Fachada da casa em 2015: artistas novos e consagrados na matilha. (Divulgação).

A Casa do Cachorro Preto dá seu último grito nesse domingo (18) no evento Desapego, onde venderá parte de seu acervo, peças e produtos com 20% de desconto. O espaço encerrou suas atividades depois de ver frustradas as tentativas de manter as portas abertas no Sítio Histórico, em Olinda.

“Dos nossos 5 anos acumulamos obras maravilhosas dos nossos artistas, produtos em forma de camisetas, cartazes, pôsteres, reproduções, alguns objetos de decoração etc. E tudo que está disponível vai ter desconto e parcelamento no cartão ou no checão”, diz o pessoal da casa. O domingo também será o dia de registrar o legado da casa, com gravação de depoimentos sobre o que representou o espaço nesses cinco anos de vida.

A Casa do Cachorro Preto irá manter a loja virtual, que será repaginada, além de um escritório. Mas as exposições, festas e eventos culturais foram encerrados. A ideia, a médio prazo, é realizar atividades itinerantes.

Localizada na Rua 13 de Maio, no Sítio Histórico, em Olinda, A Casa do Cachorro Preto era um dos espaços de artes integradas mais importantes de Pernambuco. No entanto, a Prefeitura intimou o espaço a encerrar as atividades alegando “perturbação da ordem pública” e “poluição sonora”. A administração do Cachorro Preto tentou diálogo, mas as negociações não avançaram.

Nos seus cinco anos o espaço realizou mostras de nomes como Shiko, Daaniel Araújo, Cavani Rosas, Carol Melo, além de dar espaço para artistas estreantes. Também lançou uma publicação impressa, a coletânea em quadrinhos Tô Miró.

Sem mais artigos