A Revista O Grito! inicia a série “Diário de um cosplay”, estrelada pelo cosplayer e estudante universitário Lucas Rigaud. Para nos ajudar a entender um pouco a experiência de encarnar um personagem Lucas vai fazer um relato pessoal ao final de cada dia de CCXP. Nesta quinta, primeiro dia do evento, ele interpretou Doctor Who.

Texto e fotos por Lucas Rigaud

O dia começa mais cedo que o costume. Separo tudo que vou levar para o cosplay e coloco na mochila, o que acabará me trazendo algumas dores nas costas devido ao peso. Quando o personagem tem roupas mais difíceis e pesadas, prefiro não sair de casa vestido, pois o típico calor de Recife não permite; e, como hoje foi uma manhã chuvosa, tive medo de me molhar na rua.

Neste primeiro dia, fiz cosplay da 11ª regeneração do Doctor da série Doctor Who.

Chegando no evento, ainda cedo, vou para o vestuário mais próximo para me arrumar para o primeiro dia do evento. A estrutura também contava com um camarim para cosplays, porém só fiquei sabendo depois de ter me arrumado.

Durante o evento, tenho o prazer de ser reconhecido, além de brincar com alguns painéis, como o do novo filme de Alien, onde meu personagem, o Doctor, aparece sendo atacado pelo cruel alienígena, o que não chega a ser incomum no seriado.

Após um tempo, encontro uns amigos também cosplayers, inclusive outro Doctor. Juntos, participamos das atividades do evento, tirando fotos, pegando brindes, enfrentando dinossauros.

Leia Mais
Maurício de Sousa anuncia longa de Turma da Mônica Jovem

Sem mais artigos