Artes Visuais

Holofotes: As musas pop de Quihoma Isaac

Primeira exposição individual do artista é uma homenagem colorida e carinhosa às estrelas do cinema, da televisão e da música

Fotos por Jonatan Oliveira

Ele chegou ao mundo em outubro de 1989 já marcado por influências da cultura pop. Seu nome, Quihoma, é o homófono do nome do personagem do ator Franco Nero, no western spaghetti Keoma, de 1976, dirigido por Enzo Castellari, filme admirado por seu pai. Aos sete anos de idade, um choque: ele assistiu a Splash – Uma Sereia em Minha Vida e ficou fascinado pela atriz Daryl Hannah. O filme é uma fantasia romântica realizada, em 1984, pelo cineasta Ron Howard, estrelada também por Tom Hanks, e conta a história de um garoto que escapa de morrer afogado graças a uma sereia. Vinte anos depois o rapaz reencontra a sereia e por ela se apaixona.

Como o rapaz do filme, desde criança Quihoma se tornou um fã incondicional de Daryl Hannah e quando começou a fazer desenhos uma de suas musas inspiradoras foi a atriz, de quem ele se tornou amigo, em 2011, quando foi até São Paulo e a encontrou num festival de música e sustentabilidade. Lá, ele lhe mostrou os diversos trabalhos feitos em sua homenagem, incluindo uma HQ em que ela é uma heroína lutando para salvar o planeta, deixando a atriz impressionada de ter um admirador tão fiel numa cidade tão distante. E é nesse universo de seres míticos do mar, divas do cinema e da televisão e estrelas, brasileiras e internacionais, da música pop que Quihoma realiza a sua primeira exposição individual Na Trilha das Musas que reúne 30 ilustrações de musas e heroínas de diferentes épocas, retratadas em arte digital e aquarela, atualmente em cartaz no Centro Cultural dos Correios.

Quihoma é graduado em artes plásticas e atua como designer gráfico no C.E.S.A.R., no Porto Digital. Nas artes visuais, ele trabalha com pintura, escultura, arte digital, quadrinhos e animação 2D e entre as técnicas aquela que o encanta mais é a aquarela. A montagem do projeto de Na Trilha das Musas foi um sonho acalentado há pelo menos dois anos e como todo artista iniciante enfrentou a dificuldade de encontrar um espaço para expor. “Eu já tinha tentado expor em várias galerias aqui do Recife e é muito difícil que se dê oportunidade para quem ainda não tem um nome. Tentei aqui no Espaço Cultural dos Correios uma primeira vez e não consegui, dei um tempo e voltei e dessa vez me disseram para montar o projeto e ele foi aprovado. A resposta foi no final do mês de junho e eu tive cerca de um mês e meio para montar tudo”, conta.

Como o tempo para preparar a exposição era curto, Quihoma optou por reunir os trabalhos que já estavam produzidos, e como costuma desenhar preferencialmente mulheres, resolveu juntar os melhores desenhos de quatro séries concluídas. Nos quadros expostos vamos encontrar além do ídolo Daryl Hannah, outras atrizes do cinema como Liza Minelli, Angelica Huston, Carmem Miranda, Judy Garland, Elvira; atrizes nacionais como Claudia Raia, Letícia Spiller; e cantoras que vão de Rita Lee a Madonna, passando por Gretchen e também Elke Maravilha. Elke recebe um destaque na exposição, pois exatamente no dia da abertura fez um ano da sua morte.

Os elementos visuais das ilustrações feitas por Quihoma remetem a filmes, quadrinhos, jogos digitais com uma forte marca de uma ambientação que evoca os anos 1980. “ Gosto de retratar artistas do cinema, da televisão, da música, de décadas passadas. As pessoas sempre dizem que tenho espírito de velho e perguntam porque não Lady Gaga, Beyoncé, mas eu me sinto mais atraído por essas coisas mais antigas”, diz rindo. Além do fascínio por coisas do passado, Quihoma adora o mar, sereias, criaturas míticas envoltas em cores fortes e com riqueza de detalhes. Ele lembra que “até já foi chamado de barroco por uma professora nos tempos da universidade”.

Entre as ilustrações, parte delas são originais em aquarela sobre papel monval, outras mesclam desenho a mão e técnicas digitais. Algumas são reproduções, pois as matrizes foram presenteadas pelo artista para as musas retratadas. O processo de criação de Quihoma para cada desenho começa com a escolha de uma imagem marcante da carreira da artista onde ele coloca elementos que remetam a elas. No caso das cantoras, pode ser um videoclipe, uma letra de música. Ele costuma mergulhar no universo da cantora ouvindo as canções gravadas por ela enquanto faz o desenho. As atrizes são retratadas no papel das personagens dos filmes mais importantes que protagonizaram como Daryl Hannah que pode ser vista como a replicante Pris de Blade Runner ou a assassina caolha de Kill Bill.

A presença de Hannah é bem marcante em várias ilustrações e Quihoma pensa no futuro fazer uma exposição dedicada totalmente a ela. Na série que ele intitula Meetings e pode ser vista no Espaço Cultural dos Correios a atriz é homenageada. “Eu coloco personagens feitos por ela encontrando outros personagens de outros filmes que eu gosto e que se combinam e poderiam se encontrar em algum universo paralelo”. Um dos quadros mostra ela com os protagonistas de O Mágico de Oz, filme que segundo Quihoma motivou a atriz a seguir carreira no cinema.

“Eu me sinto mais atraído por essas coisas mais antigas”

A amizade com Hannah permanece viva até hoje. “Antes eu admirava ela só pela beleza, depois fui pesquisando sobre a vida dela e quando a conheci vi que a gente combina em muitas coisas, ela é meio tímida e introspectiva como eu”, relembra. Eles trocaram e-mails e nunca deixaram de se corresponder e um dos frutos dessa relação foi o trabalho gráfico usando a técnica da aquarela que Quihoma fez para o livro Shesus da atriz americana Hilary Shepard, famosa pelo papel da vilã Divatox, no seriado Power Rangers Turbo.“Daryl Hannah era amiga dela e me indicou para fazer as ilustrações do livro. A trama se passa num mundo futurista pouco promissor e foi escrito a partir de sonhos recorrentes que Shepard teve por algum tempo. Ela me deixou bem livre para criar, ela era meio avoada e eu não sabia falar inglês, mas no final deu tudo certo. Agora estou preparando um projeto de animação com Daryl Hannah e um amigo dela, mas ainda não sei quando vai ser realizado”, conta.

Aos 28 anos, e apesar de ser uma pessoa ligada ao mundo digital, Quihoma não se importa em revelar seu prazer por suportes tradicionais. Gosta e tem pilhas de revistas de quadrinhos do Batman, seu herói predileto, e de fazer trabalhos usando técnicas mesmo consideradas obsoletas. Já fez quadrinhos, mas nunca os publicou e diz não produzir mais por falta de tempo. Também arriscou a produzir curtas de animação em 2D, como uma cena de Splash com cerca de setecentos desenhos feitos e coloridos a mão. A técnica da aquarela é outra coisa que lhe fascina. Embora já tenha usado tinta a óleo, acrílica, carvão, é na aquarela que ele afirma conseguir se expressar melhor. “Minhas aquarelas, todavia, são um pouco diferentes do que geralmente se faz, as pessoas preferem uma coisa mais aguada, diluída, eu gosto de cores vivas, bem carregadas”.

Quihoma ao lado da musa Daryl Hannah. À direita, Hilary Shepard como Divatox, atriz cujo livro foi ilustrado pelo artista. (Fotos: Arquivo pessoal).

O estilo de Quihoma tem um toque realista, mas com a influência dos quadrinhos e da arte pop ele trabalha misturas e brinca com essa realidade recriada. Quando parte para o digital leva esse espírito usando várias texturas e efeitos de cores. “Eu uso o mouse e photoshop, sou bem retrô (risos) até no modo de fazer as coisas”, diz. O artista também trabalha como freelancer fazendo desenhos e retratos sob encomenda, além de manter uma loja on-line onde comercializa seus trabalhos.

Uma forma dele conseguir realizar seus projetos pessoais. “Para o próximo ano gostaria de fazer uma exposição sobre sereias, mas além de desenhos quero fazer esculturas, mas como gosto de esculturas grandes preciso encontrar mais espaço para realiza-las”, conclui.

Quem quiser descobrir o talento de Quihoma Isaac vale a pena fazer essa viagem ao passado para reencontrar as divas pop que ele eterniza com carinho e cores luminosas. A exposição Na Trilha das Musas estará aberta até 20 de outubro com entrada franca no Centro Cultural dos Correios, na Av. Marquês de Olinda, 262, Bairro do Recife. As visitas são de terça-feira a sexta-feira, das 9h às 18h e sábados das 12h às 18h. A galeria virtual e loja on-line de Quihoma Isaac pode ser acessada pelo endereço www.quihoma.com. 

Veja mais fotos de Quihoma.

Comentários

As Últimas da Revista O Grito!