. Tem também show babado com As Bahias e a Cozinha Mineira.

O jornalista viajou a convite da organização do festival.

Sem mais artigos